Balanço forte coloca Petrobras na trilha de boa pagadora de dividendos e ações sobem 3%, mas cautela com gestão persiste

BBI, Credit e Morgan seguem cautelosos com companhia, enquanto Itaú BBA elevou recomendação e se mostrou mais otimista
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias do mercado financeiro

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Balanço forte coloca Petrobras na trilha de boa pagadora de dividendos e ações sobem 3%, mas cautela com gestão persiste; invistaja.info;


ROMI3 | P/L: 12.9 | EV/EBIT: 19.22 | Liq.Corr.: 1.97 | EV/EBITDA: 14.51 | ROE: 0.1851 | Div.Brut/Pat.: 0.63

PORTO ALEGRE | invistaja.info — Num cenário de alta de preços de commodities, a Petrobras (PETR3; PETR4) fechou o primeiro trimestre deste ano com lucro de R$ 1,167 bilhão. O resultado reverte o prejuízo de R$ 48,5 bilhões no primeiro trimestre de 2020, quando a pandemia de Covid-19 derrubou a cotação do petróleo do tipo Brent, negociado na bolsa de Londres, e também o consumo de derivados no Brasil.

Já nos primeiros três meses deste ano, a empresa aproveitou a alta do petróleo no mercado internacional para reforçar sua receita, ao promover reajustes em suas refinarias toda vez que o barril ficava mais caro nas principais bolsas de negociação do mundo.

A resiliência do agronegócio garantiu o crescimento da venda de óleo diesel, usado no transporte de produtos agrícolas. Enquanto o afrouxamento das medidas de isolamento manteve o comércio de gasolina. A Petrobras ainda conseguiu aumentar sua participação nos mercados dos dois combustíveis para 73%.

+Com Projeto Cerrado, Suzano se consolida como líder global em celulose e reforça otimismo de analistas

Na comparação com o quarto trimestre do ano passado, houve retração de 98,1% do resultado, por conta da desvalorização do real frente ao dólar, que pesou nas despesas financeiras.

Os números foram bem recebidos pelos investidores, fazendo com que os American Depositary Receipts (ADRs, ou papéis da companhia negociados nos EUA) subissem até 5% no início da manhã no pré-market da Bolsa de Nova York. Já no começo do pregão regular na B3, às 10h17, a alta é de cerca de 3% dos papéis, com ganhos de 3,18% para PETR3 (R$ 25,29) e de 3,28% (R$ 25,80) para os ativos PETR4.

A avaliação é de que os números foram fortes e colocam a companhia na trilha de bom pagamento de dividendos. Contudo, ainda há riscos no radar.

O Bradesco BBI classificou os resultados divulgados pela Petrobras como positivos, com o Ebitda recorrente de R$ 47,7 bilhões em linha com sua estimativa e com o consenso do mercado. O rendimento do fluxo livre de caixa do acionista foi de 5%. Assim, o banco avalia que há uma boa probabilidade de que a empresa entregue um fluxo livre de caixa acima de sua estimativa de US$ 12 bilhões para o ano.

O banco destaca que a empresa continua em sua trajetória para redução do endividamento, avaliando que a Petrobras está a US$ 11 bilhões distante de atingir sua meta de dívida bruta de US$ 60 bilhões, o que impulsionaria uma política de dividendo mais alta. Com a expectativa sobre fluxo livre de caixa do acionista para este ano, além das vendas de ativos, o Bradesco espera que a empresa possa atingir esse patamar ainda em 2021. Mas expressa dúvida sobre se a nova gerência e o novo conselho manterão a política atual.

Apesar dos bons resultados, o banco avalia que o mercado está mais interessado em compreender como a nova gestão irá se comportar em relação à política de dividendos, precificação de combustíveis, perspectiva de venda da BR Distribuidora e um fundo de estabilização dos combustíveis junto ao governo.

O Bradesco mantém avaliação neutra e preço-alvo de R$ 32 para os papéis PETR4, alta de 28% frente o fechamento da véspera.

O Credit Suisse ressaltou que o Ebitda da Petrobras no primeiro trimestre, de US$ 8,7 bilhões, ficou 5% abaixo de sua estimativa. Mas diz que não se trata de uma surpresa, pois pode ser atribuído a vendas abaixo da expectativa, mesmo com a alta na produção de petróleo. No entanto, ressalta que as vendas abaixo do esperado indicavam perda de cerca de US$ 500 milhões em Ebitda.

Os analistas também destacam que a desalavancagem da companhia coloca a empresa no trilho para pagar mais dividendos. “Com os preços do brent variando entre US$ 65 e US$ 70 o barril, acreditamos que a Petrobras acionará a política de dividendos antes do final do ano de 2021 – embora não no segundo trimestre, uma vez que a valorização do real e o pagamento de dividendos aumentará a dívida”, apontam.

Esse é um catalisador significativo na avaliação dos analistas uma vez que o dividend yield (dividendo sobre o preço da ação) pode ficar acima de 20% se a “política de 60% for aplicada”.

Em outubro de 2020, cabe lembrar, a Petrobras revisou sua política de dividendos, com a proposta de que o pagamento seja compatível com a geração de caixa, mesmo em exercícios em que não for apurado lucro contábil, dependendo da redução da dívida líquida da estatal.

hotWords: trilha cautela persiste balanço coloca gestão forte

Seja anunciante no invistaja.info

No cenário em que o endividamento bruto da companhia estiver acima de US$ 60 bilhões, poderá ser apresentada a proposta de distribuição de dividendos, sem apuração de lucro contábil, quando se verificar redução de dívida líquida no período de doze meses anteriores, “caso a administração entenda que será preservada a sustentabilidade financeira da companhia”.

Já em casos excepcionais, a política de remuneração é igual a 60% vezes o (Fluxo de caixa operacional – Investimentos de capital), quando o endividamento bruto estiver abaixo de US$ 60 bilhões, mesmo na hipótese de não verificação de lucro contábil.

Para os analistas do Credit o valuation é atrativo, mas ainda arriscado. Os riscos incluem (1) a continuidade da política de preços atrelada à paridade internacional, particularmente para gasolina, diesel e GLP; (2) mudanças no plano de negócios, com potencial aumento nos níveis de capex; (3) antecipação da incerteza política para as eleições de 2022; (4) potencial overhang caso ocorra venda das ações do BNDES; e (5) volatilidade do preço do petróleo, devido a um aumento potencial das exportações da commodity pelo Irã.  O Credit mantém recomendação neutra e preço-alvo de US$ 10, frente aos US$ 9,22 negociados na quinta pelos papéis PBR na Bolsa de Nova York.

O banco Morgan Stanley também afirma que a percepção crescente de intervenção do governo nos últimos meses elevou a preocupação de que a independência da gestão se reduza. Isso é central para uma política de combustíveis funcional, diz o banco. Assim, o banco diz que suas projeções mais otimistas e mais negativas parecem igualmente plausíveis. Mesmo se não houver um desvio material nos próximos meses, o sentimento e a volatilidade devem continuar a dominar o debate, afirma o banco.

O Morgan mantém recomendação equalweight (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) e preço-alvo de US$ 8,50, frente os US$ 9,22 de fechamento na quinta pelos papéis PBR na Bolsa de Nova York.

Mais otimista, o Itaú BBA elevou após o resultado a recomendação de PETR4 de neutra para “outperform”, com preço-alvo para a ação preferencial de R$ 38 (alta de 52%), citando que “os riscos que levaram a uma visão mais cautelosa ficaram muito mais reduzidos”.

Além do resultado forte, o novo presidente-executivo, Joaquim Silva e Luna, sinalizou no release de resultados manter estratégias adotadas na gestão anterior.  “Time novo da Petrobras não trouxe surpresas negativas… JS.Luna se comprometeu a seguir o plano e seguir com venda de ativos”, disse o banco em comentário a clientes. Na visão do Itaú BBA, o “valuation” da Petrobras está muito baixo.

“Vemos a Petrobras sendo negociada com um grande desconto em relação à maioria dos players globais (e até mesmo para nomes russos), com um perfil de geração de caixa bastante sólido”, afirmaram em relatório os analistas liderados por André Hachem.

“Mesmo quando executamos cenários estressados, ainda enxergamos o valuation se mantendo em termos muito positivos.”

Mais sinais serão dados pela nova gestão da companhia em teleconferência com investidores e jornalistas nesta sexta-feira: às 10h (horário de Brasília), tem início a webcast com o mercado sobre os números da companhia, que também deve dar mais sinais sobre a política daqui para frente.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Stock Pickers lança curso online e gratuito que ensina a identificar ativos com ótimo potencial de valorização. Inscreva-se.

 

BRASIL | mercados | invistaja.info – Balanço forte coloca Petrobras na trilha de boa pagadora de dividendos e ações sobem 3%, mas cautela com gestão persiste

REFLEXÃO: Michael Batnick, gestor de patrimônios da Ritholtz: Evitar erros catastróficos é mais importante do que construir o portfólio perfeito.

Veja também:

Senado aprova suspensão no aumento de preço de medicamentos em 2021

Ibovespa sobe com dia positivo em Wall Street e resultados corporativos; dólar cai a R$ 5,28

Cogna tem prejuízo de R$ 90,9 milhões no primeiro trimestre, alta de 132,5% na comparação anual

Petrobras: balanço eleva otimismo e coloca estatal na trilha de boa pagadora de dividendos, mas cautela com gestão persiste

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.