Commodities podem blindar moedas de emergentes, diz Goldman

Algumas das oportunidades, segundo o banco, estão em moedas de mercados emergentes sensíveis ao cobre, como o rand sul-africano e o peso chileno
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para traders e investidores

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Commodities podem blindar moedas de emergentes, diz Goldman; invistaja.info;


SLCE3 | ROIC: 0.1075 | P/ACL: -5.93 | Mrg.Liq.: 0.1137 | Div.Brut/Pat.: 0.9 | Cotacao: 39.76 | Liq.2meses: 42376000.0

(invistaja.info) — Embora o salto dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA tenha pressionado as taxas de câmbio de mercados emergentes, o rali dos preços das commodities neste ano pode oferecer alguma proteção, segundo o Goldman Sachs.

Moedas de mercados emergentes dependentes de commodities ainda têm espaço para alcançar a exuberância dos preços do petróleo e do cobre, disse o estrategista do Goldman em Londres, Ian Tomb, em relatório na sexta-feira.

Esses momentos de volatilidade no mercado de juros podem ser uma oportunidade para investidores assumirem posições compradas em apostas pró-cíclicas de alta qualidade, como o rand sul-africano, o peso mexicano e o rublo russo.

“A valorização dos preços das commodities pode ser ampla o suficiente para implicar que, apesar do aumento dos rendimentos básicos, as moedas emergentes sensíveis às commodities mostram desempenho inferior em 2021”, escreveu Tomb em nota. “Grandes aumentos dos preços das commodities nos últimos meses podem ajudar a amortecer o golpe de maiores rendimentos.”

Leia também:• Previ, Petros, Funcef e Vivest: como os quatro maiores fundos de pensão do país planejam seus investimentos em 2021

Os ralis do cobre e do petróleo são vistos como sinais para economias exportadoras do mundo em desenvolvimento. O metal é negociado um pouco abaixo da cotação mais alta em uma década, e o petróleo bruto atingiu níveis vistos pela última vez antes de o coronavírus ser declarado uma pandemia. O índice “Bloomberg Commodity” atingiu o patamar mais alto desde 2018 esta semana.

hotWords: moedas emergentes, goldman podem

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Ainda assim, as moedas de mercados emergentes estão perto de fechar a pior semana em cinco meses, liderada por perdas da lira turca, do real e do rand sul-africano. Isso faz com que gestores pesem os riscos do aumento dos rendimentos dos Treasuries contra as perspectivas de uma forte recuperação puxada por estímulos, o que eleva a demanda por commodities.

Para o Goldman Sachs, algumas das oportunidades mais interessantes estão em moedas de mercados emergentes sensíveis ao cobre, como o rand sul-africano e o peso chileno. Ao mesmo tempo, o rublo russo e o peso colombiano são as que mais se beneficiam com a alta do preço do petróleo, mesmo com a queda da sensibilidade geral das moedas dos mercados emergentes a essa commodity nos últimos anos, disse a empresa.

palavras-chave: Commodities podem blindar moedas de emergentes, diz Goldman; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | mercados | invistaja.info – Commodities podem blindar moedas de emergentes, diz Goldman

REFLEXÃO: Morgan Housel: Se preocupe somente quando você achar que tiver tudo resolvido.

Saiba mais:

Em carta aberta, Guilherme Benchimol, da XP, diz que ESG vai redesenhar o ecossistema de negócios

Greve de caminhões afeta postos de combustíveis na região de BH, diz associação

Se tanto os resultados de Minerva quanto de BRF foram bons, por que uma sobe 4% e a outra cai 6% nesta sexta?

Rompimento de barragem em Brumadinho foi causado por perfuração da Vale, diz PF

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade