Nova proposta fixa “sublimite” para precatório

Ideia é partir do valor registrado em 2016 e, depois, aplicar mesma lógica de correção do teto de gastos, atualizando o limite pela inflação de 12 meses
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Investindo como um profissional

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Nova proposta fixa “sublimite” para precatório; invistaja.info;


BRSR6 | P/ACL: 0.0 | P/L: 5.57 | Mrg.Ebit: 0.0 | Div.Brut/Pat.: 0.0 | P/Ativo: 0.0 | Liq.Corr.: 0.0

ListenToMarket: Nova proposta fixa “sublimite” para precatório – Áudio gerado às: 9:30:24

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

Integrantes do Executivo, do Legislativo e do Judiciário costuram uma solução para o “meteoro” dos precatórios – na definição usada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes –, que envolveria a criação de um “sublimite” para esse tipo de despesa.

A ideia é partir do valor registrado em 2016 (R$ 30,3 bilhões) e, na sequência, aplicar a mesma lógica de correção do teto de gastos, isto é, atualizar o limite pela inflação de 12 meses.

Segundo cálculos obtidos pelo Estadão/Broadcast, essa fórmula resultaria em um limite de pagamento de R$ 39,943 bilhões em precatórios para 2022. O saldo restante (R$ 49,171 bilhões) ficaria para ser pago no Orçamento dos anos seguintes, já como prioridade para serem quitados antes. Hoje, a estimativa total para as dívidas judiciais em 2022 chega a R$ 89,1 bilhões.

+ESG deve ser estratégia da companhia e não iniciativa isolada, defendem executivos da JBS, Omega Geração e Aegea

A proposta vem sendo discutida entre Guedes, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, o vice-presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e integrantes do Congresso Nacional.

Segundo apurou a reportagem, há a avaliação de que essa solução não demandaria sequer a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Está em discussão a aprovação de uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ou do Senado estabelecendo as condições para o pagamento dos precatórios.

Leia também:• Precatórios e combustíveis unem governadores em resposta a Bolsonaro

O raciocínio é de que a regra atual, aprovada em 2013, é anterior à criação do teto de gastos, que é de 2016. Por isso, seria possível fazer uma regulamentação para compatibilizar as duas normas fiscais.

hotWords: proposta para precatório nova

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

A avaliação nos bastidores é de que o teto de gastos é uma regra para limitar despesas primárias e incentivar a boa gestão dos recursos públicos, enquanto os precatórios são um gasto sobre o qual o governo não tem controle direto.

Ontem, durante evento promovido pela corretora XP, o presidente do STF citou o que chamou de “microparcelamento” e confirmou que a fórmula, ainda embrionária, poderá ser objeto de um ato do CNJ.

No mercado financeiro ainda há críticas com o risco de o pagamento virar “bola de neve” e com o fato de que, com a solução, o volume de precatórios em 2022 ficaria R$ 17 bilhões abaixo do que o próprio governo previa (R$ 57 bilhões).

palavras-chave: Nova proposta fixa “sublimite” para precatório; invistaja.info;

CURITIBA | economia | invistaja.info – Nova proposta fixa “sublimite” para precatório

REFLEXÃO: James Early, do Motley Fool: Explore a fraqueza cognitiva dos outros

Notícias relacionadas:

Ibovespa Futuro sobe com expectativa por fala de Powell em Jackson Hole; dólar cai

Cielo é alvo de “fato relevante” falso sobre fechamento de capital e recomenda aos investidores checagem de informações

Banco do Brasil aprova R$ 527,136 milhões de remuneração aos acionistas em juros sobre o capital próprio

Rio passa a exigir certificado de vacina contra Covid-19 em alguns locais

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade