Publicidade

Aumento de preço pedido pela Petrobras atrasa venda de refinarias, dizem fontes à Reuters

Compradores se frustraram com o que descrevem como mudanças de última hora no processo de venda tocado pela estatal
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias de trader para trader

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Aumento de preço pedido pela Petrobras atrasa venda de refinarias, dizem fontes à Reuters; invistaja.info;


LPSB3 | Div.Brut/Pat.: 0.0 | P/Cap.Giro: 3.65 | P/VP: 1.65 | DY: 0.0 | Cotacao: 2.45 | P/EBIT: 6.78

ListenToMarket: Aumento de preço pedido pela Petrobras atrasa venda de refinarias, dizem fontes à Reuters – Áudio gerado às: 17:11:11

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (MarketMsg) – A Petrobras (PETR3;PETR4) aumentou o preço pedido por pelo menos uma das refinarias no meio do processo de venda, frustrando alguns compradores e atrasando a prometida quebra de monopólio no refino, segundo quatro fontes com conhecimento do assunto.

Compradores se frustraram com o que descrevem como mudanças de última hora no processo de venda tocado pela Petrobras, segundo as fontes, que pediram anonimato para descrever as interações com a maior estatal brasileira.

A Petrobras, que controlava quase 100% do refino no Brasil, comprometeu-se a reduzir sua capacidade em 50%, vendendo oito de suas 13 refinarias, após um acordo em junho de 2019 com o órgão antitruste Cade para introduzir concorrência no preço dos combustíveis. Mas até agora a empresa vendeu apenas três, e uma diminuição nas pressões políticas para definir artificialmente os preços dos combustíveis parece remota.

+Elon Musk anuncia que Tesla vai aceitar Dogecoin e criptomoeda dispara 33%

Pedidos de preços mais altos e uma redução de interesse dos compradores, pressionados por investidores pedindo compromissos com metas de ESG, estão prejudicando a venda de duas grandes refinarias, Refap e Repar.

A Petrobras deve relançar o processo de venda da Refap e Repar, com capacidades produtivas para 201.280 barris por dia e 207.563 bpd, respectivamente, cerca de 17,8% do total do país, segundo a dados da reguladora ANP.

Em julho, o órgão de defesa da concorrência Cade estendeu o prazo para que a Petrobras venda suas oito refinarias para 31 de dezembro, mas a empresa já admitiu publicamente que o prazo não será cumprido.

Em 30 de novembro, o CFO Rodrigo Araujo disse que dificilmente a Petrobras venderá a Repar e Refap antes das eleições presidenciais de 2022.

Em resposta a Reuters, a Petrobras afirmou que “segue plenamente comprometida com a venda de oito refinarias… em alinhamento ao compromisso firmado com o Cade para vender 50% de sua capacidade de refino”.

Leia também: Petrobras anuncia redução do preço da gasolina em 3% para distribuidoras a partir de quarta-feira

A empresa disse que tentará novamente vender três refinarias que tiveram seus processos cancelados: a Refap, Repar e Rnest.

A empresa prossegue com a venda da Lubnor, refinaria no Nordeste que produz asfalto e lubrificantes (com capacidade de 8 mil bpd), e Regap, localizada em Minas Gerais, com 150 mil bpd, ou 7,1% capacidade de refino, segundo dados da ANP.

FIM DAS NEGOCIAÇÕES

O conglomerado Ultrapar Participações (UGPA3) estava em negociações com a Petrobras desde janeiro para comprar a gaúcha Refap, que responde por 7,7% da capacidade de refino.

Mas em setembro a Petrobras decidiu exigir um preço mais alto, segundo duas fontes com conhecimento do assunto.

Representantes da Ultrapar, que acreditavam já ter acertado o valor e estar na fase de negociação de contrato, rejeitaram a exigência e deixaram a mesa de negociações.

A Petrobras anunciou o fracasso das negociações no dia 1 de outubro.

hotWords: pela venda refinarias, fontes reuters atrasa

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Desde o início das negociações, a Petrobras indicava que gostaria de um preço mais alto, mas prosseguia conversando. Petrobras e Ultrapar não comentaram o assunto.

Uma situação diferente aconteceu com a Repar, localizada no Paraná, que detém 10,1% da capacidade de refino brasileira. A Raízen (RAIZ4), joint venture da Shell e Cosan, entregou uma oferta ligeiramente acima do preço mínimo inicial, mas a Petrobras pediu um preço maior.

A Raízen rejeitou o pedido para aumentar o preço e a Petrobras anunciou em fevereiro que não havia obtido propostas satisfatórias. A Raízen não quis comentar.

“Não houve qualquer mudança de regra durante o andamento dos processos de venda”, afirmou a Petrobras em comunicado enviado à Reuters.

Mas uma quinta fonte com conhecimento dos processos disse que “várias variáveis são avaliadas para definir o valor e isso é atualizado dentro da metodologia”. Desde o lançamento da venda das refinarias, o preço do barril de petróleo Brent subiu cerca de 10 dólares para 73 dólares nesta terça-feira.

A Rnest, no estado de Pernambuco, não teve interessados.

A negociação para a venda da Regap também parece estar paralisada. A Petrobras pediu ofertas não vinculantes, que foram entregues em novembro de 2019.

Ao menos um interessado, o fundo de private equity EIG Global Energy Partners, entregou proposta, mas nas negociações não prosseguiram, segundo uma sexta fonte. O EIG não comentou o assunto.

LENTIDÃO

Até agora, a Petrobras vendeu três refinarias: Rlam, na Bahia, que detém capacidade de 330 mil bpd do país, para o Mubadala Investment Co por 1,8 bilhão de dólares.

Outras pequenas refinarias na região Norte também foram vendidas: a Reman (com 46 mil bpd) para o grupo brasileiro Atem, e a SIX (com 6 mil bpd) para a Forbes & Manhattan Resources.

Mas os ativos vendidos até agora são insuficientes para formar preços de combustível, afirmam as fontes.

Com a lentidão dos processos, a demanda pelas refinarias tende a diminuir, já que as empresas de energia estão sob pressão de investidores para reduzir a presença em combustíveis fósseis e cumprir metas ESG (sigla para responsabilidade social, ambiental e governança corporativa).

Após o fracasso da venda, a Petrobras anunciou que investirá na refinaria Rnest, de 115 mil bpd, para aumentar sua capacidade.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

palavras-chave: Aumento de preço pedido pela Petrobras atrasa venda de refinarias, dizem fontes à Reuters; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | mercados | invistaja.info – Aumento de preço pedido pela Petrobras atrasa venda de refinarias, dizem fontes à Reuters

REFLEXÃO: James Early, do Motley Fool: Explore a fraqueza cognitiva dos outros

Veja também:

Biotecnologia puxa lista de BDRs mais valorizados em 2021; empresas chinesas lideram queda

Tecnologia ajuda a conectar financiadores e projetos sociais

País caribenho vai abrir embaixada virtual no metaverso de Decentraland

Fitch reitera rating do Brasil em BB-, com perspectiva negativa

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade