Ação do Magalu fecha em alta de mais de 4%, Vale sobe 2% e bancos avançam; só 2 ações do Ibovespa caem mais de 1%

Confira os destaques da B3 na sessão desta sexta-feira (2)
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de investidor para investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Ação do Magalu fecha em alta de mais de 4%, Vale sobe 2% e bancos avançam; só 2 ações do Ibovespa caem mais de 1%; invistaja.info;


EALT4 | P/VP: 0.86 | EV/EBIT: 7.55 | ROE: 0.1457 | Mrg.Ebit: 0.108 | Pat.Liq: 180267000.0 | P/EBIT: 5.42

BRASIL | invistaja.info — O grande destaque do noticiário corporativo nesta sexta-feira (2) ficou para empresas fora do índice, caso de JSL (JSLG3, R$ 12,61, +5,97%) e Tegma (TGMA3, R$ 25,99, +12,90%) após a proposta de fusão feita pela subsidiária da Simpar (SIMH3, R$ 59,11, +6,01%) (veja mais clicando aqui).

Mas a sessão foi, no geral, bastante positiva para os ativos em Bolsa. Após uma semana de bastante tensão por conta da repercussão da proposta de reforma tributária e com os desdobramentos da CPI da Covid, a sexta-feira foi de maior ânimo para os mercados, repercutindo os dados do mercado de trabalho nos EUA.

A ação da Petrobras (PETR3, R$ 30,03, +0,91%;PETR4, R$ 29,18, +0,41%) chegou a ter leve baixa em um dia em que o petróleo registrou desempenho misto em meio à expectativa pela reunião da Opep+, mas fechou em alta.

+O que a JSL ganha ao se unir com a Tegma – e por que o apetite por fusões e aquisições não deve parar por aí

O encontro da Opep+ foi adiado para essa sexta após os Emirados Árabes Unidos terem bloqueado um acordo na véspera; as reuniões podem ser estendidas até o fim de semana. Vale destacar que, sem um acordo, a aliança Opep+ pode manter restrições mais firmes de produção em momento em que os preços do petróleo operam ao redor de US$ 75 por barril, com alta de mais de 40% neste ano, enquanto consumidores desejam um aumento na oferta da commodity para ajudar na recuperação global da pandemia de Covid-19.

Em Nova York, o WTI para entrega em agosto caiu 0,1%, a US$ 75,16. Já o barril do Brent fechou em Londres a US$ 76,17, 0,4% de alta.

Os papéis da Vale (VALE3, R$ 113,58, +2,07%) também tiveram um dia de ganhos, com leve recuperação do minério, ainda que tenha registrado baixa no mercado futuro da Bolsa de Dalian na semana. A referência do minério de ferro negociada na Bolsa registrou nesta sexta-feira sua segunda semana consecutiva de perdas, embora tenha apurado leve alta em uma sessão volátil, em momento em que a China amplia esforços para conter sua produção de aço e cumprir metas de emissões de carbono. O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian, para setembro, fechou em alta de 0,8%, a 1.182,50 iuanes (US$ 182,41) por tonelada, tendo chegado a cair 2,6% durante a sessão.

A Vale também informou nesta sexta-feira que está comissionando as atividades no carregador de navios 6 (CN6), no Terminal Marítimo Ponta da Madeira, em São Luís, após cinco meses de parada para manutenção.

Siderúrgicas, caso de CSN (CSNA3, R$ 45,07, +3,78%), Gerdau (GGBR4, R$ 29,76, + 2,80%) e Usiminas (USIM5, R$ 19,53, +1,24%), também registraram alta.

Empresas que ganham com a reabertura da econômica, como aéreas Gol (GOLL4, R$ 23,45, +3,08%) e Azul (AZUL4, R$ 44,72, +1,73%),  do setor de educação, como Cogna (COGN3, R$ 4,34, +1,88%), Ser (SEER3, R$ 18,58, +4,38%), Yduqs (YDUQ3, R$ 32,77, +1,14%), além de shoppings e varejistas, também registraram ganhos. O movimento é de recuperação após as quedas recentes e também repercutindo os dados positivos da economia, também externa: os EUA, por exemplo, anunciaram a criação de 850 mil vagas de trabalho em junho, acima do esperado, animando as bolsas por lá e também por aqui com a expectativa de recuperação.

No radar do setor de educação, está a compra feita pela Ser do Centro de Desenvolvimento da Medicina Veterinária, Cursos e Treinamento(CDMV) e o Hospital Veterinário DOK no Rio de Janeiro, por R$ 12 milhões. Com base no Rio de Janeiro, o CDMV é uma instituição de ensino especializada na oferta de cursos de pós-graduação e de extensão prática na área de medicina veterinária, que opera nas cidades do Rio de Janeiro, Belém, Fortaleza, Ilhéus, São Paulo, Manaus, Recife e Salvador. As ações avançam quase 4%.

A Yduqs e a Cogna avançaram entre 1% e 2%. A Yduqs informou na véspera que concluiu a aquisição da Edtech Concursos.

A ação do Magazine Luiza (MGLU3, R$ 21,64, +4,59%) subiu forte, reagindo após duas sessões consecutivas de queda, quando acumulou declínio de 4,5%. No setor, B2W (BTOW3, R$ 66,71, +1,79%) e Via (VVAR3, R$ 15,60, +0,91%) também tiveram alta.

BR Distribuidora (BRDT3, R$ 29,39, +2,76%) seguiu em alta forte, avançando quase 3%, após subir 7,20% na véspera depois da Petrobras vender a fatia remanescente na companhia.

A Ambev (ABEV3, R$ 17,43, +1,34%) também fechou em alta. O Credit Suisse destacou em relatório que o volume de produção de bebidas alcoólicas no Brasil cresceu 3,9% em maio na comparação com 2019 e 13,1% ante maio de 2020, consequência da recuperação com o abrandamento das medidas de isolamento que deve beneficiar a Ambev, segundo avaliam os analistas.

Os analistas apontam que a companhia está se beneficiando de problemas na produção e aumento nos preços dos rivais, além de contarem com uma distribuição mas forte no varejo e sucesso de novas marcas. Cabe ressaltar que, nas últimas semanas, algumas casas como o Morgan Stanley e o Santander haviam reduzido as estimativas para a ação da companhia depois do avanço recente desde o resultado. O papel também foi impactado pela proposta do governo de reforma tributária de taxação de dividendos e fim dos juros sobre o capital próprio.

Bancos, também bastante impactados pela notícia de reforma tributária durante a semana, fecharam com ganhos nesta data, caso do Itaú (ITUB4, R$ 30,01, +1,08%) e do Bradesco (BBDC4, R$ 26,00, +2,39%).

Entre os bancos, o BTG Pactual (BPAC11, R$ 31,46, +4,34%) também teve expressiva alta, após concluir a venda de sua participação de 49% na Credpago Serviços de Cobrança para a Loft Tecnologia, estimando um ganho de aproximadamente R$ 1,4 bilhão com o negócio.

A ação da Rumo (RAIL3), por sua vez, chegou a cair, mas fechou no zero. A ação passou por ajustes após alta de mais de 3% na véspera, quando reagiu a uma notícia do Valor Econômico de que a companhia e a Santos Brasil (STBP3, R$ 9,30, +0,32%) avaliariam unir operações de contêineres. No final da quinta-feira, ambas as empresas afirmaram que avaliam constantemente oportunidades de negócios, mas que não há documento vinculante a respeito do assunto tratado na matéria.

No Ibovespa, apenas nove ações fecharam em queda, sendo que somente dois papéis, da Suzano (SUZB3, R$ 59,20, -1,87%) e da Ecorodovias (ECOR3, R$ 11,66, -1,52%), caíram mais de 1%. As demais quedas foram de: Marfrig (MRFG3, R$ 19,26, -0,98%,), CCR (CCRO3, R$ 13,42, -0,81%), BRF (BRFS3, R$ 26,86, -0,67%), BB Seguridade (BBSE3, R$ 23,15, -0,34%), SulAmérica (SULA11, R$ 34,11, -0,18%), Eletrobras PN (ELET6, R$ 43,25, -0,09%) e Qualicorp (QUAL3, R$ 28,36 -0,07%).

Confira no que ficar de olho:

Petrobras(PETR3, R$ 30,03, +0,91%;PETR4, R$ 29,18, +0,41%)

A Petrobras iniciou na quinta o processo de venda da totalidade de sua participação em blocos exploratórios localizados em terra na Bacia do Paraná, informou a companhia em fato relevante publicado nesta quinta-feira.

A operação, que tem início com a etapa de divulgação de oportunidade (teaser), envolve blocos pertencentes às concessões PAR-T-198_R12 e PAR-T-218_R12, que estão no extremo oeste do Estado de São Paulo, e PAR-T-175_R14, localizada no leste de Mato Grosso do Sul.

Fleury (FLRY3, R$ 25,69, +0,86%)

O conselho de administração do Grupo Fleury aprovou a realização da 6ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em três séries, para distribuição pública com esforços restritos. De acordo com a companhia, essa é a primeira emissão de debêntures do grupo com componente ESG, que permitirá sua classificação como “sustainability-linked”.

O valor total da emissão é R$ 1 bilhão: R$ 250 milhões (primeira série); R$ 375 milhões (segunda série) e R$ 375 milhões (terceira série), com prazos de 4, 5 e 7 anos respectivamente.

A remuneração será equivalente a 100% da taxa DI mais 1,35% ao ano na primeira série; 1,50% ao ano na segunda séria; e 1,75% ao ano na terceira. Caso as metas ESG não sejam atendidas, os spreads sofrerão aumento de até 0,125% ao ano, 0,25% ao ano e 0,35% ao ano, respectivamente.

Os recursos líquidos captados pela companhia serão destinados a usos corporativos gerais, como reforço de capital de giro e alongamento de passivo.

MRV (MRVE3, R$ 16,29, +1,05%)

hotWords: bancos caem mais vale sobe ibovespa ação

Seja anunciante no invistaja.info

A MRV concluiu a venda de dois empreendimentos na Flórida pelo valor geral de vendas de US$ 78,5 milhões, tendo recebimento líquido da empresa de US$ 37 milhões e lucro bruto de US$ 17,8 milhões.

O Lake Osborne foi vendido com com Cap Rate de 4,6% e Yield on Cost de 6,9%, sendo o segundo empreendimento construído pela AHS, sua subsidiária, em 2016. A AHS é uma construtora que atende as famílias da classe média norte-americana.

O Mangonia Lake foi um empreendimento vendido com Cap Rate de 4,5% e Yield on Cost de 5,6%. O empreendimento foi construído em 2019, “como a primeira obra da AHS a utilizar a metodologia construtiva de Parede de Concreto com Fôrmas de Alumínio. Este empreendimento apresentou custo de construção acima dos patamares normais da AHS”, segundo a MRV.

Os empreendimentos vendidos fazem parte do grupo de oito à venda, que totalizam 1.661 unidades e US$ 365milhões de VGV, com margem bruta média de aproximadamente 28%.

O Credit Suisse comentou a notícia e diz que o negócio está em linha com as expectativas. A companhia ainda destaca que há 6 projetos à venda, no valor de US$ 286,5 milhões.

Tupy (TUPY3, R$ 23,11, +0,23%)

A Tupy comunicou na quinta-feira a revisão no contrato envolvendo a aquisição do negócio global de componentes estruturais em ferro da Teksid, subsidiária da Stellantis, com o acordo agora prevendo apenas a aquisição das operações brasileira e portuguesa. O preço de aquisição (enterprise value) ajustado pela participação da Teksid nas subsidiárias Teksid Iron do Brasil e Fundição Portuguesa é de 67,5 milhões de euros.

 

JSL (JSLG3, R$ 12,61, +5,97%), Tegma (TGMA3, R$ 25,99, +12,90%) e Simpar (SIMH3, R$ 59,11, +6,01%)

A Simpar comunicou que a sua controlada JSL, maior companhia de logística rodoviária do país, enviou à Tegma, segunda maior do setor, pedido de combinação de negócios.

O comunicado aponta que a fusão das duas empresas criaria uma companhia com receita bruta combinada de R$ 6,1 bilhões.

“Somadas as operações da JSL (incluindo fusões e aquisições realizadas) e da Tegma, a companhia combinada teria R$ 6,1 bilhões de receita bruta nos últimos doze meses findos em 31 de março de 2021, que representaria um aumento de R$ 2,8 bilhões e um crescimento de 86% da receita bruta da JSL no mesmo período (sem incluir M&As)”, aponta a Simpar.

A empresa vê possíveis ganhos de sinergia, com diluição de custos fixos e cross-selling através da maior oferta de serviços da JSL para os clientes da Tegma. A combinação de negócios também “contribuirá para o acesso ao mercado de capitais pela companhia combinada, sustentando a agenda de crescimento orgânico e por aquisições, em linha com o planejamento estratégico da JSL”, destaca o comunicado.

Segundo a proposta a incorporação das ações da Companhia seria realizada com base em uma relação de troca segundo a qual “cada acionista de Tegma receberá, por cada uma de suas ações Tegma, o valor de R$ 15,00 e 0,7495248702 ações da JSL”.

