Índices futuros americanos têm leve queda após sessões de alta; exportações da China sobem menos do que o esperado

O índice S&P está a apenas 0,2% de distância de bater seu recorde, mas opera em território negativo nesta segunda, assim como o Dow e o Nasdaq
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de investidor para investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Índices futuros americanos têm leve queda após sessões de alta; exportações da China sobem menos do que o esperado; invistaja.info;


UNIP5 | Pat.Liq: 2074060000.0 | P/VP: 4.83 | ROE: 0.3555 | P/Cap.Giro: 9.74 | P/L: 13.57 | ROIC: 0.3626

ListenToMarket: Índices futuros americanos têm leve queda após sessões de alta; exportações da China sobem menos do que o esperado – Áudio gerado às: 7:20:46

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

Os índices futuros americanos têm em sua maioria quedas nesta segunda-feira (7), em correção após últimas sessões de alta com menores temores sobre a inflação e maior otimismo em relação à reabertura da economia nos Estados Unidos. Até 5 de junho, o país havia vacinado 50,91% de sua população, de acordo com dados oficiais compilados pelo site Our World in Data.

O índice S&P está a apenas 0,2% de distância de bater seu recorde, mas opera em território negativo nesta segunda, assim como o Dow e o Nasdaq. Na semana passada, o S&P subiu 0,6%, acumulando alta de mais de 12% no acumulado do ano.

A semana passada foi marcada pela volatilidade de “ações-meme” nas bolsas americanas, que chegaram a registrar grandes ganhos impulsionados por compras coordenadas por investidores organizados em comunidades na internet. Mas, no acumulado da semana, ações-meme como GameStop, AMC e BlackBerry fecharam com recuos.

+G7 fecha “acordo histórico” sobre criação de imposto global

Na sexta-feira, o relatório de empregos nos Estados Unidos indicou a queda da taxa de desemprego nos Estados Unidos de 6,1% para 5,8%, com a criação de 559 mil empregos em maio.

Assim, o relatório foi visto como forte o suficiente para manter a confiança dos investidores na economia, mas fraco o suficiente para impedir que o Federal Reserve se apressasse em alterar sua política.

Nesta semana, investidores aguardam dados sobre inflação. Na quinta, será divulgado o CPI (sigla em inglês para Índice de Preços ao Consumidor) relativo a maio. Em abril, o índice subiu 4,2% em comparação com o patamar do ano anterior, a maior alta desde 2008. Se os preços continuarem a subir neste patamar, podem fazer com que o Federal Reserve altere suas políticas.

Durante o final de semana, o G7, conjunto de nações mais industrializadas do mundo, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, atingiu um acordo sobre uma reforma fiscal, defendendo que corporações paguem ao menos 15% de imposto sobre seus rendimentos.

Este patamar fica abaixo da sugestão inicial de 21% da gestão do presidente dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden. Grandes companhias, como Google e Facebook, responderam positivamente ao acordo.

hotWords: china após exportações queda americanos sessões alta;

Seja anunciante no invistaja.info

As bolsas asiáticas fecharam com desempenhos variados entre si na segunda-feira. Investidores reagem à divulgação de dados sobre a balança comercial na China, relativos a maio.

As exportações da China em dólares subiram 27,9% no mês em comparação com o ano anterior, abaixo da expectativa de alta de 32,1%, segundo analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters.

O Shanghai composto subiu 0,21%, enquanto que o componente Shenzhen teve uma leve oscilação negativa, a 14.862,6 pontos, ambos da China continental; o índice Hang Seng Index, de Hong Kong, caiu 0,55%; o Nikkei, do Japão, subiu 0,27%; o Kospi, da Coreia do Sul, fechou com alta de 0,37%.

As bolsas europeias têm leves altas nesta segunda. O índice Stoxx Europe 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,1%. Ações dos setores automotivo e de mídia têm as melhores performances, com altas de 0,7%. O setor de recursos básicos tem os piores resultados, recuando cerca de 0,5%.

Veja o desempenho dos principais índices às 6h50 (horário de Brasília):*S&P 500 Futuro (EUA), -0,19%*Nasdaq Futuro (EUA), -0,45%*Dow Jones Futuro (EUA), estávelEuropa*FTSE (Reino Unido) +0,25%*Dax (Alemanha), -0,01%*CAC 40 (França), -0,01%*FTSE MIB (Itália), +0,46%Ásia*Nikkei (Japão), +0,47% (fechado)*Hang Seng Index (Hong Kong), -0,45% (fechado)*Kospi (Coreia do Sul), +0,37% (fechado)*Shanghai SE (China), +0,21% (fechado)Commodities e bitcoin*Petróleo WTI, -0,589%, a US$ 69,21 o barril*Petróleo Brent, -0,63% a US$ 71,44 o barril*Bitcoin +0,34%, a US$ 36.312,86**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 4,4%, cotados a 1118 iuanes, equivalente hoje a US$ 174,76 (nas últimas 24 horas).USD/CNY = 6,40

palavras-chave: Índices futuros americanos têm leve queda após sessões de alta; exportações da China sobem menos do que o esperado; invistaja.info;

BRASIL | mercados | invistaja.info – Índices futuros americanos têm leve queda após sessões de alta; exportações da China sobem menos do que o esperado

REFLEXÃO: Michael Kitces, conselheiro financeiro: Invista pensando no longo prazo, não especule, mas, não ignore as flutuações do mercado.

Saiba mais:

IPCA, CPI da Covid, dados da China e emprego nos EUA: o que acompanhar nesta semana

Com US$ 1 bilhão no bolso, quais são os planos do Kaszek Ventures para as startups brasileiras?

Brasil registra 37,9 mil novos casos de Covid-19 e mais 1,4 mil mortes

G7 fecha “acordo histórico” sobre criação de imposto global

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.