PF investiga propina para servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária não fiscalizarem frigoríficos

Levantamentos apontaram para uma evolução patrimonial supostamente incompatível com os rendimentos de servidor público do MAPA
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para traders e investidores

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: PF investiga propina para servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária não fiscalizarem frigoríficos; invistaja.info;


PINE4 | P/Cap.Giro: 0.0 | DY: 0.0 | P/ACL: 0.0 | ROIC: 0.0 | Pat.Liq: 775077000.0 | P/VP: 0.46

ListenToMarket: PF investiga propina para servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária não fiscalizarem frigoríficos – Áudio gerado às: 16:50:20

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta, 19, a Operação ‘a Posteriori’ para investigar supostas propinas a servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para que eles não fiscalizassem o processamento de produtos de origem animal. A ofensiva mira possíveis crimes de associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro.

Um efetivo de 12 policiais federais cumpre dois mandados de busca e apreensão nas cidades de Goiânia e Palmeiras de Goiás (GO). As ordens foram expedidas pelo juízo da 11ª Vara Federal Criminal de Goiás.

A investigação teve início em julho de 2018, após uma denúncia ser encaminhada ao MAPA relatando suposta atividade criminosa envolvendo servidores públicos agropecuários e um frigorífico da cidade de Palmeiras de Goiás.

+Amazon planeja abrir lojas de departamento nos EUA

De acordo com a PF, as apurações indicaram que os auditores fiscais emitiam certificados sanitários ‘a posteriori’, com data retroativa, ‘sugerindo a falta de fiscalização “in loco” dos produtos de origem animal comercializados’.

Levantamentos apontaram para uma evolução patrimonial supostamente incompatível com os rendimentos do servidor público do MAPA, dizem os investigadores.

hotWords: investiga ministério fiscalizarem para frigoríficos

Seja anunciante no invistaja.info

A PF diz ter identificado, entre 2018 e 2019, depósitos mensais suspeitos que variavam de R$ 5 mil a R$ 10 mil. Os valores representaram quase 50% da remuneração do cargo de auditor agropecuário para o período.

COM A PALAVRA, O MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (19), a Operação A POSTERIORI, que investiga suposto atos ilícitos praticados por servidor do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). De forma cautelar, o servidor já foi afastado de suas funções junto ao estabelecimento e o Mapa vinha investigando internamente o caso.

O Ministério da Agricultura segue, agora, buscando informações mais detalhadas com a Polícia Federal e garante à população o funcionamento do sistema de certificação sanitária.

Quer atingir de uma vez por todas a consistência na Bolsa? Assista de graça ao workshop “Os 4 Segredos do Trader Faixa Preta” com Ariane Campolim.

palavras-chave: PF investiga propina para servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária não fiscalizarem frigoríficos; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | economia | invistaja.info – PF investiga propina para servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária não fiscalizarem frigoríficos

REFLEXÃO: Barry Ritholtz, da Bloomberg: Mantenha a simplicidade, faço menos e administre sua estupidez.

Notícias relacionadas:

Opep+ poderia adiar próximo aumento da produção, diz Citigroup

Da disparada à forte queda: o que esperar para as ações de Vale, CSN Mineração e siderúrgicas com o “novo cenário” para o minério?

Oferta de ações da Braskem volta à mesa para saída de acionistas

BC fará o que for necessário para atingir meta de inflação, diz Campos Neto

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade