Publicidade

Em meio a embate, STF julga na quarta-feira fechamento de igrejas durante pandemia de Covid-19

A determinação de Fux ocorre após decisões conflitantes tomadas nos últimos dias por ministros do STF
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de investidor para investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Em meio a embate, STF julga na quarta-feira fechamento de igrejas durante pandemia de Covid-19; invistaja.info;


PFRM3 | P/L: 13.65 | P/EBIT: 3.63 | Cresc.5anos: 0.0774 | Pat.Liq: 1046320000.0 | ROE: 0.05 | EV/EBIT: 4.8

BRASÍLIA (MarketMsg) – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, decidiu incluir como primeiro item da pauta de julgamento do plenário da quarta-feira ações que envolvem a possibilidade de abertura de igrejas, templos e realização de outras cerimônias de cunho religioso no país, segundo a assessoria de imprensa do órgão, em meio ao mais grave momento da pandemia de Covid-19 no país.

A determinação de Fux ocorre após decisões conflitantes tomadas nos últimos dias por ministros do STF.

No sábado, véspera do domingo de Páscoa, ao atender pedido da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), o ministro do Supremo Nunes Marques havia concedido liminar para liberar atividades religiosas presenciais.

+Em evento no DF, Bolsonaro volta a dizer que o Brasil precisa voltar a trabalhar

Naquela decisão, Marques determinou que Estados, municípios e Distrito Federal se abstivessem de editar decretos que proibissem essas atividades, estipulando protocolos para a realização das cerimônias.

Nesta segunda, em outras duas ações, o ministro Gilmar Mendes decidiu pelo fechamento de igrejas em São Paulo e teceu críticas sobre a liberação de cerimônias religiosas no momento.

hotWords: fechamento embate, quarta-feira durante igrejas

Publique seu negócio no invistaja.info

Mendes comparou esse tipo de liberação a uma “postura negacionista”. “Uma ideologia que nega a pandemia que ora assola o país, e que nega um conjunto de precedentes lavrados por este Tribunal durante a crise sanitária que se coloca”, disse.

Na sua decisão, Mendes disse que o decreto que se buscava impugnar “não foi emitido no ‘éter’, mas sim no país que, contendo 3% da população mundial, concentra 33% das mortes diárias por covid-19 no mundo, na data da presente decisão”.

Após a decisão de Mendes, o procurador-geral da República, Augusto Aras, apresentou um pedido ao presidente do STF, Luiz Fux, para que Nunes Marques seja o relator de todas as ações envolvendo o assunto por ter tomado a primeira decisão liminar sobre o caso.

Nunes Marques, indicado ao STF pelo presidente Jair Bolsonaro, e Gilmar Mendes protagonizaram um duro embate no julgamento que, ao final, considerou o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro suspeito no processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o tríplex do Guarujá.

Entenda o método para realizar análises e não se perder em momentos turbulentos. A série gratuita One Good Trader, com Gilberto Coelho, te ensina como – inscreva-se!

palavras-chave: Em meio a embate, STF julga na quarta-feira fechamento de igrejas durante pandemia de Covid-19; invistaja.info;

CALIFORNIA | economia | invistaja.info – Em meio a embate, STF julga na quarta-feira fechamento de igrejas durante pandemia de Covid-19

REFLEXÃO: Rich Greifner, da Motley Fool: Pense a longo prazo, seja paciente e busque por retornos assimétricos.

Leia também:

Em carta, novo presidente do Banco do Brasil explicita alinhamento a Bolsonaro

Em evento no DF, Bolsonaro volta a dizer que o Brasil precisa voltar a trabalhar

Covid reduz ritmo de crescimento da população e Brasil pode ter impacto demográfico por gerações

Faturamento das seguradoras cresce 9,7% e atinge R$ 11 bi em janeiro, diz IRB

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade