Governo fixa meta de déficit primário de R$ 170,5 bi para 2022 em projeto da LDO

O rombo anual é inferior ao déficit fixado como meta para este ano, de R$ 247,1 bi, cujo cumprimento já é posto em dúvida
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para o trader investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Governo fixa meta de déficit primário de R$ 170,5 bi para 2022 em projeto da LDO; invistaja.info;


HAPV3 | DY: 0.0039 | Div.Brut/Pat.: 0.27 | EV/EBITDA: 27.67 | Liq.2meses: 187810000.0 | ROE: 0.1001 | P/ACL: -25.67

BRASÍLIA (MarketMsg) – Em meio às incertezas que cercam as contas públicas neste ano, a equipe econômica definiu nesta quinta-feira uma meta de déficit primário de 170,474 bilhões de reais para o governo central em 2022, segundo projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) enviado ao Congresso.

O rombo anual –que será o nono consecutivo do governo central– é inferior ao déficit fixado como meta para este ano, de 247,1 bilhões de reais, cujo cumprimento já é posto em dúvida diante das pressões por gastos em meio à pandemia.

No projeto da LDO, que estabelece os parâmetros para a preparação do Orçamento do ano seguinte, o governo indicou ainda déficits primários de 144,972 bilhões de reais em 2023 e de 102,204 bilhões de reais para 2024. Os saldos não incluem despesas com juros e se referem às contas do Tesouro, Previdência e Banco Central.

+Ações de Vale e siderúrgicas voltam a subir com minério, bancos avançam seguindo EUA e JBS tem alta de 3%

A LDO de 2021, aprovada pelo Congresso no fim do ano passado, previu déficits de 178,93 bilhões de reais para o governo central em 2022 e de 150,13 bilhões de reais para 2023, números agora revisados.

A nova meta para o ano que vem levou em conta uma projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,2% para 2021 e de 2,5% para o ano que vem e também para 2023 e 2024. Esses parâmetros já haviam sido divulgados pela Secretaria de Política Econômica no mês passado.

hotWords: primário déficit projeto para 2022

Publique seu negócio no invistaja.info

Para a relação dívida bruta/PIB, a projeção do governo é que chegue a 86,7% em 2022 (ante projeção anterior de 94,71%), 87,3% em 2023 (95,48% antes) e 88,1% em 2024.

A divulgação do projeto da LDO se dá sem que o presidente Jair Bolsonaro tenha sancionado ainda o Orçamento de 2021, que foi considerado inexequível na forma como aprovado pelo Congresso, com subestimativa de despesas obrigatórias.

O impasse, ainda sem solução clara, agravou as preocupações com o quadro fiscal, que já era cercado de incertezas diante das demandas por gastos com o enfrentamento da crise de saúde e econômica gerada pela pandemia da Covid-19, que tem provocado recordes de casos de contaminação e mortes no país.

Quer entender o que é o mercado financeiro e como ele funciona? Assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.

palavras-chave: Governo fixa meta de déficit primário de R$ 170,5 bi para 2022 em projeto da LDO; invistaja.info;

CALIFORNIA | mercados | invistaja.info – Governo fixa meta de déficit primário de R$ 170,5 bi para 2022 em projeto da LDO

REFLEXÃO: Morgan Housel: Se preocupe somente quando você achar que tiver tudo resolvido.

Tópicos mais acessados:

Magazine Luiza ganha queda de braço com o Mercado Livre no Cade

Ex-CEO da Braskem se declara culpado em caso de US$ 250 milhões

CEO da Pfizer diz que uma terceira dose da vacina pode ser necessária dentro de 12 meses

Hering volta aos holofotes após negar fusão com Arezzo: quais os caminhos possíveis para as empresas?

Publique seu negócio no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade