invistaja.info | Informação p/ quem vive o mercado

Publicidade

Juros altos do Fed não impediram economia de crescer. Os mais ricos explicam o motivo

Taxas não estão prejudicando tanto os norte-americanos que possuem ativos, como imóveis e ações

Negociando na bolsa de valores

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Edição invistaja.info e MarketMsg

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

palavras-chave: Juros altos do Fed não impediram economia de crescer. Os mais ricos explicam o motivo; invistaja.info;

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info


CYRE3 | ROIC: 0.0625 | P/EBIT: 9.62 | PSR: 1.38 | EV/EBITDA: 11.49 | Pat.Liq: 7690340000.0 | Mrg.Liq.: 0.1768

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Mais de dois anos depois de o Federal Reserve ter começado a aumentar as taxas de juros para conter o crescimento e controlar a inflação, empresas continuam contratando, consumidores continuam gastando e decisores políticos questionam por que os aumentos não tiveram um impacto mais agressivo.É provável que a resposta resida em parte em uma realidade simples: as altas taxas de juros não estão prejudicando tanto os norte-americanos que possuem ativos, como imóveis e ações, como muitos economistas imaginariam que aconteceria.Algumas pessoas estão claramente sentindo a pressão da política do Fed. As taxas dos cartões de crédito dispararam e o aumento da inadimplência nos empréstimos para a aquisição de automóveis sugere que pessoas com rendimentos mais baixos estão enfrentando dificuldades.

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

+Itaú (ITUB4) lucra R$ 9,77 bilhões no primeiro trimestre, alta anual de 15,8%

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

No entanto, para muitas pessoas dos grupos de rendimentos médios e altos – especialmente aquelas que são proprietárias de imóveis ou que conseguiram hipotecas baratas quando as taxas estavam baixas – este é um momento econômico bastante favorável. De modo geral, os valores de seus imóveis se mantêm estáveis, apesar das taxas mais elevadas. Além disso, os índices de ações estão oscilando em torno de seus pontos máximos históricos, e muitas pessoas estão obtendo juros significativos sobre suas economias pela primeira vez em décadas.Como muitos norte-americanos estão se sentindo confortáveis com suas finanças pessoais, eles também têm continuado a abrir suas carteiras para tirar férias, comprar ingressos para shows, fazer compras de Natal e pagar por outros bens e serviços. O consumo se manteve surpreendentemente alto, mesmo depois de dois anos de campanha do Fed para arrefecer a economia. Isso sugere que os ajustes das taxas de juros do Fed, que sempre demoram para surtir efeito, parecem estar demorando ainda mais para dar frutos desta vez.

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

“Em geral, as finanças das famílias ainda parecem sólidas, embora exista um grupo que esteja sofrendo com as altas taxas de juros”, explicou Karen Dynan, economista de Harvard e ex-economista-chefe do Departamento do Tesouro. “Há muitas famílias nos níveis médio e alto da distribuição que ainda têm muitos recursos para gastar.”O Fed se reunirá em Washington em breve, proporcionando às autoridades outra oportunidade de discutir a economia e planejar o próximo passo em relação às taxas de juros. O que se espera é que os decisores políticos mantenham as taxas inalteradas e não divulguem projeções econômicas nesta reunião. Porém, Jerome Powell, presidente do Fed, participará de uma coletiva de imprensa depois de o banco central divulgar sua decisão sobre as taxas na tarde de quarta-feira. A ocasião representará uma oportunidade para o Fed comunicar seu entendimento a respeito da recente evolução da inflação e do crescimento.As autoridades aumentaram as taxas de juros para cerca de 5,33%, depois de elas terem caído a quase zero no início de 2022. Esses aumentos nas taxas de política monetária do banco central têm se refletido nos mercados, resultando em um aumento das taxas de cartão de crédito e nos custos dos empréstimos para a aquisição de automóveis. Além disso, contribuíram para elevar as taxas das hipotecas com termos de 30 anos para cerca de 7%, isso comparado a menos de 3% logo após o início da pandemia do coronavírus.Mas as taxas elevadas não afetaram a todos igualmente.Uma análise de dados governamentais realizada pela Redfin revela que cerca de 60% dos mutuários estão com taxas inferiores a 4%. Isto porque muitos ficaram com baixos custos de financiamento quando o Fed reduziu as taxas para o mínimo durante a recessão de 2008 ou no início da pandemia de 2020. Muitos desses proprietários de imóveis estão evitando se mudar.Em combinação com uma moderação na construção, esse movimento criou uma oferta limitada de imóveis, o que significa que, embora as elevadas taxas de juros tenham freado a demanda, os preços das casas oscilaram apenas ligeiramente após grande crescimento durante a pandemia. Nos principais mercados, os preços dos imóveis subiram cerca de 46% em relação aos preços praticados em 2020. Os novos dados sobre os preços da habitação divulgados na terça-feira mostraram uma recuperação inesperadamente forte.Em movimento simultâneo, os preços das ações se recuperaram desde o final de 2023, em parte porque os investidores pensaram que o Fed tinha parado de aumentar as taxas e em parte porque se sentiam otimistas quanto às perspectivas de longo prazo para as empresas, à medida que novas tecnologias como a inteligência artificial alimentavam a esperança.O resultado é que a riqueza das famílias, que no início encolheu devido aos aumentos iniciais da taxa do Fed em 2022, agora está atingindo novos patamares para as pessoas na metade superior da distribuição. Isto acontece quando o desemprego está muito baixo e o crescimento dos salários está sólido, o que significa que as pessoas estão recebendo mais dinheiro todos os meses para custear as suas despesas.“Durante o ano passado, fomos surpreendidos” pela resiliência da economia, disse Gennadiy Goldberg, estrategista de taxas da TD Securities. Segundo ele, a grande questão agora é se as taxas estão simplesmente baixas demais para pesar na economia dos EUA ou se estão só demorando mais para ter efeito e se traduzirem em crescimento mais lento.“É provável que o que tenha mudado um pouco seja mais uma questão de entrada em efeito”, analisou Goldberg.Mesmo com uma economia forte, as coisas não parecem boas para todos. A inadimplência nos cartões de crédito e nos empréstimos para aquisição de automóveis tem aumentado, um sinal claro de que algumas famílias estão enfrentando dificuldades financeiras. Com base na análise do Fed de Nova Iorque, as gerações mais jovens e as pessoas das faixas de baixos rendimentos parecem estar impulsionando a tendência.Katie Breslin, 39, se beneficiou e também sofreu com a política das taxas nos últimos anos. Ela e a irmã compraram uma casa em Manchester, Connecticut, no período em que as taxas estavam perto do fundo do poço. Mas ela está fazendo pós-graduação e tem dívidas de empréstimos estudantis e de cartão de crédito, incluindo com um cartão que está com uma taxa de juros que recentemente foi redefinida para 32%. Isto está a deixando com menos rendimento disponível a cada mês, à medida que uma fatia maior do seu dinheiro está sendo utilizada para pagar juros.Quitar o saldo parece difícil, e despesas que antes pareciam razoáveis, como uma viagem em família à Irlanda que ela já pagou, agora parecem extravagâncias.“Parece quase irresponsável fazer isso agora”, ponderou Breslin sobre a viagem. Ela costumava pedir comida toda semana, mas agora faz isso uma vez por mês, se tanto.As taxas elevadas combinaram com a rápida inflação para minar a confiança dos norte-americanos na economia. Apesar do sentimento econômico global em declínio, muitas pessoas relatam sentir-se bem em relação à sua própria situação financeira. Os dados de pesquisas do Fed de Nova Iorque sugerem que pessoas em todas as faixas de distribuição de rendimentos ainda esperam que tanto os rendimentos familiares quanto as despesas aumentem nos próximos meses, e que as pessoas mais pobres estão ligeiramente mais otimistas do que as suas contrapartes mais ricas.Parte disso pode ser devido a outro aspecto incomum deste ciclo econômico. Embora as taxas de juros elevadas geralmente aumentem o desemprego, a resiliência da economia significa que isso não aconteceu desta vez. Há menos vagas de emprego, mas contratações continuam aceleradas e o desemprego está muito baixo.Por isso, as pessoas com rendimentos mais baixos, que frequentemente são mais vulneráveis à perda de emprego numa recessão, ainda estão trabalhando e ganhando dinheiro.O fato de muitas famílias ainda estarem gerindo a situação – e de algumas terem estado muito isoladas dos efeitos das taxas elevadas – poderia ajudar a explicar a resiliência da economia.No começo, os banqueiros centrais ignoraram a surpreendente robustez da economia porque a inflação estava caindo de qualquer maneira. No início do ano, eles projetavam que haveria três cortes nas taxas antes do final de 2024, e os investidores esperavam que essas reduções começassem em março.Mas, mais recentemente, a inflação estagnou acima da meta do Fed de 2%.A rigidez da inflação se deve, em parte, a um aumento contínuo dos custos dos serviços, que tendem a responder aos fundamentos econômicos, como ganhos salariais. Em suma, há indícios de que poderá ser necessário um verdadeiro abrandamento econômico para combater ainda mais a inflação.Isto levou muitos banqueiros centrais a sugerir que provavelmente manteriam as taxas de juros mais elevadas durante mais tempo do que esperavam anteriormente. Os investidores previram inicialmente que o Fed cortaria as taxas no início deste ano, mas agora acreditam que a primeira redução ocorrerá em setembro ou ainda depois.Por enquanto, a maioria dos banqueiros centrais sugere que a questão é que as taxas estão demorando para surtir efeito – e não que estejam baixas demais para abrandar a economia.“A política monetária restritiva continua pesando sobre a demanda, especialmente nas categorias de gastos sensíveis aos juros”, disse Powell em um discurso em abril.Para as pessoas que esperam um alívio nas taxas dos cartões de crédito e colocar os pés no mercado imobiliário, isso pode significar uma espera mais longa.

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

NYT: ©.2024 The New York Times Company

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

palavras-chave: Juros altos do Fed não impediram economia de crescer. Os mais ricos explicam o motivo; invistaja.info;

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

CALIFORNIA | economia | invistaja.info – Juros altos do Fed não impediram economia de crescer. Os mais ricos explicam o motivo

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

REFLEXÃO: Ben Carlson, autor de A Wealth of Common Sense – A riqueza do senso comum, em tradução livre: Menos é mais. O processo de investimento deve ser mais importante que os resultados. Comportamento correto na hora de investir é a chave.

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Veja também:

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Pague Menos (PGMN3) registra prejuízo de R$ 23,1 milhões no 1T24, 46,5% menor

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Itaú (ITUB4) lucra R$ 9,77 bilhões no primeiro trimestre, alta anual de 15,8%

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Juros: taxas sobem por cautela pré-Copom e dúvidas sobre ajuda ao RS

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

CCR (CCRO3) tem lucro ajustado de R$ 449 mi no primeiro trimestre, alta de 41,5%

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Publique seu negócio no invistaja.info

hotWords: explicam motivo economia mais juros

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

plugins premium WordPress