Mercado eleva projeção para inflação e PIB e vê Selic em 3,50% no fim do ano

A expectativa para a economia este ano passou de alta de 3,45% para elevação de 3,49%
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Brasil | invistaja –

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2021

palavras-chave: Mercado eleva projeção para inflação e PIB e vê Selic em 3,50% no fim do ano; invistaja.info;

Conforme o Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 25, a expectativa para a economia este ano passou de alta de 3,45% para elevação de 3,49%. Há quatro semanas, a estimativa também era de 3,49%. Para 2022, o mercado financeiro manteve a previsão do PIB em alta de 2,50%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

No Focus agora divulgado, a projeção para a produção industrial de 2021 passou de alta de 5,00% para 5,03%. Há um mês, estava em elevação de 5,00%. No caso de 2022, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 2,40% para 2,45%, ante 2,37% de quatro semanas antes.

+Feriado, ata do Copom, Fomc e prévia da inflação: o que acompanhar nesta semana

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2021 passou de 64,95% para 64,45%. Há um mês, estava em 66,60%. Para 2022, a expectativa seguiu em 66,60%, ante 68,30% de um mês atrás.

Déficit primário

O Relatório de Mercado Focus trouxe hoje manutenção na projeção para o resultado primário do governo em 2021. A relação entre o déficit primário e o PIB no ano passado seguiu em 2,80%. No caso de 2022, foi de 2,00% para 2,16%. Há um mês, os porcentuais estavam em 3,00% e 2,20%, respectivamente.

Já a relação entre déficit nominal e PIB em 2021 foi de 6,92% para 7,00%, conforme as projeções dos economistas do mercado financeiro. Para 2022, passou de 6,30% para 6,40%. Há quatro semanas, estas relações estavam em 7,00% e 6,25%, nesta ordem.

O resultado primário reflete o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Já o resultado nominal reflete o saldo já após as despesas com juros.

Balança comercial

Os economistas do mercado financeiro mantiveram a projeção para a balança comercial em 2021 na pesquisa Focus realizada pelo Banco Central, em superávit comercial de US$ 55,00 bilhões. Um mês atrás, a previsão era de US$ 55,10 bilhões. Para 2022, a estimativa de superávit foi de US$ 50,00 bilhões para US$ 49,30 bilhões. Há um mês, estava em US$ 48,90 bilhões.

No caso da conta corrente do balanço de pagamentos, a previsão contida no Focus para 2021 foi de déficit de US$ 19,41 bilhões para US$ 19,95 bilhões, ante US$ 15,00 bilhões de um mês antes. Para 2022, a projeção de rombo foi de US$ 29,55 bilhões para US$ 29,10 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 28,27 bilhões.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será suficiente para cobrir o resultado deficitário nestes anos. A mediana das previsões para o IDP em 2021 seguiu em US$ 60,00 bilhões. Há um mês, estava no mesmo patamar. Para 2022, a expectativa permaneceu em US$ 70,00 bilhões, igual a um mês antes.

Selic

Os economistas do mercado financeiro alteraram também suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2021. O Focus trouxe que a mediana das previsões para a Selic neste ano foi de 3,25% para 3,50% ao ano. Há um mês, estava em 3,13%.

No caso de 2022, a projeção foi de 4,75% para 5,00% ao ano, ante 4,50% de mês antes. Para 2023, seguiu em 6,00%, mesmo patamar de quatro semanas atrás. Para 2024, permaneceu em 6,00%, igual a um mês atrás.

Na semana passada, ao manter a Selic em 2,00% ao ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central preparou o terreno para possível elevação dos juros em 2021. Isso porque a instituição deu fim ao chamado “forward guidance” (ou prescrição futura, na tradução do inglês).

Adotado em agosto de 2020, o “forward guidance” era uma indicação técnica do BC de que não pretendia elevar os juros se a inflação seguisse sob controle e o risco fiscal não se alterasse. O problema é que, nos últimos meses, a inflação ao consumidor está mais salgada, puxada por aumentos de preços em itens como alimentos e energia.

Câmbio

Já para o câmbio, o Focus mostrou manutenção no cenário para a moeda norte-americana em 2021. A mediana das expectativas para o câmbio no fim período seguiu em R$ 5,00, valor igual ao de um mês atrás.

Já para 2022, a projeção dos economistas do mercado financeiro para o câmbio foi de R$ 4,90 para R$ 5,00, ante R$ 4,95 de quatro pesquisas atrás.

A projeção anual de câmbio publicada no Focus passou a ser calculada com base na média para a taxa no mês de dezembro, e não mais no valor projetado para o último dia útil de cada ano. A mudança foi anunciada neste mês pelo BC. Com a mudança, a autarquia espera trazer maior precisão para as projeções cambiais do mercado financeiro.

Inflação

Por fim, os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA – o índice oficial de preços – em 2021. O Focus mostra que a mediana para o IPCA este ano foi de alta de 3,43% para 3,50%. Há um mês, estava em 3,34%. A projeção para o índice em 2022 seguiu em 3,50%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2023, que seguiu em 3,25%. No caso de 2024, a expectativa foi de 3,22% para 3,25%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,25% e 3,20%, nesta ordem.

A projeção dos economistas para a inflação está abaixo do centro da meta de 2021, de 3,75%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). A meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%), enquanto o parâmetro para 2023 é de inflação de 3,25%, com margem de 1,5 ponto (de 1,75% a 4,75%).

(Com Agência Estado)

**Baixe de graça o ebook e participe do evento com os melhores especialistas do mercado:

BRASIL | economia | invistaja.info – Mercado eleva projeção para inflação e PIB e vê Selic em 3,50% no fim do ano

palavras-chave: Mercado eleva projeção para inflação e PIB e vê Selic em 3,50% no fim do ano; invistaja.info;

Veja também:

Feriado, ata do Copom, Fomc e prévia da inflação: o que acompanhar nesta semana

Wilson Ferreira Junior renuncia ao cargo de presidente da Eletrobras

Real mantém padrão e amarga pior desempenho no mundo com temor sobre economia

Com pandemia, sites de venda de produtos estrangeiros ganham espaço

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.