Publicidade

Clínicas privadas têm acordo para 5 milhões de vacinas contra Covid-19, diz jornal

Acordo é para doses da Covaxin, vacina da indiana Bharat Biotech. Imunizante ainda não teve uso emergencial nem registro definitivo aprovados pela Anvisa
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Brasil | invistaja –

SÃO PAULO – A Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC) e a importadora Precisa Medicamentos concluíram uma negociação para a compra de 5 milhões de doses da Covaxin, vacina desenvolvida pela farmacêutica indiana Bharat Biotech, segundo o jornal Valor Econômico

palavras-chave: Clínicas privadas têm acordo para 5 milhões de vacinas contra Covid-19, diz jornal; invistaja.info;

O jornal afirma que a ABCVAC já está negociando a venda do imunizante para clínicas privadas. Elas têm até a próxima sexta-feira (29) para confirmar pedidos com a Precisa Medicamentos. A associação representa 200 clínicas, que equivalem a 70% do mercado privado nacional.

Vale lembrar que a Covaxin não teve uso emergencial nem registro definitivo aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A agência aprovou apenas o uso de doses da (vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan e pelo laboratório chinês Sinovac) e da (vacina desenvolvida pela universidade e pela farmacêutica britânicas).

+Ações da HBR Realty estreiam em alta na Bolsa após oferta restrita para investidores profissionais

Segundo o acordo relatado pelo Valor Econômico, as clínicas poderão adquirir entre 2 mil e 400 mil doses da Covaxin. O valor por dose depende da quantidade comprada, mas vai de US$ 32,71 até US$ 40,78 (entre R$ 174,25 e R$ 217,24, na cotação atual). Os estabelecimentos privados precisam depositar 10% do valor de contrato como adiantamento, que será devolvido caso a Anvisa não aprove a Covaxin.

Leia mais

Ainda de acordo com o jornal, a Bharat Biotech espera terminar até 25 de fevereiro sua fase 3 de testes clínicos. Essa é a última etapa das pesquisas com vacinas contra Covid-19. No caso da Covaxin, os ensaios envolvem 26 mil voluntários indianos.

A Bharat Biotech entrará com o pedido de uso emergencial na Anvisa após a conclusão dos estudos, com expectativa de fornecer doses à iniciativa privada brasileira a partir de abril. A vacina indiana, porém, pode enfrentar a ausência de testes clínicos realizados em solo nacional.

Ao Valor Econômico, a importadora Precisa Medicamentos informou que “todas as negociações são desenvolvidas dentro de um ambiente privado e cobertas por termos de confidencialidade. Todas as estratégias e condições comerciais são discutidas exclusivamente dentro do ambiente legítimo, e cobertas por contratos entre as partes, envolvendo apenas clientes e fornecedores. Não reconhecemos nenhum documento que esteja fora do ambiente formal das negociações”.

O entrou em contato com a ABCVAC e com a Precisa Medicamentos, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

É importante ressaltar que o governo federal já havia demonstrado interesse na vacina indiana, já que a Covaxin faz parte do  No documento, o governo diz ter firmado um memorando de entendimento com o laboratório indiano para demonstrar a intenção de compra da vacina.

Segundo o Valor Econômico, o governo brasileiro negocia a aquisição de 50 milhões de doses da Covaxin, mas aguarda os resultados da fase 3 de testes clínicos.

Histórico da Covaxin

A negociação das 5 milhões de doses entre ABCVAC e Bharat Biotech . Na época, a associação afirmou que o imunizante é administrado em duas doses, com intervalo de duas semanas entre elas. A vacina induz um anticorpo neutralizante, “provocando uma resposta imune e levando a resultados eficazes em todos os grupos de controle, sem eventos adversos graves relacionados.”

O método de produção escolhido pela Bharat Biotech para confeccionar sua vacina é . A Covaxin recebe o vírus inativado por agentes químicos ou físicos no organismo, fazendo com que o sistema imunológico identifique o invasor e produza defesas contra ele.

Assim, quando o corpo entrar em contato com o vírus real, o sistema imune já terá criado as defesas necessárias para combater a doença. Segundo o Instituto Butantan, a estratégia de trabalhar com o vírus inativo já foi utilizada para o desenvolvimento de várias outras vacinas conhecidas, como o imunizante contra a pólio e contra o vírus do sarampo, por exemplo.

BRASIL | economia | invistaja.info – Clínicas privadas têm acordo para 5 milhões de vacinas contra Covid-19, diz jornal

palavras-chave: Clínicas privadas têm acordo para 5 milhões de vacinas contra Covid-19, diz jornal; invistaja.info;

Veja também:

Ações da Cielo chegam a subir quase 10% após resultado do 4º tri; Vale cai com minério

Ata do Copom leva bancos a antecipar início de alta da Selic

Vírus em alta, poucas doses: Como Brasil perdeu chance de garantir vacinas contra a Covid-19

Ibovespa Futuro tem leve queda em meio a expectativas por decisão do Fed; dólar sobe a R$ 5,38

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade