CMN fixa meta de inflação em 3% para 2024, sem alterar a de 2021 a 2023

A meta, informou o Conselho Monetário Nacional, “reduz incertezas e aumenta a capacidade de planejamento das famílias, das empresas e do governo”
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Investindo como profissionais

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: CMN fixa meta de inflação em 3% para 2024, sem alterar a de 2021 a 2023; invistaja.info;


FRTA3 | P/Ativo: 0.557 | Pat.Liq: -66288000.0 | P/Cap.Giro: -0.25 | ROIC: -0.0021 | Mrg.Liq.: 0.1057 | EV/EBITDA: 127.08

ListenToMarket: CMN fixa meta de inflação em 3% para 2024, sem alterar a de 2021 a 2023 – Áudio gerado às: 18:50:22

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

RIO DE JANEIRO | invistaja.info — O Conselho Monetário Nacional (CMN) fixou em 3,00% a meta para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2024, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos, informou o Ministério da Economia.

As metas de inflação para 2021 (3,75%), 2022 (3,50%) e 2023 (3,25%) foram mantidas. A decisão, segundo nota do ministério, foi tomada em reunião ordinária realizada do CMN nesta quinta-feira (24).

Presidido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e composto pelo presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos, e pelo secretário Especial de Fazenda do Ministério da Economia, Bruno Funchal, o CMN avalia que a meta “reduz incertezas e aumenta a capacidade de planejamento das famílias, das empresas e do governo”. A redução de 0,25 ponto percentual na comparação com a meta de 2023, segundo o órgão, “é coerente com a elevada credibilidade da política monetária”.

+Ações da JHSF saltam 6% após autorização da Anac para voos internacionais em aeroporto; construtoras e varejistas avançam até 5%

A nota do Ministério da Economia informa ainda que a expectativa de inflação futura, projetada no Boletim Focus, “mostrou-se ancorada à trajetória de reduções da meta anteriores, e a variância das expectativas de inflação tem caído substancialmente com as reduções da meta”. “Tais evidências revelam que a política monetária e as metas são críveis, o que elimina os possíveis custos de redução de seus percentuais”, diz o material.

A nota justifica que a redução estrutural da inflação e dos juros de equilíbrio é ancorada no processo de consolidação fiscal da economia. “Medidas como o teto de gastos e a reforma da Previdência produziram expectativas de uma redução na trajetória de gastos, enquanto a Emenda Constitucional 109/21 (PEC Emergencial) estabeleceu gatilhos para ajuste de gastos da União, Estados e municípios e se somou à aprovação de outras leis complementares que reforçam o equilíbrio fiscal dos entes federativos”.

palavras-chave: CMN fixa meta de inflação em 3% para 2024, sem alterar a de 2021 a 2023; invistaja.info;

BELO HORIZONTE | mercados | invistaja.info – CMN fixa meta de inflação em 3% para 2024, sem alterar a de 2021 a 2023

REFLEXÃO: Barry Ritholtz, da Bloomberg: Mantenha a simplicidade, faço menos e administre sua estupidez.

Tópicos mais acessados:

Em reunião ordinária, CMN vai estipular meta de inflação para 2024

Anvisa encontrou 29 erros de produção em fábrica da Covaxin após Saúde fechar contrato

Ibovespa fecha em alta com exterior após acordo de Biden e dados dos EUA; dólar cai para mínima em mais de um ano

Ações da JHSF saltam 6% após autorização da Anac para voos internacionais em aeroporto; construtoras e varejistas avançam até 5%

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.