Amortização x Depreciação: Qual é a diferença?

Análise Fundamentalista - Conheça as principais diferenças entre depreciação e amortização
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Você sabe qual a diferença entre os termos Depreciação e Amortização tão discutidos em análise fundamentalista?

O custo dos ativos empresariais pode ser gasto a cada ano ao longo da vida do ativo. Amortização e depreciação são dois métodos de cálculo de valor para esses ativos empresariais. Os valores das despesas são posteriormente utilizados como dedução fiscal reduzindo a responsabilidade fiscal para o negócio. Neste artigo, revisaremos a amortização, a depreciação e mais um método comum usado pelas empresas para difundir o custo de um ativo. A principal diferença entre os três métodos envolve o tipo de ativo que está sendo gasto.

Amortização

Amortização é a prática de espalhar o custo de um ativo intangível sobre a vida útil desse ativo. Ativos intangíveis não são ativos físicos, por si só. Exemplos de ativos intangíveis que são gastos através da amortização podem incluir:

– Patente e marcas registradas
– Contrato de franquia
– Processos proprietários, como direitos autorais
– Custo da emissão de títulos para levantar capital
– Custos organizacionais

Ao contrário da depreciação, a amortização é normalmente despesa em linha reta, o que significa que o mesmo valor é gasto em cada período ao longo da vida útil do ativo. Além disso, os ativos que são gastos usando o método de amortização normalmente não têm nenhum valor de revenda ou salvamento, ao contrário da depreciação.

É importante observar o contexto ao usar o termo amortização, pois ele carrega outro significado. Um cronograma de amortização é frequentemente usado para calcular uma série de pagamentos de empréstimos que consistem tanto no principal quanto nos juros de cada pagamento, como no caso de uma hipoteca.

Depreciação

Depreciação é a expensão de um ativo fixo ao longo de sua vida útil. Os ativos fixos são ativos tangíveis, o que significa que são ativos físicos que podem ser tocados. Alguns exemplos de ativos fixos ou tangíveis que são comumente depreciados incluem:

– Edifícios
– Equipamentos
– Móveis de escritório
– Veículos
– Máquinas

Uma vez que os ativos tangíveis podem ter algum valor no final de sua vida, a depreciação é calculada subtraindo o valor de resgate ou o valor de revenda do seu custo original. A diferença é depreciada uniformemente ao longo dos anos da vida esperada do ativo. Em outras palavras, o valor depreciado gasto em cada ano é uma dedução de imposto para a empresa até que a vida útil do ativo tenha expirado.

Por exemplo, um edifício de escritórios pode ser usado por muitos anos antes de se tornar degradado e ser vendido. O custo do prédio está distribuído sobre a vida prevista do edifício, com uma parte do custo sendo gasto em cada ano contábil.

A depreciação de alguns ativos fixos pode ser feita de forma acelerada, o que significa que uma parcela maior do valor do ativo é despesa nos primeiros anos de vida do ativo. Por exemplo, os veículos são tipicamente depreciados em uma base acelerada.

Análise Fundamentalista – Amortização x Depreciação | invistaja.info

palavras-chave: Amortização x Depreciação: Qual é a diferença?; Amortização vs. Depreciação: Qual é a diferença?; análise fundamentalista; invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.