Guedes volta a defender novo imposto nos moldes da extinta CPMF

Para Guedes, as pessoas são contra esse imposto por causa da “economia de drogas, de corrupção e do tráfico de armas”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para traders e investidores

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Guedes volta a defender novo imposto nos moldes da extinta CPMF; invistaja.info;


WLMM3 | Liq.2meses: 19900.0 | Div.Brut/Pat.: 0.02 | P/VP: 2.97 | P/Ativo: 2.284 | EV/EBITDA: 14.51 | PSR: 1.167

ListenToMarket: Guedes volta a defender novo imposto nos moldes da extinta CPMF – Áudio gerado às: 7:0:18

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a defender um imposto sobre transações financeiras (nos moldes da extinta CPMF) para compensar a desoneração da folha de pagamento.

“Esse imposto sobre pagamento não é declaratório, não tem que preencher papel, não tem que pagar advogado, ninguém está isento. Falam que ele é regressivo, cruel, mas não é. Se todo trabalhador que ganha R$ 1.500 receber um aumento de R$ 1,50, já compensa essa incidência do tributo”, afirmou, em evento virtual organizado pelo empresário Abílio Diniz.

Para Guedes, as pessoas são contra esse imposto por causa da “economia de drogas, de corrupção e do tráfico de armas”. “Todo mundo pagaria e as digitais poderiam ficar em transações bancárias, e aí o próprio banco fica apavorado e diz que vai destruir o sistema de intermediação financeira. O banco quer beber dessa água sozinha”, argumentou.

+Governo quer política permanente de flexibilização de trabalho, confirma Guedes

palavras-chave: Guedes volta a defender novo imposto nos moldes da extinta CPMF; invistaja.info;

FARIA LIMA | economia | invistaja.info – Guedes volta a defender novo imposto nos moldes da extinta CPMF

REFLEXÃO: Eddy Elfenbein, dono do site Crossing Wall Street: Seja paciente e ignore modismos. Foque no valor e não entre em pânico.

Notícias relacionadas:

Guedes diz acreditar que Congresso pode aprovar reformas ainda neste ano

Fed começará a elevar juros no final de 2022 ou começo de 2023, prevê FMI

Comissão de Ética em Pesquisa aprova início de testes com a ButanVac

Governo quer política permanente de flexibilização de trabalho, confirma Guedes

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.