Publicidade

Departamento de Energia corta previsão para demanda de petróleo e vê Brent a US$ 108 o barril

Relatório aponta que o preço depende de quais sanções podem ser impostas contra a Rússia, de quão eficazes serão as já adotadas
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias do mercado financeiro

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Departamento de Energia corta previsão para demanda de petróleo e vê Brent a US$ 108 o barril; invistaja.info;


HAPV3 | ROE: 0.0471 | P/L: 153.67 | P/EBIT: 149.36 | PSR: 7.74 | DY: 0.0019 | Liq.Corr.: 1.04

ListenToMarket: Departamento de Energia corta previsão para demanda de petróleo e vê Brent a US$ 108 o barril – Áudio gerado às: 17:0:24

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

O Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) começa seu relatório de curto prazo enfatizando a elevada incerteza atual no setor, diante de vários fatores, entre eles a guerra da Rússia na Ucrânia.

Isso posto, o DoE atualmente projeta que o Brent fique em média em US$ 108 o barril ao longo do segundo trimestre deste ano e em US$ 102 no segundo semestre de 2022.

O DoE aponta que o preço do Brent no mercado à vista ficou em média em US$ 117 por barril em março, uma alta de US$ 20 por barril ante fevereiro, influenciado pela ação militar da Rússia. Agora, o relatório aponta que o preço do óleo depende de quais sanções podem ser impostas contra a Rússia, de quão eficazes serão as já adotadas, além de outros pontos, como medidas independentes de empresas no setor.

+Estúdio da HBO levanta US$ 7 mi para novo jogo blockchain futurista

Além disso, o DoE afirma que uma série de resultados macroeconômicos poderia afetar de modo significativo os mercados de energia durante o período da projeção. Os resultados incertos na produção de energia se devem a questões como o próprio conflito na Ucrânia, as decisões da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) sobre sua oferta e a taxa de crescimento da produção nos EUA, diz o relatório.

hotWords: departamento energia barril previsão brent

Seja anunciante no invistaja.info

Segundo o DoE, o consumo global de petróleo e combustíveis líquidos deve ficar em média em 99,8 milhões de barris por dia (bpd) em todo o ano atual, uma alta de 2,4 milhões de bpd ante 2021. A projeção, porém, é 800 mil bpd inferior à do mês passado, após revisões em baixa do Produto Interno Bruto (PIB) global. Em 2023, o departamento projeta que o consumo global do petróleo e de combustíveis líquidos avançará 1,9 milhão de bpd, para em média 101,7 milhões de bpd.

Já a produção dos EUA deve aumentar 900 mil bpd em 2023, para quase 13,0 milhões de bpd, superando o recorde anterior de 12,3 milhões de bpd, estabelecido em 2019.

palavras-chave: Departamento de Energia corta previsão para demanda de petróleo e vê Brent a US$ 108 o barril; invistaja.info;

BRASÍLIA | mercados | invistaja.info – Departamento de Energia corta previsão para demanda de petróleo e vê Brent a US$ 108 o barril

REFLEXÃO: Ben Carlson, autor de A Wealth of Common Sense – A riqueza do senso comum, em tradução livre: Menos é mais. O processo de investimento deve ser mais importante que os resultados. Comportamento correto na hora de investir é a chave.

Notícias relacionadas:

Bored Ape Yacht Club: coleção de NFTs lança lanchonete e vai virar trilogia de filmes

Ações do Banco Inter (BIDI11) caem mais de 9% após prévia operacional evidenciar desafios de monetização

Comitê da Petrobras recomenda aprovação de José Mauro Coelho como presidente da estatal

Produção de motos é a melhor para março em 10 anos, e vendas superam a de carros de passeio

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade