Bolsonaro nega canetada, mas diz que há “certos preços na Petrobras que não podem continuar” e volta a acionar fator de risco

Analistas viram como positivas últimas declarações da nova gestão da companhia e elevaram recomendação, ainda que com cautela sobre futuro da estatal
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de investidor para investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Bolsonaro nega canetada, mas diz que há “certos preços na Petrobras que não podem continuar” e volta a acionar fator de risco; invistaja.info;


EQPA5 | ROE: 0.2106 | P/VP: 3.53 | PSR: 2.005 | P/Cap.Giro: 4.38 | Mrg.Ebit: 0.2375 | Liq.Corr.: 2.06

ListenToMarket: Bolsonaro nega canetada, mas diz que há “certos preços na Petrobras que não podem continuar” e volta a acionar fator de risco – Áudio gerado às: 8:41:26

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

BRASIL | invistaja.info — Uma notícia positiva e uma declaração não exatamente nova e que já teve anteriormente impactos negativos sobre as ações da Petrobras (PETR3;(PETR4) devem nortear o desempenho dos ativos na sessão desta sexta-feira (21).

Na noite da última quinta-feira, a estatal informou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou que o valor do ICMS a ser excluído da base de cálculo do PIS-Cofins é o destacado em nota fiscal gerará um impacto positivo de R$ 4,4 bilhões no balanço do segundo trimestre da companhia. O impacto informado pela estatal decorre da “melhor estimativa dos valores a serem recuperados para as competências compreendidas entre o período de outubro de 2001 a junho de 2020”, e se refere à cifra antes dos efeitos fiscais.

Em fato relevante, a petroleira acrescentou que sua expectativa é de aproveitar o crédito nos próximos meses, mediante a compensação de tributos federais.

+Bitcoin sobe forte após tombo da véspera e encosta nos US$ 42 mil; queda ainda é de 17% em 7 dias

Na mesma noite, durante sua live semanal nas redes sociais, Jair Bolsonaro voltou a falar sobre mudanças nos preços dos combustíveis da Petrobras e a mencionar a “função social” da estatal; contudo, ao mesmo tempo, disse que não vai interferir na companhia. Não é a primeira vez que o presidente faz declarações nesses termos, mas sempre impactando os ativos.

Bolsonaro elogiou Joaquim Silva e Luna, novo presidente da estatal, e apontou que, na gestão dele, a petroleira não buscará apenas o lucro, mas também “a parte social”.

“A Petrobras vai visar o lucro sim, mas também vai ver a parte social. Tem certos preços que não têm cabimento continuar. E não é na canetada não, fiquem tranquilos. Ninguém está pensando em fazer isso. Aqui é respeitando a lei de mercado”, afirmou.

Cabe ressaltar que, nas últimas semanas (e principalmente após a divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2021, em 13 de maio), alguns bancos elevaram a recomendação para as ações da Petrobras, destacando as mensagens positivas da gestão da companhia, dentre elas, de que a empresa seria buscando a paridade de preços dos seus combustíveis em relação ao mercado internacional – ainda que esse continue sendo um ponto de atenção para os analistas.

Durante a teleconferência de resultados do primeiro trimestre, Cláudio Mastella, diretor de Comercialização e Logística da empresa, afirmou que a  análise desse acompanhamento permanecerá sendo feita anualmente, mas, ao longo do ano a empresa deve revisar os valores, conforme as oportunidades momentâneas de ganhos de margem.

Segundo afirmou Mastella, a Petrobras manterá a Política de Paridade de Importação (PPI). O prazo de reajustes continuará sendo flexível.

Desta forma, em relatório em que elevou a recomendação dos ativos para compra, os analistas do Bradesco BBI já apontavam que os riscos estão relacionados ao preço do combustível e que a administração deixou claroque, embora a paridade sempre seja buscada, ela não acontecerá com a frequência anterior.

hotWords: nega petrobras fator bolsonaro “certos podem risco

Publique seu negócio no invistaja.info

“Acreditamos que há uma chance de que o preço do petróleo atinja a casa dos US$ 80 o barril no terceiro trimestre, à medida que os estoques da OCDE caiam rapidamente. Nesse caso, acreditamos que a Petrobras não ajustará os preços da maneira ágil que o mercado desejaria, podendo causar alguma frustração”, avaliaram.

Cabe destacar que está em estudo a potencial criação de um fundo de estabilidade para os preços do diesel, o que, na avaliação do BBI, poderia impulsionar as ações, ajudando também a resolver o impasse sobre os reajustes. O governo está buscando a criação desse fundo, que começaria com contribuições provenientes do leilão Atapu / Sépia previsto para 17 de dezembro deste ano. “Embora não esperemos uma grande quantidade de recursos arrecadados com este leilão, seria o início de uma solução sustentável para o dilema do diesel que o Brasil tem com os caminhoneiros”, apontaram.

Na mesma live de ontem, em mais um aceno aos caminhoneiros, o presidente voltou a afirmar que pode entrar com uma ação Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar Estados a não reajustar o ICMS sobre combustíveis, depois de ter dito que estaria havendo aumentos desse imposto estadual após o governo ter congelado o PIS–Cofins, contribuições federais, sobre o diesel.

“A gente entrar com uma ação, acho que pode ser ADPF ou mandado de injunção, para a gente obrigar os governadores a dar um prazo para colocar um valor fixo de cada imposto estadual e não continuar como está aí”, disse. O presidente disse que o governo federal gastou R$ 3 bilhões para dar um “refresco”, mas não adiantou. Ele se referia ao fato de o Executivo Federal ter zerado temporariamente o PIS-Cofins sobre o diesel. Ele avaliou que o projeto que visava regulamentar uma emenda da Constituição que prevê um valor fixo para impostos estaduais não deve avançar.

As declarações de Bolsonaro podem voltar a reverberar ao evidenciarem o risco da companhia em ser estatal, ainda que essas incertezas já estejam, de certo modo, precificadas pelos investidores.

Conforme destacou o Morgan Stanley em relatório em que elevou o preço-alvo para os ativos, mas manteve recomendação equivalente à neutra, o aumento da percepção da intervenção governamental nos últimos meses tem levantado preocupações sobre a independência da gestão no futuro, o que é fundamental para uma política de preços de combustível funcional, bem como para retomar a postura anterior positiva do banco sobre as ações.

“Nesse ponto, achamos que nossos casos base e pessimista parecem igualmente plausíveis e preferiríamos ficar à margem [dos ativos]. Mesmo que nos próximos meses não vejamos um desvio material da estratégia anterior, o sentimento e a volatilidade provavelmente continuarão a dominar o debate”, reforçam.

O BBI também apontou os riscos, mas avaliou que a expectativa de retorno tendo em vista os preços atuais é compensadora. “Uma vez, e se as ações se aproximarem de R$ 35,00, o risco eleitoral de 2022 começará a pesar ainda mais na relação risco/retorno; portanto, achamos que a hora de comprar é agora”, destacaram.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Stock Pickers lança curso online e gratuito que ensina a identificar ativos com ótimo potencial de valorização. Inscreva-se.

palavras-chave: Bolsonaro nega canetada, mas diz que há “certos preços na Petrobras que não podem continuar” e volta a acionar fator de risco; invistaja.info;

CALIFORNIA | mercados | invistaja.info – Bolsonaro nega canetada, mas diz que há “certos preços na Petrobras que não podem continuar” e volta a acionar fator de risco

REFLEXÃO: Robert Brokamp, da Motley Fool: Diversificação reduz os riscos, aumenta a previsibilidade e impulsiona os retornos.

Notícias relacionadas:

Upside de 161%? Veja por que o BBI acha que a ação da OceanPact pode quase triplicar de valor

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta sexta-feira – 21/5

Futuros americanos seguem ânimo da véspera e sobem após dados de seguro-desemprego; Europa avança

Petrobras vê impacto positivo de R$ 4,4 bi no 2º tri após decisão do STF sobre tributos

Publique seu negócio no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.