Publicidade

IGP-10 de dezembro cai 0,14% ante alta de 1,19% em novembro, revela FGV

Café em grão e óleo diesel foram os vilões da inflação no atacado em 2021
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de investidor para investidor

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: IGP-10 de dezembro cai 0,14% ante alta de 1,19% em novembro, revela FGV; invistaja.info;


CEPE6 | Pat.Liq: 1890000000.0 | ROE: 0.2287 | Mrg.Ebit: 0.1256 | P/Cap.Giro: -4.8 | DY: 0.1087 | Liq.2meses: 9898.37

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) caiu 0,14% em dezembro, após ter avançado 1,19% em novembro, informou nesta quarta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com isso, o IGP-10 encerrou 2021 com alta de 17,30% ante um avanço de 24,16% em 2020.

O resultado de dezembro ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam de uma queda de 0,91% a uma alta de 0,15%, mas o recuo veio menos intenso do que a mediana das estimativas, de 0,25%.

Já o resultado fechado de 2021 ficou acima da mediana das projeções coletadas, uma alta de 17,18%, obtida do intervalo de 16,39% a 17,65%.

+Inflação ao consumidor na Argentina sobe 2,5% na base mensal e 51,2% na anual

Quanto aos três indicadores que compõem o IGP-10, em dezembro, os preços no atacado medidos pelo IPA-10 tiveram queda de 0,51%, ante uma alta de 1,31% em novembro. Os preços ao consumidor verificados pelo IPC-10 apresentaram aumento de 1,08% em dezembro, após o avanço de 0,79% em novembro. Já o INCC-10, que mede os preços da construção civil, teve alta de 0,54% em dezembro, depois de subir 0,95% em novembro.

O período de coleta de preços para o indicador de novembro foi do dia 11 de novembro a 10 deste mês.

“Vilões” em 2021

A seca e as geadas de meados do ano e a elevação das cotações internacionais do petróleo fizeram dos preços da cana-de-açúcar, do café em grão e do óleo diesel os vilões da inflação no atacado em 2021, conforme os dados do IGP-10 de dezembro. O IGP-10 é o primeiro dos IGPs da FGV a ter dados fechados para o ano.

A alta de 17,30% em 2021, abaixo dos 24,16% de 2020, foi puxada pelo IPA-10, que mede os preços do atacado e fechou o ano com alta de 19,72%.

“Entre os itens que mais desafiaram a inflação ao produtor estão produtos cujas safras foram afetadas pela seca (cana-de-açúcar 57,55%), pelas geadas (café em grão 148,05%) e pelos avanços do preço do petróleo (diesel 82,82%)”, diz a nota divulgada pela FGV.

O quadro só não foi pior porque o ano acabou fechando com queda nas cotações de outras “commodities”. Os preços do minério de ferro (-24,27%), do farelo de soja (-15,49%) e do arroz em casca (-36,85%), todos no atacado, fecharam 2021 com deflação.

Embora tenham sido vilões em 2021, os preços dos combustíveis mostraram alguma sinal de arrefecimento no atacado.

O avanço no subgrupo “combustíveis para o consumo” passou de 8,48% em novembro para 2,69% em dezembro. Também houve alívio no minério de ferro (1,23% para -19,28%), soja em grão (-1,39% para -3,41%) e aves (-0,03% para -4,95%).

hotWords: novembro, dezembro 0,14% ante igp-10

Seja anunciante no invistaja.info

Apesar da desaceleração na alta dos preços de combustíveis no atacado em dezembro, seguiram pressionando a inflação ao consumidor.

Na taxa de 1,08% no IPC-10 de dezembro, três das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação: Educação, Leitura e Recreação (0,05% para 2,61%), Habitação (0,36% para 0,77%) e Transportes (2,17% para 2,49%).

A gasolina subiu 5,50% este mês, após 5,09% antes. A conta de luz também pesou mais, com elevação de 1,86%, ante 0,06% em novembro.

Na contramão, houve alívio em cinco das oito classes de despesa, incluindo nos preços de alimentos. Arrefeceram os grupos Alimentação (0,81% para 0,59%), Vestuário (0,87% para 0,19%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,29% para 0,12%), Comunicação (0,33% para 0,08%) e Despesas Diversas (0,27% para 0,16%) com decréscimo em suas taxas de variação. Hortaliças e legumes arrefeceram de 11,38% em novembro para 1,20% em dezembro.

IPAs

Os preços agropecuários mensurados pelo IPA agrícola caíram 0,11% no atacado em dezembro, após uma queda de 1,56% em novembro, dentro do IGP-10. Já os preços dos produtos industriais – medidos pelo IPA Industrial – tiveram queda de 0,67% este mês, depois da alta de 2,53% no atacado em novembro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram alta de 1,29% em dezembro (elevação de 1,29% também em novembro).

Os preços dos bens intermediários subiram 0,42% em dezembro, após alta de 3,71% no mês anterior. Já os preços das matérias-primas brutas caíram 3,78% em dezembro, depois da queda de 0,98% em novembro.

palavras-chave: IGP-10 de dezembro cai 0,14% ante alta de 1,19% em novembro, revela FGV; invistaja.info;

FARIA LIMA | economia | invistaja.info – IGP-10 de dezembro cai 0,14% ante alta de 1,19% em novembro, revela FGV

REFLEXÃO: Michael Kitces, conselheiro financeiro: Invista pensando no longo prazo, não especule, mas, não ignore as flutuações do mercado.

Veja também:

China: produção industrial fica um pouco acima do esperado em novembro, mas varejo decepciona

Prévia do PIB do BC, IBC-Br cai 0,40% em outubro frente setembro

Minério de ferro perde terreno e cai com foco em produção de aço na China

Covid-19: Brasil registra 12º caso da variante Ômicron

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade