Ações da Cemig saltam 5,8% após fala de Zema e Petrobras sobe mais de 3%; exportadoras caem com dólar

Confira os destaques da B3 na sessão desta quarta-feira (28)
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Conteúdo de quem vive de mercado

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Ações da Cemig saltam 5,8% após fala de Zema e Petrobras sobe mais de 3%; exportadoras caem com dólar; invistaja.info;


SAPR11 | P/ACL: -1.4 | EV/EBITDA: 4.29 | Pat.Liq: 6943160000.0 | Cresc.5anos: 0.088 | Cotacao: 20.85 | Liq.Corr.: 1.21

ListenToMarket: Ações da Cemig saltam 5,8% após fala de Zema e Petrobras sobe mais de 3%; exportadoras caem com dólar – Áudio gerado às: 17:52:44

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

BRASIL | invistaja.info — A temporada de resultados ganha força, sendo o destaque entre as maiores variações do Ibovespa. Entre as ações que compõem o índice, as ações da WEG (WEGE3, R$ 36,50, -1,38%) viraram para queda após chegarem a subir 5,11% na máxima do dia, enquanto o Santander Brasil (SANB11, R$ 40,60, +8,06%) teve alta de mais de 8%, também puxando as ações de outros bancos, como o Bradesco (BBDC3, R$ 21,48, +4,78%; BBDC4, R$ 24,50, +4,97%) e Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 28,21, +4,32%).

A WEG, fabricante de equipamentos, lucrou R$ 764,2 milhões no primeiro trimestre, valor 74% superior frente os R$ 440 milhões em igual período de 2020. Entre os fatores para alta, a melhora da demanda do mercado externo, o crescimento da receita no mercado interno e a variação de quase 23% do dólar frente ao real, que teve efeitos na receita obtida no exterior.

Já o Santander Brasil apresentou lucro líquido gerencial, que não considera ágio de aquisições, de R$ 4,012 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 4,1% maior que no mesmo período de 2020. O valor ficou acima do esperado.

+China busca frear exportações de aço com maiores impostos

Os ativos da Cielo (CIEL3, R$ 3,53, -3,29%), por sua vez, caíram mais de 3% na esteira de resultados considerados fracos no primeiro trimestre de 2021.

Fora do radar de resultados, atenção para a Cemig (CMIG4, R$ 14,11, +5,85%), que avançou cerca de 6%. O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse nesta quarta-feira que sua gestão mantém a meta de privatizar a elétrica estatal até o final de sua administração e acrescentou que a operação não precisaria envolver uma venda completa da companhia.

“Gostaria muito que durante minha gestão ainda a empresa venha a ser privatizada. Talvez não vendida, mas que ela receba um aporte de capital e que o Estado, que sempre fez interferências indevidas na empresa, perca o controle e deixe de prejudicá-la”, afirmou ele, ao participar de evento da Cemig com acionistas e investidores transmitida online. “Minha visão sobre a Cemig é que ela venha a ser uma corporação e que o Estado seja um mero acionista, igual aos demais”, acrescentou.

As ações da Petrobras (PETR3, R$ 23,55, +3,56%; PETR4, R$ 23,94, +3,64%) subiram mais de 3% nesta sessão, apesar de um dia de alta mais amena do petróleo no exterior, de cerca de 1%. No noticiário da companhia, o Cade atendeu um pleito da companhia e prorrogou os prazos para que a estatal realize a venda de refinarias e ativos de gás, mas manteve obrigação para que os desinvestimentos sejam concluídos até o fim deste ano.

Os desinvestimentos fazem parte de obrigações assumidas pela estatal em acordos firmados com a autarquia, que têm como objetivo atrair novos investidores e estimular a concorrência nos mercados de refino e gás natural.

No novo cronograma, a Petrobras tem até 31 de julho para vender das seguintes unidades: Refinaria Isaac Sabbá, Refinaria Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste e Refinaria Alberto Pasqualini. Já os ativos Unidade de Industrialização de Xisto, Refinaria Gabriel Passos e Refinaria Abreu e Lima devem ser vendidos até 30 de outubro. A Refinaria Presidente Getúlio Vargas terá até o fim do ano. Para a venda da transportadora de gás NTS a petroleira terá até 30 de abril.

Entre as maiores quedas do dia, destaque para as empresas os frigoríficos e exportadoras, pressionadas pela forte queda do dólar neste pregão, que recuou 1,8%, a R$ 5,36. Entre os papéis que mais caíram ficaram JBS (JBSS3, R$ 31,62, -6,14%), Suzano (SUZB3, R$ 67,54, -4,70%), Marfrig (MRFG3, R$ 19,05, -4,70%), Klabin (KLBN11, R$ 28,12, -3,96%), Minerva (BEEF3, R$ 9,98, -2,44%) e BRF (BRFS3, R$ 21,45, -2,41%).

Confira mais destaques:

Eletrobras (ELET3, R$ 36,76, +4,37%; ELET6, R$ 36,77, +3,15%)

O CPPI (Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos) aprovou na terça-feira resolução que define a atribuição da Eletrobras e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social no processo de capitalização da elétrica. Segundo a nota enviada ao mercado pela Eletrobras, caberá à empresa realizar a emissão e oferta das ações, após a conversão em lei da Medida Provisória nº 1031/2021, relativa à privatização. O BNDES será o responsável pela execução e acompanhamento do processo de capitalização até o seu encerramento, “devendo prestar apoio à Eletrobras no que for necessário”.

Pelas estimativas do governo, a privatização da Eletrobras renderia R$ 25 bilhões ao Tesouro. Valor da mesma ordem deverá ser aportado pela elétrica na chamada CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), um fundo que custeia diversos subsídios embutidos nos custos da energia. O objetivo é aliviar mudanças em tarifas.

Petrobras (PETR3, R$ 23,55, +3,56%; PETR4, R$ 23,94, +3,64%)

A produção de petróleo da Petrobras somou 2,196 milhões bpd (barris por dia) no primeiro trimestre, queda de 5,3% na comparação com o mesmo período de 2020, com efeito de desinvestimentos e de declínio natural de campos maduros, informou a companhia na terça.

A produção total de petróleo e gás natural, por sua vez, somou 2,765 milhões boe/d (barris de óleo equivalente ao dia), queda de 5% ante um ano antes.

O Morgan Stanley ressaltou que a taxa e utilização no parque de refino da Petrobras ficou 175 pontos-base acima de suas expectativas.

O banco mantém avaliação equal weight (expectativa de valorização dentro da média do mercado) para a Petrobras, ressaltando a percepção de intervenção do governo nos últimos meses, que leva a preocupação quanto à independência da gestão que, avalia, pode prejudicar a política de combustíveis da empresa.

O Morgan diz que, mesmo se nos próximos meses não houver mudanças em relação à estratégia anterior da empresa, é provável que volatilidade e sentimento continuem a dominar o debate sobre a empresa. O Morgan Stanley mantém preço-alvo em US$ 8,5 para os ADRs PBR, negociados na Bolsa em Nova York e equivalente aos ordinários.

Cielo (CIEL3, R$ 3,53, -3,29%)

A Cielo registrou lucro líquido de R$ 241,3 milhões para o primeiro trimestre, crescimento de 44,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Por outro lado, excluindo efeitos não recorrentes, a Cielo teve lucro líquido de R$ 135,8 milhões no primeiro trimestre, quedas de 54,5% sobre o período de outubro a dezembro do ano passado e de 18,6% ante o primeiro trimestre de 2020.

Já a receita líquida de R$ 2,72 bilhões entre janeiro e o fim de março, queda de 9,9% na comparação com o quarto trimestre de 2020 e recuo de 3,8% na relação anual.

O Morgan Stanley destaca que o lucro líquido recorrente da Cielo ficou 33% abaixo de sua estimativa e 28% abaixo do consenso.  O banco diz que os volumes de transações abaixo do consenso, aliado à notícia de que Fiserv é a nova parceira exclusiva da Caixa Econômica Federal para serviços de adquirência devem colocar as ações sob pressão. O banco mantém avaliação equal-weight e preço-alvo de R$ 4,50, frente aos R$ 3,65 de fechamento na terça.

O Bradesco BBI, por sua vez, apontou que o resultado ficou 33% abaixo de sua expectativa, e 20% abaixo do consenso do mercado. O banco avalia que os resultados da Cateno, joint venture da Cielo com o Banco do Brasil, foram pressionados por gastos operacionais elevados, e que a Me-S continua a divulgar perdas fortes.

O banco diz que, dependendo das tendência macroeconômicas de curto prazo, a Cielo pode se beneficiar de uma estrutura mais enxuta e gastos mais normalizados da Cateno. Uma valorização maior depende de certos eventos corporativos. O BBI mantém recomendação neutra para a Cielo, com preço-alvo de R$ 5, frente aos R$ 3,65 negociados na terça.

O Credit Suisse classificou os resultados divulgados pela Cielo como negativos, devido ao desempenho abaixo do esperado nas divisões Cielo Brasil e Cateno. Assim, o banco mantém uma visão cautelosa sobre as ações da Cielo, com avaliação neutra e preço-alvo de R$ 4,80.

Santander Brasil (SANB11, R$ 40,60, +8,06%)

O Santander Brasil apresentou lucro líquido gerencial, que não considera ágio de aquisições, de R$ 4,012 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 4,1% maior que no mesmo período de 2020.

A carteira de crédito ampliada encerrou março com R$ 497,566 bilhões, 2,9% menor que no final do ano passado. Na comparação anual, a carteira se expandiu em 7,4%. O custo do crédito subiu de 2,5%, no último trimestre de 2020, para 2,6% nos três meses encerrados em março.

A inadimplência acima 90 dias se manteve estável em 2,1% na comparação com o período imediatamente anterior. Já os empréstimos em atraso de 15 a 90 dias cresceram de 2,8% para 3,6%, entre os dois últimos trimestres. As despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa, as chamadas PDDs, somaram R$ 3,914 bi no primeiro trimestre deste ano, 8,45% mais que no último trimestre de 2020.

Os ativos totais detidos pela subsidiária brasileira do banco espanhol se retraíram em 2,2% se comparados a um ano antes e encerraram o primeiro trimestre em R$ 978,15 bilhões. O patrimônio líquido, por sua vez, avançou 7,4% na mesma comparação, e alcançou R$ 77,763 bilhões no período encerrado em março.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE, na sigla em inglês) ficou em 20,9%. Estável em relação ao trimestre anterior, mas inferior aos 22,3% registrados um ano antes. A margem financeira bruta foi de R$ 13,422 bilhões nos três primeiros meses deste ano, 8,3% maior que nos últimos três do ano passado. O índice de eficiência foi a 35,2% no primeiro trimestre de 2021, o melhor na história do banco. O índice de Basileia cedeu ligeiramente, de 15,3% para 15,2%, entre o final do ano passado e o início deste.

O Morgan Stanley destacou que o lucro ficou acima de sua estimativa, de R$ 3,686 bilhões, apontando que o banco teve outro trimestre com “execução administrativa sólida”. Assim, reitera sua avaliação overweight (expectativa de valorização acima da média do mercado) para o banco e preço-alvo de US$ 10 para o ADR, frente aos papéis BSBR negociados por US$ 6,91 na terça na Bolsa de Nova York.

O banco ainda anunciou o pagamento de R$ 3 bilhões em dividendos na véspera, sendo R$ 2,8 bilhões em dividendos intercalares e R$ 200 milhões em intermediários.

hotWords: 5,8% dólar após exportadoras cemig mais sobe

Seja anunciante no invistaja.info

O valor por ação ordinária é de R$ 0,3829808273073, R$ 0,4212789100339 por ação preferencial e R$ 0,8042597373412 por units, a ser pago a partir de 2 de junho de 2021. As ações passam a ser negociadas “ex-dividendos” a partir de 10 de maio.

Vamos (VAMO3, R$ 40,00, +3,47%)

A Vamos teve lucro líquido recorde de R$ 73,2 milhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 100,3% em relação aos R$ 36,6 milhões do mesmo período de 2020.

A locadora de caminhões atribuiu o desempenho positivo ao “forte crescimento orgânico em todos os segmentos de negócio”. No trimestre, a receita líquida consolidada, incluindo venda de ativos, subiu 76,1% na base anual, a 520,4 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) teve alta de 47%, a R$ 204 milhões no primeiro trimestre.

O Bradesco BBI destaca que o lucro ficou acima de sua expectativa, de R$ 63 milhões, e aponta ainda que os resultados foram impulsionados por alta nas receitas de concessionárias, com mais vendas de maquinário agrícola e de caminhões.

O banco mantém recomendação outperform (expectativa de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 40, frente aos R$ 38,66 negociados na terça, devido aos resultados acima do esperado.

Cesp (CESP6, R$ 25,40, +0,12%)

A elétrica Cesp, controlada pela Votorantim Energia e pelo fundo canadense CPPIB, teve lucro líquido de R$ 115,6 milhões, 115% superior frente igual período do ano passado.

A receita da geradora de energia somou R$ 556,9 milhões, alta de 20,9% antes os três primeiros meses de 2020.

O Credit Suisse afirmou que os dados da Cesp ficaram abaixo da expectativa, principalmente devido a custos maiores de compra de energia. Mas ressalta que os resultados foram impulsionados por ganhos não recorrentes pela reversão de provisões.

O banco afirma que a alta na receita líquida fica acima de sua expectativa, de 15,5%. Mas destaca que a alta de 139% nos custos totais, na comparação anual, ficam 69,7% acima de sua expectativa. O banco afirma que a alta de 0,9% nas despesas com pessoal, material, serviços e operações fica 7,7% abaixo de sua expectativa, beneficiadas por uma reversão de provisões e prejudicadas por gastos com depósitos judiciais.

Os gastos financeiros acima do esperado prejudicaram a dívida líquida, que atingiu R$ 1,1 bilhão, queda de 8,7% na comparação trimestral. O banco mantém recomendação outperform (expectativa de valorização acima da média do mercado), e preço-alvo de R$ 35,7, ante os R$ 25,37 de fechamento na terça para os papéis CESP6.

O Itaú BBA afirma que o Ebitda recorrente da Cesp no primeiro trimestre, de R$ 263 milhões, fica em linha com sua estimativa, de R$ 267 milhões, mas destaca que ficou 15% menor do que o do trimestre imediatamente anterior. O Itaú mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 38.

O Morgan Stanley afirma que o Ebitda ajustado da Cesp  fica 10% abaixo de sua expectativa, e 5% abaixo do consenso do mercado, principalmente devido a despesas maiores com compra de energia. A receita líquida de R$ 116 milhões foi afetada por itens não recorrentes. Excluindo esses efeitos, seria de R$ 10 milhões, abaixo de sua estimativa e daquela do consenso do mercado, principalmente devido a despesas financeiras acima do esperado. Apesar disso, o banco mantém recomendação overweight para a Cesp, destacando a “postura defensiva da Cesp como um ator puramente geracional”, com preço-alvo de R$ 34 para os papéis CESP6.

A elétrica Cesp também teve negado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) na terça um pedido de liminar apresentado em meio a uma disputa bilionária com a União. A companhia buscava obrigar a União a iniciar de imediato o pagamento do que considera ser o “valor incontroverso” de uma indenização pela não renovação do contrato de sua hidrelétrica Três Irmãos, mas teve um pedido de liminar rejeitado.

O BBA diz que vê a decisão do STJ como negativa, mas destaca que não afeta a principal discussão em curso na primeira instância.

WEG (WEGE3, R$ 36,50, -1,38%)

A WEG, fabricante de equipamentos, lucrou R$ 764,2 milhões no primeiro trimestre, valor 74% superior frente os R$ 440 milhões em igual período de 2020. Entre os fatores para alta, a melhora da demanda do mercado externo, o crescimento da receita no mercado interno e a variação de quase 23% do dólar frente ao real, que teve efeitos na receita obtida no exterior.

A receita, por sua vez, subiu 37%, a R$ 5,07 bilhões. A maior parte do faturamento (54%) teve como origem o mercado doméstico; o aumento foi de 38,4% com maior venda de produtos de equipamentos de ciclo curto — de menor porte e fabricados em série.

