Publicidade

Ameaça de Trump contra chinesas atinge ações da Alibaba e da Tencent

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

>

Giro

Ameaça de Trump contra empresas chinesas atinge ações da Alibaba e da Tencent

Autoridades dos Estados Unidos consideram proibir os norte-americanos de investirem na Alibaba Group Holding e na Tencent Holdings (Crédito: Divulgação – Alibaba)

Da redação
07/01/21 – 20h29

A poucos dias de deixar a Casa Branca, o presidente Donald Trump tenta dar suas últimas cartadas contra as empresas de tecnologia chinesas. Desta vez, as autoridades dos Estados Unidos consideram proibir os norte-americanos de investirem na Alibaba Group Holding e na Tencent Holdings.

Os rumores afetaram a cotação das ações das companhias nesta quinta-feira (7). De acordo com a CNN, as ações da Alibaba listadas em Hong Kong caíram 3,9%, enquanto as ações da Tencent despencaram 4,7%.
+ Após criticar China, fundador do Alibaba não é mais visto em público
+ China investigará Alibaba por ações anticompetitivas
Já os recibos de depósito americanos do Alibaba, listados em Nova York, caíram mais de 5%, enquanto os ADRs da Tencent caíram cerca de 4% no mercado de balcão americano, conforme o Wall Street Journal.

A lista negra de Trump é uma ofensiva contra as empresas que ele considera que tem ligação com os militares chineses. Pela determinação do presidente, norte-americanos estão proibidos de investir em empresas que o governo suspeita pertencerem ou serem controladas pelos militares chineses.
Nesta semana, ele já tinha proibido transações com oito aplicativos chineses. Nesta quarta-feira, a Bolsa de Valores de Nova York informou que retiraria da lista três ações de telecomunicações chinesas para cumprir uma ordem de Trump.

A decisão entra em vigor dia 11 de janeiro, mas os investidores têm até novembro para desinvestir nas empresas. A Nyse disse que só vai avançar na proibição das empresas chinesas depois que receber novas instruções do Tesouro norte-americano.
Paralelemente, o Judiciário tem revertido as decisões de Trump e permitido, por exemplo, o uso do aplicativo de vídeos TikTok, que o presidente também tentou barrar.

BRAZIL | Mundo | invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade