Publicidade

BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras

Próximo governo herdará, no mínimo, uma carteira de 161 projetos, com potencial de mobilizar um capital de R$ 358 bilhões
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Negociando na bolsa de valores

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras; invistaja.info;


AMAR3 | Mrg.Liq.: 0.004 | P/L: -10.21 | Cresc.5anos: -0.0528 | P/Cap.Giro: 4.02 | Div.Brut/Pat.: 1.6 | EV/EBIT: 8.75

ListenToMarket: BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras – Áudio gerado às: 19:21:1

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

A “fábrica de projetos” de concessões, parcerias público-privadas (PPPs) e privatizações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fechou 2021 com 11 leilões, que mobilizarão um capital de cerca de R$ 90 bilhões nos próximos anos, entre investimentos e taxas de outorga.

O próximo governo herdará, no mínimo, uma carteira de 161 projetos (incluindo 19 que foram a leilão de 2019 a 2021), com potencial de mobilizar um capital de R$ 358 bilhões, conforme estimativas do banco de fomento.

Os números marcam a consolidação do primeiro passo na mudança do papel do BNDES na infraestrutura. De principal financiador de obras faraônicas, o banco quer passar a estruturar projetos e coordenar financiamentos que atraiam financiadores privados. O segundo passo é montar operações de financiamento que atraiam parceiros e exijam menos garantias, como no empréstimo de R$ 7 bilhões para a PPP da Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo, aprovado pouco antes do Natal.

+Morgan Stanley vê bom momento para pinçar ações no fundo do poço nos EUA

RESSALVAS

O novo modelo é, em geral, elogiado por especialistas de mercado, mas há algumas incertezas. De um lado, a continuidade desse novo papel é uma incógnita, diante de uma eventual mudança de orientação no governo federal. De outro, há quem alerte que uma redução excessiva do crédito do BNDES poderia levar a um quadro de escassez de financiamento, tamanha é a necessidade de investimentos na infraestrutura nacional.

Iniciada em 2016, a mudança partiu do diagnóstico sobre a falta de projetos de qualidade, citada por especialistas como um gargalo para a atração de investimentos privados em concessões e PPPs de infraestrutura. Com uma abordagem mais favorável ao mercado, o governo Michel Temer (MDB) criou o Programa de Parceria e Investimentos (PPI) para agilizar as concessões e privatizações federais. No governo Jair Bolsonaro (PL), a partir de 2019, a abordagem foi mantida, com um maior protagonismo do Ministério da Infraestrutura e foco do BNDES na estruturação dos projetos.

“Sempre tivemos boas oportunidades, independentemente de agenda econômica e política, mas sempre faltou a estruturação adequada de projetos, com bons estudos de demanda e boa alocação de riscos”, diz a advogada especializada em infraestrutura Rosane Menezes, do Madrona Advogados.

hotWords: grandes afasta financiador bndes

Publique seu negócio no invistaja.info

Para Fábio Abrahão, diretor de Concessões e Privatizações do BNDES, a qualidade e a quantidade de projetos já não são mais um gargalo. Após o banco mobilizar em torno de 200 técnicos para trabalhar no desenho de projetos, a capacidade de estruturação deixou de ser um problema. A carteira do BNDES garante um “pipeline” – como o mercado chama um conjunto de projetos a serem tirados do papel – de concessões e PPPs para ir a leilão nos próximos anos.

Ricardo Ramos, sócio da assessoria financeira BF e ex-diretor do BNDES, lembra que o problema com os projetos já estava diagnosticado, pelo menos, desde a primeira década do século, mas o banco passou a dar mais importância para isso quando, em 2016, na gestão da ex-presidente Maria Silvia Bastos Marques, iniciou as conversas com governadores para desenhar desestatizações no saneamento básico. Muitos desses projetos foram apenas finalizados na atual gestão e leiloados recentemente.

NOVOS PRODUTOS

“Estamos trabalhando em novos produtos. O que importa nem é o volume das operações, é atrair mais gente (para o financiamento)”, afirma o diretor de Crédito à Infraestrutura do BNDES, Petrônio Cançado, que deixa o cargo neste mês, após trabalhar em boa parte das mudanças.

Entre os “produtos” estão a coordenação de emissões de títulos de dívida – o BNDES conseguiu autorização para fazer essas operações, tal qual os bancos de investimento – e uma linha de crédito “backstop” – em que o cliente aprova o empréstimo num valor maior do que prevê necessário, para usar no caso de não obter outros financiamentos. Segundo Cançado, o BNDES também optará, mais frequentemente, por financiar via emissão de títulos, em vez de crédito.

O “produto” mais aguardado é o aval para empréstimos de outros bancos e para emissões de títulos de dívida. “O trabalho, ao longo de 2022, é de dar continuidade, aprimorar e chegar ao formato ideal (das garantias)”, diz Cançado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui!

palavras-chave: BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | economia | invistaja.info – BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras

REFLEXÃO: Michael Batnick, gestor de patrimônios da Ritholtz: Evitar erros catastróficos é mais importante do que construir o portfólio perfeito.

Tópicos mais acessados:

Ibovespa descola do exterior e fecha primeiro pregão do ano em queda de 0,86%; dólar avança 1,56%

Petrobras, Gerdau e mais: confira as ações recomendadas na carteira gráfica da XP para a semana

Os principais riscos para a economia global em 2022, segundo a Eurasia

Morgan Stanley vê bom momento para pinçar ações no fundo do poço nos EUA

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade