Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira – 10/6

Bolsas mundiais operam sem direção definida com investidores à espera de reunião do BCE e inflação nos EUA; confira os destaques
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de investidor para investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira – 10/6; invistaja.info;


BOBR4 | P/Cap.Giro: -2.72 | EV/EBIT: 12.35 | P/L: -47.53 | Cresc.5anos: 0.008 | P/EBIT: 8.46 | Liq.Corr.: 0.53

BRASIL | invistaja.info — A sessão desta quinta-feira (10) tem como destaque os dados de inflação nos Estados Unidos, que são acompanhados de perto pelos investidores em meio a uma discussão sobre possível redução das medidas de estímulos pelo Federal Reserve. A decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) também será divulgada.

No noticiário político, Rosa Weber, ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), a não comparecer à CPI da Covid. Além disso, pela decisão, Lima poderá ficar em silêncio se for à comissão.

Confira os destaques:

+Relator diz que Câmara tem força para resgatar jabutis em MP da Eletrobras

1.Bolsas mundiais

Os índices futuros americanos têm desempenhos variados nesta quinta-feira (10). As bolsas europeias têm tendência de quedas, após as asiáticas fecharem sem resultado definido.

Investidores do mundo todo aguardam a divulgação de dados relativos à inflação nos Estados Unidos, que devem ajudar a compreender se as pressões de preço são temporárias com o início da recuperação da economia após o impacto da pandemia. E se há perspectiva de que o Federal Reserve altere sua política quanto a juros e compra de títulos.

Na quarta-feira, os índices Dow, S&P 500 e Nasdaq recuaram, afastando-se de seus patamares recordes. O S&P está a 0,44% de seu patamar recorde, enquanto que o Dow e o Nasdaq estão a 2% de distância.

Novamente, a sessão foi marcada pela movimentação de “ações-meme”, que são alvo de compras coordenadas organizadas por investidores reunidos em comunidades nas redes sociais, como Clean Energy Fuels e Clover Health.

As ações da varejista americana de videogames GameStop caíram 10%, apesar do anúncio pela empresa de que o ex-executivo da Amazon, Matt Furlong, deverá ser seu próximo CEO. Apesar desta notícia ser considerada positiva, a Securities and Exchange Commission (que tem um papel próximo ao da Comissão de Valores Mobiliários no Brasil) realizou um pedido de informação sobre a empresa, e a GameStop ingressou com um pedido para a venda de 5 milhões de ações adicionais.

Os Estados Unidos publicarão dados sobre preços ao consumidor às 9h30. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperam que o CPI (sigla em inglês para Índice de Preços ao Consumidor) indique alta de 4,7% dos preços em maio na comparação anual, frente à alta de 4,2% registrada em abril.

Há semanas, os investidores vêm demonstrando preocupação sobre se a inflação irá levar o Federal Reserve a reduzir o seu ritmo de compra de ativos, ou então a sinalizar uma alta na taxa de juros. Até o momento, o Fed vem indicando que encara a aceleração da inflação como temporária, e que pretende manter as políticas vigentes.

As bolsas asiáticas fecharam em sua maioria com altas na quinta-feira. Na região, investidores também aguardam os dados sobre inflação nos Estados Unidos.

Na China continental, o componente Shenzhen subiu 1,19%, enquanto que o Shanghai composto subiu 0,54%; em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,1%; no Japão, o Nikkei recuou 0,34%; na Coreia do Sul, o Kospi subiu 0,26%.

As bolsas europeias têm desempenhos variados entre si. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, recua 0,09%. Ações do setor automotivo caem 1,4%, enquanto que aquelas dos setores de saúde e tecnologia sobem 0,5%.

Também na região investidores aguardam os dados sobre inflação nos Estados Unidos, além da reunião do Banco Central Europeu, marcada para esta quinta.

Parte dos investidores espera que a instituição reduza sua política de estímulos. Outros, que o banco mantenha a política atual devido à perspectiva econômica incerta, buscando evitar uma piora das condições do mercado financeiro.

Na reunião desta quinta, o Banco Central Europeu deve atualizar suas projeções trimestrais para inflação e crescimento, além de sua decisão sobre a taxa de juros, acompanhada de uma coletiva de imprensa. A decisão sobre a taxa de juros será divulgada às 8h45.

Além disso, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, se encontrará nesta quinta com o presidente americano, o democrata Joe Biden, como preparação do encontro do G7 em Cornwall, que se inicia na sexta-feira. O G7 é composto pelas sete economias mais industrializadas do mundo: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

Biden deve anunciar a doação de 500 milhões de doses de vacinas da Pfizer para mais de 100 países. O G7 pode combinar doação de mais de 1 bilhão de doses.

Ainda em destaque, China e EUA concordaram em avançar com ligações comerciais e de investimento durante conversa entre os ministros de comércio dos dois países, reforçando a perspectiva da retomada de relações mais próximas entre os países após a eleição de Biden.

2. Agenda

Às 8h45 o Banco Central Europeu divulga sua decisão de política monetária. A expectativa é de manutenção dos juros, com a taxa de depósito seguindo em patamares negativos de 0,5% e a taxa de juros no zero. Contudo, atenção para eventual modificação na comunicação sobre o ritmo do programa de compra de títulos.

Às 9h30 a instituição realiza uma coletiva de imprensa. Às 14h, Philip Lane, economista-chefe do BCE, realiza um pronunciamento.

Às 9h30 serão divulgados dados de pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, com expectativa, segundo projeção Refinitiv, de 370 mil pedidos. No mesmo horário será divulgada a inflação relativa a maio no país, medida pelo CPI, sigla em inglês para Índice de Preços ao Consumidor. A projeção, segundo consenso Refinitiv, é de alta de 0,4% na comparação com abril e de 4,7% frente maio de 2020. Às 15h será divulgado o balanço orçamentário federal, relativo a maio nos Estados Unidos.

Janet Yellen, secretária do Tesouro dos EUA, testemunha ao subcomitê de orçamento a programas internacionais da Câmara dos Representantes à 15h.

Às 20h50 é divulgado o índice BSI de Confiança dos Grandes Fabricantes, relativo ao segundo trimestre no Japão.

No Brasil, Rosa Weber, ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), a não comparecer à CPI da Covid. Além disso, pela decisão, Lima poderá ficar em silêncio se for à comissão. O depoimento de Lima, o primeiro de um governador à CPI, está marcado para esta quinta. O governador do Amazonas acionou o STF contra a convocação na última terça (8).

3. Covid no Brasil

Na quarta (9), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 1.727, queda de 2% em comparação com o patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 2.484 mortes.

As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias estaduais de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 58.239, queda de 8% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 86.854 casos.

Chegou a 51.846.929 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 24,48% da população. A segunda dose foi aplicada em 23.418.325 pessoas, ou 11,06% da população.

Na quarta, o Tribunal de Contas da União (TCU) afastou por 60 dias o auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva, e o proibiu de entrar no prédio do órgão ou acessar seu sistema eletrônico. Ele produziu e inseriu no último domingo no sistema da Corte um documento em que afirma que haveria uma supernotificação de mortes por Covid no Brasil. O levantamento não oficial foi inserido no sistema sem que constasse qualquer processo do órgão.

Horas depois, o texto foi citado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como uma suposta conclusão pelo TCU de que o número de vítimas da pandemia seria 50% menor. A Corte desmentiu o presidente, e afirmou que o documento é uma “análise pessoal” do servidor.

O caso será enviado à Polícia Federal para que seja aberto um inquérito para apurar a conduta de Figueiredo. O corregedor do TCU, ministro Bruno Dantas, afirmou que: “Se ficar comprovado que o auditor utilizou o cargo para induzir uma linha de fiscalização orientada por convicções políticas, será punido exemplarmente”.

hotWords: quinta-feira mercado movimentar assuntos

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Marques é auditor do TCU desde 2008, e é próximo de três filhos do presidente Jair Bolsonaro: Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Ainda segundo o jornal, Marques afirmou a seus chefes que seu pai, o coronel reformado Ricardo Marques, repassou as informações ao presidente, de quem é amigo. Segundo o jornal O Globo, Marques foi colega de turma de Jair Bolsonaro na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), e ganhou um cargo na Petrobras durante o governo atual.

Questionado sobre o assunto em Washington, Flávio Bolsonaro afirmou não se lembrar do auditor. “Não lembro quem é essa pessoa, de nome assim eu não estou lembrado”, disse. De acordo com o Estadão, em 2019 Marques foi indicado com ajuda de Eduardo Bolsonaro para uma diretoria do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), mas a nomeação foi barrada pelo então presidente do TCU, José Múcio.

Além disso, na quarta a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou o início da realização da pesquisa clínica da vacina Butanvac, do Instituto Butantan, para Covid-19. Antes de começar a fase de aplicação experimental da vacina em voluntários, o Butantan precisará apresentar informações complementares sobre testes em andamento.Conforme o comunicado, esta será a primeira vez que a Butanvac será aplicada em humanos e por isso serão conduzidas as fases clínicas 1 e 2.

No final de maio, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse na CPI da Covid do Senado que seria possível disponibilizar ao menos 40 milhões de doses do imunizante no último trimestre de 2021, caso os estudos clínicos sejam rapidamente concluídos e haja autorização da Anvisa.

O diretor do Butatan também já explicou que a ButanVac se baseia em uma tecnologia desenvolvida nos Estados Unidos, e será 100% produzida no Brasil, sem necessidade de importação de insumos e em uma fábrica do instituto que já existe.Na quarta, o Ministério da Saúde voltou a reduzir, pela quinta vez, sua estimativa para a entrega de vacinas no mês de junho. Até a semana passada eram previstas 39,9 milhões de doses; agora, são 37,9 milhões. Desde a previsão de 5 de maio, o ministério reduziu em 15 milhões de doses sua estimativa para junho. Para o mês de julho são previstas 35 milhões de doses.

Também na quarta, o presidente Jair Bolsonaro questionou a eficácia das vacinas contra Covid-19 durante um Culto Interdenominacional das Igrejas de Anápolis, em Goiás, na presença de fiéis e políticos. Bolsonaro chegou a afirmar erroneamente que as vacinas aplicadas no Brasil estão em fase experimental. “E eu pergunto: a vacina tem comprovação científica ou está em estado experimental ainda? Está experimental”, disse.

Falou à CPI da Covid no Senado Elcio Franco, ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde na gestão do general Eduardo Pazuello. O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), apontou oito contradições no depoimento, em síntese preparada pela sua equipe técnica.

Elcio Franco foi número 2 da gestão Pazuello, encarregado das negociações sobre vacinas com os laboratórios. À CPI, ele disse que uma lei de 1976 não permitia a aquisição de medicamentos sem aval da Anvisa. Mas a análise feita pelos técnicos da comissão entende que a mesma lei não impede a aquisição de imunizantes sem o aval do órgão.

Franco disse que não houve interrupção nas tratativas com vacinas após o presidente Jair Bolsonaro lançar dúvidas sobre a eficácia do imunizante CoronaVac e ordenar publicamente em outubro que se cancelasse o acordo para a compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa. Ela seria trazida para o Brasil por meio de uma parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo, quando Bolsonaro estava em uma disputa com o governador do estado, João Doria (PSDB).

A equipe de Renan Calheiros pontuou que o diretor-presidente do Butantan, Dimas Covas, havia dito que houve sim interrupção das tratativas após a fala do presidente e de declarações de Pazuello. Além disso, ofício do Ministério da Saúde, assinado pelo próprio Elcio Franco, mencionava “textualmente que não houve qualquer interesse ou negociação com o governo de São Paulo, que tem o Butantan a este vinculado”.

Franco afirmou também que o ministério se opôs ao memorando de entendimentos para a compra de vacinas da Pfizer, ressaltando que a assessoria técnica da pasta era contra a aquisição.

O governo brasileiro foi procurado desde abril de 2020 por representantes do laboratório norte-americano, queriam privilegiar o país nas tratativas para venda, mas as negociações só avançaram recentemente. Segundo reportagem publicada no domingo pelo jornal Folha de S. Paulo, até 70 milhões de doses poderiam ter sido entregues antes do final de 2020, se as negociações tivessem corrido mais rapidamente.

Na quarta, uma comissão da Câmara dos Deputados aprovou um convite para que o ministro da Defesa, general Walter Souza Braga Netto, preste esclarecimentos acerca da decisão da cúpula do Exército de não punir o ex-ministro da Saúde e general da ativa Eduardo Pazuello por participar de uma manifestação política com o presidente Jair Bolsonaro, no último dia 23 no Rio de Janeiro.

Inicialmente a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle tinha aprovado uma convocação de Braga Netto, quando a autoridade é obrigada a comparecer. Mas o pedido foi transformado em um convite, quando a presença é facultativa. O Exército é uma das três Forças Armadas subordinadas ao ministro da Defesa.

 

4. Crescimento da economia, inflação e passivo da União

A recuperação mais forte do que o esperado da economia brasileira deixou o país apenas 2% abaixo do patamar em que estaria caso a tendência de crescimento dos anos de 2017 a 2019 não tivesse sido interrompida pela recessão causada pela pandemia. A informação se baseia em cálculos da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, antecipados nesta quarta ao jornal Valor Econômico pelo subsecretário da área macroeconômica, Fausto Vieira.

Por outro lado, em evento remoto promovido pelo Brazil-Florida Business Council, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, afirmou na quarta-feira que o país enfrenta um cenário desafiador em termos inflacionários, e que é provável que a inflação registre um pico nos meses de junho e julho.

A inflação oficial do Brasil disparou em maio acima do esperado e atingiu o nível mais elevado para o mês em 25 anos sob pressão da energia elétrica, ultrapassando em 12 meses 8% num momento de atenção ao cenário inflacionário e de aperto da política monetária.O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou a alta a 0,83% em maio depois de subir 0,31% em abril, de acordo com os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados na quarta.

“No momento, temos alguns problemas com a inflação, eu entendo, e provavelmente a inflação atingirá o pico em junho e julho. No entanto, estamos trabalhando muito para que a inflação fique dentro da meta até o final do ano (…) Eu estou muito certo de que o Banco Central irá fazer sua parte para reduzir a inflação, e nós, aqui no governo, iremos fazer a mesma coisa”, afirmou Sachsida.

Ele defendeu o processo de consolidação fiscal como forma de ancorar expectativas e reduzir as projeções para a carestia. A meta oficial para este ano prevê uma inflação de 3,75%, com margem de 1,5 ponto percentual para cima ou baixo.

Segundo dados do Relatório Contábil do Tesouro Nacional, gastos para minimizar impactos da pandemia de Covid sobre a economia e para o pagamento de aposentadorias e pensões de militares no longo prazo fizeram com que o “passivo a descoberto” da União disparasse entre 2019 e 2020.

Em 2019, se todos os ativos do país como imóveis e empresas fossem vendidos para cobrir seu passivo, ainda haveria dívida de R$ 2,982 trilhões, valor que foi ampliado para R$ 4,445 trilhões em 2020. Somente em 2020, o governo desembolsou R$ 524 bilhões para bancar medidas de enfrentamento à Covid.

O patrimônio líquido da União é a diferença entre os ativos e direitos (como dinheiro em caixa, receitas a receber, participação em estatais e imóveis) menos as contas que precisa pagar (como dívidas, aposentadorias e passivos decorrentes de decisões da Justiça).

5. Radar corporativo

No radar da Vale, a Superintendência Regional do Trabalho de Minas Gerais afirmou que a barragem da mineradora chamada Xingu, na mina Alegria, em Mariana (MG), corre “grave e iminente risco de ruptura por liquefação”. A barragem, interditada desde março de 2020 pela Agência Nacional de Mineração (ANM), não recebe rejeitos de minério de ferro há mais de 20 anos, mas alguns trabalhadores ainda executam atividades no local, o que motivou a ação dos fiscais trabalhistas.

Já o Conselho de Administração da CM Hospitalar aprovou a emissão de R$ 800 milhões em debêntures para reforçar capital de giro e alongar dívidas.

A companhia de alimentos BRF anunciou na quarta-feira aporte de R$ 764 milhões para ampliar as instalações de suas unidades em Santa Catarina e Mato Grosso Sul. Segundo comunicado, R$ 643 milhões serão investidos nas unidades catarinenses de Capinzal, Concórdia e Videira, e outros R$ 121 milhões na planta de Dourados (MS).

A JBS USA, subsidiária da brasileira JBS nos Estados Unidos, confirmou em comunicado divulgado na quarta que pagou o equivalente a US$ 11 milhões em resposta a um ataque hacker contra suas operações. A maior produtora de carnes do mundo cancelou turnos em fábricas nos EUA e Canadá na semana passada, após ter sido afetada por um ciberataque que ameaçava interromper cadeias de ofertas e inflacionar os preços dos alimentos.

A Petrobras informou na quarta que suas vendas de diesel alcançaram 812 mil bpd (barris por dia) em maio, alta de 17,1% em relação a igual período do ano passado, que também registrou um novo recorde na comercialização de diesel S-10. A petroleira destacou em comunicado que, se comparado às vendas de maio de 2019 sem os impactos de demanda decorrentes da pandemia de Covid-19 o volume comercializado no mês passado apura crescimento de 12,7%. Por outro lado, o volume vendido em maio ficou abaixo do registrado em abril, quando a Petrobras reportou comercialização de 824 mil bpd.

Já a empresa de logística JSL informou a aquisição da Marvel Transportes por R$ 245 milhões, de forma a aumentar a atuação da companhia na entrega de cargas congeladas e refrigeradas de alto valor agregado.

 

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.

palavras-chave: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira – 10/6; invistaja.info;

BRASIL | mercados | invistaja.info – Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira – 10/6

REFLEXÃO: Tim Hanson, da Motley Fool: Compre ações impressionantes por preços que não refletem sua grandiosidade.

Saiba mais:

Bolsas mundiais operam sem direção definida com investidores à espera de reunião do BCE e inflação nos EUA

Grupo bipartidário nos EUA apresenta plano de US$ 1,249 tri para infraestrutura

“Brasileiros vieram da selva” e argentinos de barcos da Europa, diz Fernández

Mastercard e Ambev se desvinculam da Copa América no Brasil

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.