Retorno da produção de modelos populares deve demorar

No Brasil, estima-se que até 120 mil unidades tenham deixado de ser fabricadas no primeiro semestre
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Conteúdo de quem vive de mercado

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Retorno da produção de modelos populares deve demorar; invistaja.info;


CIEL3 | P/Cap.Giro: 1.17 | DY: 0.0266 | Liq.2meses: 104917000.0 | P/ACL: -4.12 | Pat.Liq: 9516940000.0 | P/L: 16.79

A ruptura provocada pela escassez de chips atingiu a indústria automotiva de forma indiscriminada, gerando perdas de US$ 100 bilhões, segundo estimativas da consultoria KPMG. Ao menos 5 milhões de veículos deixarão de ser produzidos neste ano, calcula a Boston Consulting Group (BCG). No Brasil, estima-se que até 120 mil unidades tenham deixado de ser fabricadas no primeiro semestre.

Nesse quadro de alta seletividade na fabricação, o Brasil tem a desvantagem de seu parque produtivo depender de modelos que não estão, no momento, na lista de prioridades. Eles devem ser os últimos a voltar a uma produção sem restrições.

Os planos de produção das montadoras na América do Sul, onde o Brasil é o principal produtor, estão mais comprometidos do que os de fabricantes da Europa. Essa é uma das conclusões extraídas do estudo da BCG usado como base na estimativa feita recentemente pela Anfavea, a associação da indústria nacional de veículos, de que o Brasil já deixou de produzir neste ano entre 100 mil e 120 mil veículos por falta de peças.

+Caixa paga hoje 4ª parcela do auxílio emergencial a nascidos em março

Segundo estima a BCG com base em dados do segundo trimestre, a falta de eletrônicos impediu 14% da produção planejada por montadoras sul-americanas. Na Europa, as fábricas deixam de produzir 9% do volume esperado. Só na América do Norte, onde as paralisações também viraram rotina, o impacto é maior do que aqui: 20% do total previsto.

Na avaliação do consultor Paulo Cardamone, da Bright Consulting, além de os próprios fornecedores de semicondutores privilegiarem a indústria de tecnologia, em detrimento das montadoras, a cadeia automotiva direciona as matérias-primas para os produtos mais rentáveis. Nessa dinâmica, modelos populares vão para o fim da fila. “Não só no Brasil, mas em todo o mundo, esse tipo de produto será o último a voltar”, diz o consultor.

hotWords: modelos deve retorno populares

Anuncie no invistaja.info

Segundo Besaliel Botelho, presidente da Bosch, grupo que fornece sistemas eletrônicos para as montadoras, a cadeia de suprimentos costuma evitar que apenas um ou poucos clientes fiquem com todo o volume disponível. No entanto, a escolha de quais carros serão produzidos é uma decisão individual das montadoras. “Estamos numa situação em que o cobertor ficou mais curto para todo mundo”, diz Botelho.

palavras-chave: Retorno da produção de modelos populares deve demorar; invistaja.info;

CALIFORNIA | negocios | invistaja.info – Retorno da produção de modelos populares deve demorar

REFLEXÃO: Michael Kitces, conselheiro financeiro: Invista pensando no longo prazo, não especule, mas, não ignore as flutuações do mercado.

Notícias relacionadas:

Retirada de benefício fiscal em reforma compromete vale-refeição, diz FecomercioSP

Chefe da Tóquio 2020 não descarta cancelamento de última hora dos Jogos

Ibovespa Futuro tem leve alta com recuperação externa após forte queda da véspera; dólar recua

Sem peças, montadoras priorizam carros caros

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.