Publicidade

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira – 13/7

Bolsas mundiais operam sem sentido definido com investidores à espera de balanços nos EUA e dados de inflação; balança comercial da China e mais
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para o trader investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira – 13/7; invistaja.info;


AESB3 | Cotacao: 13.73 | ROE: 0.0 | Mrg.Liq.: 0.0 | Pat.Liq: 1872990000.0 | Liq.2meses: 11860400.0 | EV/EBITDA: -84154.2

ListenToMarket: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira – 13/7 – Áudio gerado às: 7:52:15

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

MARINGÁ | invistaja.info — As bolsas mundiais operam sem sentido definido na sessão desta terça-feira (13), com os investidores à espera do início da temporada de balanços do segundo trimestre em Wall Street, além dos dados de inflação ao consumidor no país. Enquanto isso, os investidores repercutem os dados da balança comercial da China, que surpreenderam positivamente ao mostrarem exportações acima do esperado.

Já no Brasil, o relator da reforma tributária, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), prometeu para hoje ao meio-dia uma versão inicial do seu relatório. O noticiário corporativo também é movimentado: entre os destaques, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Medida Provisória que permite a desestatização da Eletrobras. Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

+Argentina: entram em vigor novas restrições cambiais e dólar avança no paralelo

Os índices futuros americanos e as bolsas europeias operam sem sentido definido nesta terça (13) pela manhã, com investidores à espera da divulgação de resultados do segundo trimestre de bancos dos Estados Unidos.

Na segunda, o Dow subiu 126,02 pontos, a quase 35 mil pontos. O S&P ganhou 0,3% e o Nasdaq, 0,2%. JPMorgan e Goldman Sachs, que serão os primeiros a reportarem nesta terça, antes da abertura dos mercados, fecharam a segunda com altas de 1,4% e 2,3%, respectivamente. Bank of America, Citigroup, Wells Fargo e Morgan Stanley também fecharam o dia em altas.

No primeiro trimestre, a receita dos bancos subiu 138%, e a expectativa é de que a alta seja em torno de 100% no segundo trimestre. Espera-se que o S&P registre o crescimento mais forte em receita desde o quarto trimestre de 2009. Uma eventual frustração das expectativas quanto aos resultados dos bancos e suas guidances (documentos com previsões e planos) podem também levar a quedas dos mercados.

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, deve ir ao Congresso americano nesta semana para fazer atualizações sobre a política monetária. Ele vem afirmando que as políticas expansionistas do Fed devem se manter intactas até que haja mais progresso em direção a suas metas para emprego e inflação.

As bolsas asiáticas fecharam em sua maioria com altas nesta terça, após a divulgação de dados indicando alta de 32,2% nas exportações da China em junho em comparação com o mesmo período do ano anterior. A alta é muito maior do que a previsão de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters, de 23,1%.

Os dados também mostraram que as importações aumentaram 36,7% em junho na base anual, contra expectativa de 30% mas abaixo do ganho de 51,1% visto em maio, que representou a taxa mais alta de expansão em uma década.

A China ainda registrou superávit comercial de US$ 51,53 bilhões no mês passado, contra expectativa de excedente de US$ 44,2 bilhões e saldo positivo de US$ 45,54 bilhões em maio.

Na China continental, o Shanghai composto subiu 0,53%; em Hong Kong, o índice Hang Seng, sobe 1,63%; no Japão, o Nikkei fechou com alta de 0,52%; e na Coreia do Sul, o Kospi subiu 0,77%.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus oscila negativamente em 0,08%, com destaque negativo para ações do setor de saúde, que recuam 0,8%, enquanto que ações do setor de telecomunicações avançam 0,5%.

Também na Europa, investidores aguardam pela divulgação de resultados de grandes bancos dos Estados Unidos. A fabricante de carros VW deve divulgar nesta terça uma atualização de sua estratégia.

Na segunda, a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que a maior parte das pessoas infectadas pela variante delta de Covid não desenvolvem sintomas. Mas alertou que as hospitalizações estão aumentando em algumas partes do globo, principalmente naquelas em que a taxa de vacinação é baixa e em que a variante delta, que é especialmente contagiosa, está se propagando.

Veja o desempenho dos principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):Estados Unidos*Dow Jones Futuro (EUA), -0,07%*S&P 500 Futuro (EUA), +0,01%*Nasdaq Futuro (EUA), +0,34%Europa*FTSE 100 (Reino Unido), +0,1%*Dax (Alemanha), -0,05%*CAC 40 (França), -0,23%*FTSE MIB (Itália), -0,21%Ásia*Nikkei (Japão), +0,52% (fechado)*Shanghai SE (China), +0,53% (fechado)*Hang Seng Index (Hong Kong), +1,63% (fechado)*Kospi (Coreia do Sul), +0,77% (fechado)Commodities e bitcoin*Petróleo WTI, +0,526%, a US$ 74,49 o barril*Petróleo Brent, +0,57%, a US$ 75,61 o barril*Bitcoin, -1,77%, a US$ 33.258,8Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 3,29%, cotados a 1.225,0 iuanes, equivalente hoje a US$ 189,42 (nas últimas 24 horas).USD/CNY = 6,47

2. Agenda

Às 9h (horário de Brasília) são divulgados dados sobre o desempenho do setor de serviços, relativos a maio no Brasil, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A expectativa é de alta de 1,3% na comparação com abril e avanço de 22,6% na base anual.

Às 9h30 é divulgada a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor nos Estados Unidos, relativo a junho, com expectativa de avanço de 0,5% frente maio e avanço de 4,9% na comparação com junho de 2020. Às 13h, Raphael Bostic, membro do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc na sigla em inglês) do Federal Reserve realiza um discurso.

3. Covid e CPI 

Na segunda (12), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 1.297, queda de 20% em comparação com o patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 765 mortes. As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 44.705, queda de 31% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 18.824 casos.

Chegou a 84.630.519 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 39,97% da população. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 30.936.587 pessoas, ou 14,61% da população.

Na segunda, a Polícia Federal formalizou a abertura de inquérito contra o presidente Jair Bolsonaro por possível crime de prevaricação no caso envolvendo suspeitas de irregularidades nas negociações para a compra da vacina indiana contra Covid, Covaxin. O inquérito foi aberto pela PF depois que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou na terça-feira da semana passada a investigação para a corporação.

Com o inquérito, a Polícia Federal poderá vir a tomar o depoimento do chefe do Executivo, entre outras diligências a serem cumpridas no caso. Rosa Weber atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), cuja solicitação decorreu de notícia-crime enviada ao Supremo por senadores de oposição, que buscam a investigação da conduta de Bolsonaro.

De acordo com os parlamentares, o presidente não teria tomado providências após ser alertado pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) e pelo irmão dele, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, sobre supostas irregularidades nas tratativas para compra de doses do imunizante produzido pela Bharat Biotech e comercializado no Brasil por intermédio da Precisa Medicamentos.

O presidente tem afirmado que tomou providência sobre o caso, que se tornou um dos focos principais das investigações da CPI da Covid do Senado. Bolsonaro é alvo de outro inquérito no STF, aberto no ano passado para apurar se ele cometeu crime em uma suposta tentativa de interferir no comando da Polícia Federal.

O presidente negou na segunda que tenha cometido prevaricação no caso. Ele afirmou que encaminhou a denúncia para o então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, que não teria encontrado qualquer irregularidade. Bolsonaro se recusou a confirmar se mencionou o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), como suposto envolvido nas negociações da Covaxin, conforme relatado por Miranda.

Questionado em entrevista coletiva sobre a possibilidade de que a conversa que teve com o deputado e seu irmão tenha sido gravada, o presidente disse que tal gravação seria crime.

Nesta terça, a CPI da Covid ouve Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos, que é considerada central nas negociações para a compra da Covaxin pelo governo federal. Medrades chegou a pedir ao STF que não fosse obrigada a comparecer à CPI, mas o ministro Luiz Fux, presidente da Corte, rejeitou o pedido. Fux decidiu, no entanto, que a diretora tem o direito de não produzir prova contra si mesma.

Com depoimento marcado para quarta, o reverendo Amilton Gomes, que teria supostamente negociado 400 milhões de doses da AstraZeneca em nome do governo, apresentou um atestado médico no qual informa a “impossibilidade” de comparecer. Segundo o portal G1, o presidente da CPI, Osmar Aziz (PSD-AM), convocou Amilton para comparecer ao Senado nesta terça para passar por perícia. O atestado tem validade de 15 dias, contados a partir de 9 de julho.

Ainda no noticiário político, de acordo com coluna Radar, da Veja, mensagens do celular do cabo da Polícia Militar Luiz Paulo Dominguetti, em poder da CPI da Pandemia, mostram que o presidente Jair Bolsonaro teria tratado da compra de vacinas com o reverendo de forma não oficial.

Mauricio Zuma, diretor de Biomanguinhos, unidade produtora de vacinas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) afirmou à agência Reuters que a fundação não cumprirá o prazo de entrega de 100 milhões de doses da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 ao Programa Nacional de Imunização (PNI) até o final de julho, mas mantém o compromisso de encerrar o ano com 200 milhões de doses entregues e de enviar mais 180 milhões de doses do imunizante em 2022.

Até o momento, foram entregues 69,9 milhões de doses da vacina, sendo 65,9 milhões envasadas no Brasil pela Fiocruz e 4 milhões importadas prontas da Índia. Em entrevista à Reuters na sexta, Zuma disse que a marca de 100 milhões de doses entregues deve ser atingida no fim de agosto, um mês depois do previsto inicialmente.

hotWords: nesta 13/7 assuntos mercado

Seja anunciante no invistaja.info

4. Indicação ao STF, eleições e reforma tributária

O presidente Jair Bolsonaro oficializou por meio de ato publicado no “Diário Oficial da União” nesta terça a indicação do advogado-geral da União, André Mendonça, para a vaga de ministro do STF aberta com a aposentadoria do decano Marco Aurélio Mello. Agora, a indicação precisa ser referendada pelo Senado, onde há resistência a Mendonça. Segundo o jornal Valor Econômico, parlamentares do Centrão, base de apoio de Bolsonaro, preferem a indicação do procurador-geral da República, Augusto Aras.

Também na segunda, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, disse que as Eleições presidenciais serão realizadas em 2022, mesmo se não for aprovada pelo Congresso Nacional a proposta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro para se instituir a impressão do voto para as urnas eletrônicas. “As eleições serão realizadas”, garantiu Mourão, em entrevista à CNN Brasil. “Cumpro o meu papel pelo bem do Brasil. Mas Eleição vai haver, eu garanto”, assegurou.

Sem apresentar provas, o presidente Bolsonaro vem afirmando que o atual modelo com urnas eletrônicas seria passível de fraudes, e que o objetivo do uso do sistema vigente seria eleger o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem aparecido em primeiro em todas as pesquisas de intenção de voto ao Palácio do Planalto.

A declaração de Mourão ocorre após críticas contundentes de Bolsonaro a ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O presidente chegou a dizer que haveria o risco de não ocorrer Eleições no próximo ano se não for aprovado o que chama de “voto auditável”. Também sem apresentar provas, Bolsonaro levantou a hipótese de que houve fraude em Eleições passadas, sugeriu que o próximo pleito estaria comprometido. E chegou a dizer que não passaria a faixa ao vencedor, caso considere que a disputa não tenha ocorrido de forma limpa.

As falas do presidente causaram reação de autoridades do Judiciário e também do Congresso Nacional em defesa da democracia e do direito ao voto. Na segunda, Bolsonaro se reuniu com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Este afirmou após o encontro que ficou acertada uma reunião entre representantes dos três Poderes para estabelecer diretrizes que garantam os princípios e a estabilidade da democracia.

Mais tarde na segunda, Bolsonaro baixou o tom, e disse que, caso não consiga a aprovação do Congresso Nacional para a adoção do voto impresso nas próximas Eleições, partirá para a defesa da contagem pública da votação.

“Me acusam tanto de ser ditador… estou querendo transparência (…) Não é o retorno ao voto em papel, é uma maquininha que imprime o voto, você não tem contato manual com o papel, e cai dentro da urna. Queremos transparência, só isso”, afirmou.

Bolsonaro também disse ter assinado resposta ao TSE em que pede mais tempo para apresentar provas das supostas fraudes. Segundo ele, o especialista que iria fazer uma apresentação sobre o tema a ele nesta semana estaria acometido e debilitado por Covid-19.

De acordo com reportagem do jornal O Globo, Bolsonaro vem tendo dificuldades em se filiar ao Patriota, como pretendia, devido a divisões internas do partido e à queda de seu contingente mais fiel de apoiadores. Agora, o presidente cogita ingressar em legendas de sua base no Congresso, como Republicanos, PP e PL.

Além disso, segundo detalhamento de projeções divulgado pela Receita Federal na segunda-feira, a reforma do Imposto de Renda deve gerar aumento da arrecadação em 2022 de R$ 2,47 bilhões. De acordo com o documento, o valor passa a R$ 1,6 bilhão de reais em 2023 e chega a R$ 2,08 bilhões em 2024.

O maior impacto em 2022 vem da mudança no IR para o mercado financeiro, com resultado positivo de R$ 14,19 bilhões. Entretanto, nos dois anos seguintes, o resultado é praticamente neutro.

Ainda segundo a Receita, em 2022 as mudanças de taxação de dividendos, IRPJ e ajuste nas regras da CSLL das empresas resultarão em um ganho de R$ 900 milhões, saltando a R$ 18,43 bilhões e R$ 19,50 bilhões respectivamente nos dois anos seguintes.

Por outro lado, as mudanças na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física geram perda de R$ 13,50 bilhões no próximo ano, com os resultados negativos subindo a R$ 14,46 bilhões e R$ 15,44 bilhões em seguida.

Mas, também na segunda, o relator da reforma do Imposto de Renda, na Câmara afirmou que está “aperfeiçoando” o texto enviado pelo governo, e que deverá contemplar a taxação dos lucros de dividendos e redução de subsídios a empresas. Assim, a carga tributária deve ter uma redução efetiva de R$ 20 bilhões no parecer a ser apresentado nesta terça-feira.

Questionado sobre quais mudanças tributárias serão realizadas para garantir essas reduções, ele não quis detalhar. “Essa que é a mágica que vai saber amanhã [hoje] na entrega do relatório”, afirmou. O relator disse que “dificilmente” não haverá o início da tributação de dividendos dos lucros no Brasil.

5. Radar corporativo

Em destaque, a sanção por Bolsonaro da lei sobre desestatização da Eletrobras foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União (DOU). Ficou definido que a desestatização acontecerá com aumento do capital social, por meio da subscrição pública de ações ordinárias com renúncia do direito de subscrição pela União.

A Eletrobras informou ainda na segunda que seu conselho de administração aprovou o exercício do direito de venda conjunta (tag along) das ações detidas pela controlada Eletronorte na transmissora de energia NBTE. Segundo a Eletrobras, a decisão ocorreu após a empresa ter sido notificada de que a Leovac Participações, afiliada da gestora canadense de fundos de pensão Ontario Teachers Pension Plan Board (ONTPP), havia fechado acordo para compra da Evoltz, que detém 51% das ações da Norte Brasil Transmissora de Energia. A estatal afirmou que o valor da proposta recebida é de R$ 700 milhões.

A JHSF anunciou nesta segunda-feira que exerceu opção de compra de terreno adicional junto ao empreendimento Complexo Boa Vista, por cerca de R$ 140 milhões. A área adicional envolve 6,1 milhões de metros quadrados. O complexo está situado em Porto Feliz (SP), a cerca de 150 quilômetros da cidade de São Paulo, e além de empreendimentos residenciais de alto padrão, prevê campo de golfe, lagos, praia artificial e outros equipamentos. Segundo a JHSF, a área anunciada nesta segunda-feira “será destinada à implantação do quarto empreendimento do Complexo Boa Vista”. A empresa não deu mais detalhes.

Já a Bradespar vai pagar R$ 600 milhões em dividendos extraordinários, com data prevista para pagamento de 26 de julho de 2021.

A Cyrela divulgou na segunda-feira saltos nas vendas e lançamentos de imóveis residenciais no segundo trimestre, apoiada em parte pela fraca base de comparação com o ano passado e pelo bom momento vivido pelo mercado de construção civil. As vendas contratadas da companhia somaram 1,56 bilhão de reais entre abril e o final do primeiro semestre ante R$ 512 milhões no mesmo período do ano passado. Em comparação com o primeiro trimestre deste ano, as vendas subiram 51,3%, informou a companhia.

Das vendas líquidas no trimestre, R$ 239 milhões foram de estoque pronto (15%), R$ 545 milhões à venda de estoque em construção (35%) e R$ 776 milhões à venda de lançamentos (50%). “Dessa forma, a Cyrela atingiu uma velocidade de vendas (“VSO”) de lançamentos de 40,2% no trimestre”, afirmou a companhia. Já os lançamentos avançaram para R$ 1,93 bilhão nos três meses encerrados no fim de junho ante R$ 254 milhões no mesmo período de 2020. A empresa lançou 19 empreendimentos no trimestre ante apenas três no mesmo período do ano passado.

B3 e Totvs anunciaram na segunda-feira uma parceria na área de tecnologia para o setor financeiro, em que a operadora brasileira de infraestrutura para o mercado de capitais vai injetar R$ 600 milhões em uma subsidiária da produtora brasileira de software. O acordo prevê que a B3 terá 37,5% de participação na TFS Soluções em Software após o investimento, com a Totvs detendo o restante.

Já a Cogna vai emitir R$ 1,25 bilhão em debêntures.

A Vale afirmou na segunda-feira que o valor predestinado à compensação dos danos considerados irreversíveis causados pelo rompimento de barragem da empresa em Mariana (MG), em novembro de 2015, atualmente em R$ 5 bilhões, já foi estipulado e não é objeto de renegociações em curso com autoridades.

O colapso da estrutura, que pertencia à mineradora Samarco – uma joint venture da Vale com a anglo-australiana BHP – deixou 19 mortos e centenas de desabrigados, além de poluir o rio Doce em toda a sua extensão até o mar capixaba, no que foi considerado à época o maior desastre socioambiental da história do país. Segundo a Vale, o montante predestinado à compensação dos danos considerados irreversíveis pelo rompimento, foi fixado em R$ 3,6 bilhões em acordo em 2016. “Este valor, devidamente corrigido, está atualizado em R$ 5 bilhões e já foi compromissado”, disse a companhia. Ainda segundo a Vale, desse montante foram executados R$ 1,2 bilhão, restando definição apenas quanto ao destino de aproximadamente R$ 335 milhões.

A varejista online Privalia divulgou na segunda o prospecto de sua oferta pública de ações, com faixa indicativa de preço dos papéis definida entre R$ 16,30 e R$ 18,10. Considerando o ponto médio da faixa, de R$ 17,20, a totalidade das ações que podem ser emitidas nos lotes inicial, adicional e suplementar, a operação pode movimentar cerca de R$ 1 bilhão.

A BB Seguridade informou na segunda-feira que Carlos Motta dos Santos e Mauro Ribeiro Neto renunciaram a seus postos de presidente e vice-presidente do conselho de administração da companhia. Para o lugar de Santos, a BB Seguridade afirmou que foi indicado o nome do atual vice-presidente de desenvolvimento de negócios e tecnologia do Banco do Brasil, Marcelo Cavalcante de Oliveira Lima. Para a vaga de Ribeiro Neto a indicação foi a atual vice-presidente de controles internos e gestão de riscos do BB, Ana Paula Teixeira de Sousa. Ambos vão completar os mandatos de 2021 a 2023.

A Hypera  anunciou a compra de 12 marcas de medicamentos da Sanofi por US$ 190,3 milhões. Os produtos incluem AAS, Naturetti, Cepacol Hidantal e Buclina.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer trabalhar como assessor de investimentos? Entre no setor que paga as melhores remunerações de 2021. Inscreva-se no curso gratuito “Carreira no Mercado Financeiro”.

palavras-chave: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira – 13/7; invistaja.info;

CALIFORNIA | mercados | invistaja.info – Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira – 13/7

REFLEXÃO: Rich Greifner, da Motley Fool: Pense a longo prazo, seja paciente e busque por retornos assimétricos.

Notícias relacionadas:

Auxílio emergencial: trabalhadores nascidos em agosto podem sacar terceira parcela

Índices futuros americanos e bolsas europeias operam sem sentido definido à espera de resultados de bancos

Mobees: startup que dá renda extra de até R$ 1.000 a motoristas de aplicativo recebe novo investimento

Argentina: entram em vigor novas restrições cambiais e dólar avança no paralelo

Publique seu negócio no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade