Embaixador dos EUA afirma que Brasil terá de preservar Amazônia para entrar na OCDE

“O tema ambiental é importante também para esta agenda (de entrada) da OCDE”, disse Todd Chapman
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Conteúdo de quem vive de mercado

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Embaixador dos EUA afirma que Brasil terá de preservar Amazônia para entrar na OCDE; invistaja.info;


COGN3 | P/Cap.Giro: 1.92 | P/L: -1.33 | Mrg.Ebit: -0.1168 | P/EBIT: -12.54 | P/VP: 0.58 | Cotacao: 4.11

Diante de uma seleta plateia virtual com nomes de peso do empresariado e ex-ministros de diferentes governos, o embaixador americano no Brasil, Todd Chapman, foi bastante taxativo: a preservação da Amazônia é um tema fundamental para as negociações entre o Brasil e os Estados Unidos em várias frentes.

Em um ponto crucial, ele afirmou que este será um fator definidor para a provável entrada do País na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), movimento cobiçado pelo governo de Jair Bolsonaro desde 2019, e para o qual o Brasil conseguiu apoio formal do governo de Donald Trump no início de 2020. Com a chegada do democrata Joe Biden à Casa Branca, o Brasil terá de mostrar resultados.

“O tema ambiental é importante também para esta agenda (de entrada) da OCDE”, disse Chapman na noite deste domingo (11), em live promovida pelo grupo Parlatório, que reúne economistas, empresários e advogados. A resposta veio a uma pergunta de Joaquim Levy, ex-ministro da Fazenda e hoje diretor de estratégia econômica e relações com mercados do Banco Safra.

+Samarco, joint venture entre Vale e BHP, entra com pedido de recuperação judicial

Levy era um dos nomes importantes que acompanharam a live. Do setor financeiro, Sylvia Coutinho, chefe do UBS no Brasil e da área de gestão de fortunas na América Latina, estava entre os presentes. Também acompanharam a transmissão – e fizeram perguntas – nomes como o ex-ministro do desenvolvimento e atual presidente do conselho do Lide, Luiz Fernando Furlan, e o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro. Entre os que apenas assistiram esteve Wilson Ferreira Jr., presidente da BR Distribuidora. Mais de 100 pessoas chegaram a acompanhar a transmissão.

A preservação da Amazônia foi colocada por Chapman como o principal ponto de atenção em vários temas da relação Brasil-EUA. Perguntado sobre a possibilidade de um acordo de livre comércio entre os dois países, por exemplo, ele afirmou que o tema ambiental precisa ser “trabalhado” pelo Brasil antes de qualquer discussão, assim como leis trabalhistas e questões de direitos humanos e dos povos indígenas. “O Brasil é estratégico para a agenda de meio ambiente do presidente Biden”, afirmou.

Nesta agenda, porém, o diplomata considerou que o compromisso deve vir não apenas do governo brasileiro, mas também do setor privado, que precisa inclusive investir na preservação ambiental. “A solução (para a Amazônia) não é mais investimento do governo, mas do setor privado”, afirmou. “O setor privado não vai querer pagar a conta de quem está se aproveitando ilegalmente da Amazônia.”

Ainda nas relações econômicas bilaterais, o embaixador disse que o governo americano acompanha as discussões a respeito da reforma tributária no Brasil, e que há grande interesse das empresas americanas em um acordo entre os dois países sobre a tributação de suas receitas nos dois mercados. “Antes de chegar ao Brasil essa questão da dupla tributação foi o pedido nº 1 do setor privado norte-americano, e um tratado vai ajudar esses US$ 145 bilhões de investimento que estão aqui, mas essa é uma questão que passa por vários temas técnicos”, afirmou.

hotWords: afirma terá ocde brasil preservar

Anuncie no invistaja.info

Vacinação

Uma pergunta frequente da plateia virtual foi a respeito da possível destinação ao Brasil de vacinas contra a covid-19 que os EUA compraram, mas que não estão usando – como a de Oxford/AstraZeneca, que ainda aguarda a aprovação em solo norte- americano, mas que foi adquirida pela Casa Branca. Chapman evitou assumir compromissos, mas admitiu que há negociações a respeito. “Diplomatas em Washington têm avaliado a questão das vacinas para ajudar ao Brasil. Já falei com o ministro da Saúde (brasileiro) e vamos continuar nesse diálogo.”

Chapman destacou que empresas americanas, como a Pfizer e a Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, já firmaram acordos para vender ao País 138 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Ele lamentou, porém, a demora no fechamento dos acordos. Nos dois casos, o governo fechou as compras apenas no primeiro trimestre de 2020, depois de vários outros países, o que postergou a entrega das doses. “Gostaria que esses contratos tivessem sido firmados antes, para já termos vacinas (no Brasil)”, disse.

O embaixador reiterou a previsão do governo americano de que toda a população adulta dos EUA será vacinada até o final de maio, o que não seria uma surpresa “quando se investe US$ 12 bilhões” em vacinas, em sua visão. Ele evitou, no entanto, maiores comentários a respeito da compra de vacinas pelo governo brasileiro.

Em outra resposta, Chapman afirmou ainda que não há decisões a respeito de “passaportes vacinais” para que quem tomou a Coronavac, que no Brasil, constitui a maior parte do programa de vacinação contra a covid, possa entrar nos EUA. A vacina, uma parceria entre a empresa chinesa Sinovac e o Instituto Butantan, não está aprovada para uso nos EUA.

Entenda o método para realizar análises e não se perder em momentos turbulentos. A série gratuita One Good Trader, com Gilberto Coelho, te ensina como – inscreva-se!

palavras-chave: Embaixador dos EUA afirma que Brasil terá de preservar Amazônia para entrar na OCDE; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | economia | invistaja.info – Embaixador dos EUA afirma que Brasil terá de preservar Amazônia para entrar na OCDE

REFLEXÃO: Tim Hanson, da Motley Fool: Compre ações impressionantes por preços que não refletem sua grandiosidade.

Notícias relacionadas:

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira – 12/4

China aplica multa de US$ 2,8 bilhões ao Alibaba

CPI da Covid, Orçamento, estreias na Bolsa e PIB da China: o que acompanhar nesta semana

Grupo Educação Metodista se prepara para pedir recuperação judicial

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.