A Tegma se manifestou, destacando que a proposta foi feita sem solicitação ou prévio entendimento com os órgãos da companhia. A proposta, ressalta a empresa, está sujeita a certas condições: (a) à aprovação pelos Conselhos de Administração das Companhias dos documentos necessários à implementação da Operação, em especial o Protocolo e Justificação de Incorporação, o qual conterá declarações e garantias usais para operações dessa natureza; (b) à aprovação pelos acionistas da JSL e Tegma reunidos em assembleia geral; e (c) à aprovação prévia do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Diante da proposta, o presidente do Conselho de Administração convocou uma reunião extraordinária do Conselho de Administração da Companhia a realizar-se na data de hoje, a fim de que examine a proposta e delibere as providências que julgar cabíveis.

CSN (CSNA3, R$ 45,07, +3,78%), Gerdau (GGBR4, R$ 29,76, + 2,80%) e Usiminas (USIM5, R$ 19,53, +1,24%)

O Morgan Stanley divulgou uma avaliação sobre os preços do aço no Brasil. Os preços em relação às importações estão entre 29% e 34% superiores, acima do nível normalizado, de entre 10% e 15%. A demanda nacional desacelerou em junho, e continua baixa na avaliação do Morgan Stanley.

Alguns dos contatos do banco afirmaram que as vendas se reduziram após o anúncio de preços mais altos em junho. Um distribuidor teria afirmado que alguns clientes industriais devem adiar compras para pressionar as siderúrgicas a oferecerem descontos.

O banco vê sinais de que a oferta de aço está aumentando no Brasil, mas ainda há falta de alguns produtos, como aço galvanizado e aço para concreto armado. Os estoques na cadeia de suprimentos continuam baixos. Em maio, os estoques eram de 2,3 meses, frente à média histórica de 3,1 meses. Os preços elevados devem adiar a recomposição dos estoques.

O Morgan que vê dificuldades para novos aumentos por parte dos produtores, já que o prêmio pago em relação às importações aumentou fortemente com a valorização do real. O banco diz esperar que os preços domésticos comecem a cair entre o quarto trimestre de 2021 e o primeiro de 2022.

O banco  mantém sua avaliação overweight (perspectiva de valorização acima da média do mercado) para CSN e Gerdau e equal-weight (dentro da média) para Usiminas, com base em suas novas estimativas, entre 8% e 15% acima do consenso para 2021, e entre 17% e 34% acima do consenso para 2022. Além disso, China e Rússia vêm buscando reduzir exportações, o que deve contribuir para manter os preços do Brasil altos.

G2D Investments (G2DI33, R$ 7,20, 0,00%)

O Bradesco BBI iniciou a cobertura da G2D Investments com avaliação outperform e preço-alvo de R$ 10 para 2022, frente à cotação de quinta de R$ 7,2 para os papéis G2DI33. O banco diz que os papéis são uma forma líquida de se expor ao setor de tecnologia e que o fundo está bem posicionado para aproveitar oportunidades no setor, com uma valoração atrativa.

O Bradesco BBI ressalta que o fundo tem um valor patrimonial líquido (NAV na sigla em inglês) de R$ 696 milhões, composto por investimentos nacionais e internacionais em tecnologia. A última rodada de investimentos do Softbank no Mercado Bitcoin indica que o NAV do G2D deve crescer em R$ 300 milhões, a R$ 1,03 bilhão nos próximos trimestres.

O banco lista entre os riscos a incerteza em relação aos investimentos do fundo, sobre os quais há informações limitadas, e a valorização do real, que deve levar a ajustes negativos do NAV.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Curso gratuito mostra como iniciar carreira no mercado financeiro começando do zero, com direito a certificado. Inscreva-se agora.

palavras-chave: Ação do Magalu fecha em alta de mais de 4%, Vale sobe 2% e bancos avançam; só 2 ações do Ibovespa caem mais de 1%; invistaja.info;

BRASIL | mercados | invistaja.info – Ação do Magalu fecha em alta de mais de 4%, Vale sobe 2% e bancos avançam; só 2 ações do Ibovespa caem mais de 1%

REFLEXÃO: Harold Pollack, da Universidade de Chicago: Guarde entre 15 e 20% e invista em fundos de índices com taxa baixa.

Veja também:

Ibovespa fecha em alta de 1,5% e apaga perdas na semana com dia de recordes em Wall Street; dólar sobe 2,3% em 5 dias

JSL faz proposta de fusão com Tegma para criação de gigante de logística; ação TGMA3 salta quase 13%

Após aporte do Softbank no Mercado Bitcoin, XP eleva preço-alvo de G2D e Bradesco BBI inicia cobertura da ação

Irlanda pode atrapalhar planos de alíquota mínima para imposto corporativo global

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.