No mercado externo, a receita teve alta de 35%. As vendas para a área de equipamentos eletroeletrônicos na China e para a área de motores comerciais nas Américas foram alguns dos destaques do período.

Indústrias Romi (ROMI3, R$ 33,54, -9,03%)

A Indústrias Romi teve lucro líquido de R$ 20,7 milhões, queda de 49,2% na base de comparação anual. Por outro lado, em termos ajustados, o lucro líquido subiu 325,7% em comparação com o mesmo trimestre do ano passado.

A receita operacional líquida da Indústrias Romi foi de R$ 222,6 milhões, um aumento de 34,2% na comparação anual.

Movida (MOVI3, R$ 17,62, +3,71%)

A Movida teve lucro líquido da empresa de R$ 109,5 milhões no primeiro trimestre, praticamente o dobro do apresentado no primeiro trimestre de 2020, quando atingiu R$ 55,1 milhões.

Os ganhos foram impulsionados pelo avanço da tecnologia em canais digitais e pela retomada na demanda por carros alugados e seminovos.

A receita líquida total chegou a R$ 805 milhões no primeiro trimestre de 2021, queda de 20% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. O Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações ajustado (Ebitda, na sigla em inglês), por sua vez, ficou praticamente estável na comparação com o último trimestre de 2020, atingindo R$ 304,5 milhões, retração de 0,3%. Mas o salto foi de 35,3% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Veja mais clicando aqui.

O Bradesco BBI afirma que o Ebitda reportado pela Movida para o primeiro trimestre está em linha com sua expectativa e com aquela do mercado. O banco destaca a adição líquida de 4.145 carros, a depreciação de R$ 839 por carro na divisão de aluguel de carros, frente a R$ 2.967 em 2020, e a margem Ebitda recorde da divisão de seminovos, em 13,2%, alta de 12 pontos percentuais na comparação anual. O banco mantém recomendação outperform e preço-alvo para 2021 em R$ 30, frente aos R$ 16,99 negociados na terça.

O Credit Suisse classificou os resultados da Movida como fortes, com retorno sobre capital investido e grau de alavancagem financeira acima do esperado. O setor de seminovos veio, porém, abaixo da estimativa, apesar de margens mais altas devido a volumes mais baixos. O Ebitda consolidadoficou 5% abaixo da expectativa do Credit, apesar de o Ebitda excluindo seminovos ficar 10% acima. A receita líquida de R$ 110 milhões foi impactada por custos não recorrentes de R$ 25 milhões devido a taxas ligadas ao pagamento de dívida. O Credit mantém recomendação neutra (expectativa de valorização em linha com a média do mercado) para a Movida, com preço-alvo de R$ 22.

Localiza (RENT3, R$ 63,12, +3,41%)

A Localiza informou que seu conselho de administração nomeou Bruno Lasansky como seu novo presidente-executivo, no lugar de Eugênio Mattar, que passa a ser presidente-executivo do conselho da empresa de locação de veículos e gestão de frotas.

A assembleia de acionistas aprovou a proposta de pagamento de dividendos complementares no valor de R$ 18,1 milhões.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

palavras-chave: Ações da Cemig saltam 5,8% após fala de Zema e Petrobras sobe mais de 3%; exportadoras caem com dólar; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | mercados | invistaja.info – Ações da Cemig saltam 5,8% após fala de Zema e Petrobras sobe mais de 3%; exportadoras caem com dólar

REFLEXÃO: Morgan Housel: Se preocupe somente quando você achar que tiver tudo resolvido.

Notícias relacionadas:

WEG: rentabilidade e bom posicionamento para transformação em energia animam, mas analistas seguem vendo ação como cara

WEG: rentabilidade e bom posicionamento para transformação em energia animam, mas analistas seguem vendo que ação está cara

Biden tem espaço limitado para avançar com agenda democrata, incluindo aumento de impostos, diz BlackRock

Elevação de impostos nos EUA pode abrir espaço para emergentes seguirem o exemplo, diz BlackRock

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade