Publicidade

Depois de ultrapassar os 109 mil pontos, Ibovespa cede à pressão do exterior e fecha em queda

Investidores aguardam decisões dos BCs nos EUA e Europa e voltaram a se questionar sobre as consequências da nova variante do coronavírus
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Conteúdos sobre investimentos

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: Depois de ultrapassar os 109 mil pontos, Ibovespa cede à pressão do exterior e fecha em queda; invistaja.info;


BEES3 | Mrg.Liq.: 0.0 | P/Cap.Giro: 0.0 | Pat.Liq: 1837760000.0 | P/EBIT: 0.0 | ROIC: 0.0 | P/L: 6.36

ListenToMarket: Depois de ultrapassar os 109 mil pontos, Ibovespa cede à pressão do exterior e fecha em queda – Áudio gerado às: 18:30:56

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

O Ibovespa quase deu sequência aos ganhos da última semana, mas, por muito pouco, não conseguiu. A Bolsa, que chegou a ultrapassar os 109 mil pontos hoje, acabou apurando uma leve queda nos ajustes finais. Lá fora, o investidor adotou uma postura mais conservadora, à espera de decisões de diferentes Bancos Centrais e informações sobre a variante Ômicron do COVID-19 e isso acabou influenciando os negócios por aqui.

Entre as maiores altas do dia do Ibovespa, estiveram ações do setor de saúde e os papéis da Vale (VALE3), os mais negociados nesta segunda-feira. A alta do preço do minério de ferro no mercado internacional, com perspectiva de aumento da demanda chinesa, também contribuiu para a valorização de ações das siderúrgicas ao longo da sessão.

“O Ibovespa conseguiu se defender mais que o externo pela alta no preço das commodities“, afirma Gustavo Cruz, Estrategista da RB Investimentos. Para ele, a visão de inflação um pouco menor para este ano e nos seguintes também pode ter influenciado os negócios. Pela primeira vez, depois de 35 semanas, os economistas consultados pelo Banco Central reduziram suas estimativas para a inflação deste ano: de  10,18% na semana passada, para 10,05%. Para 2022 a previsão foi mantida em 5,02%.

+Guedes fala em “problemas”, mas diz em entrevista acreditar na economia brasileira

A última semana “cheia” do ano para os mercados antes das festas de fim de ano tem a reunião do Comitê de Mercado Aberto do Banco Central dos EUA (Fomc, na sigla em inglês), que deve dar o tom da retirada de estímulos à economia americana. Ainda que uma alta de juros não seja esperada, o comunicado do Federal Reserve deve dar detalhes sobre a trajetória da inflação nos EUA e como será feita a política monetária.

Na Europa, a expectativa é de manutenção da liquidez, tanto pelo Banco Central Europeu como o Banco Central da Inglaterra, com o avanço da variante Ômicron do coronavírus. No Reino Unido, foi registrada a primeira morte por Covid-19 de um paciente que estava com a nova cepa.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que a Ômicron dá evidências de que foge da proteção vacinal. Porém, ainda são poucos os dados clínicos sobre a nova cepa.

“Os múltiplos da nossa Bolsa seguem bastante atrativos e a gente não deve sofrer tanto com essa variante, por causa da vacinação”, afirma Dany Chvaicer, head de renda variável da Ébano Investimentos.

Por aqui, o destaque que promete mexer com os mercados amanhã é a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, na qual o colegiado decidiu pela elevação da taxa básica de juros (Selic) em 1,5 ponto percentual para 9,25% ao ano.

hotWords: ultrapassar exterior pressão pontos, fecha

Seja anunciante no invistaja.info

Os investidores também monitoram o andamento da PEC dos Precatórios, que terá alguns trechos votados pela Câmara dos Deputados nesta semana. São partes que sofreram alteração na votação do Senado. O governo tem pouco tempo para que a matéria seja votada antes do início do recesso parlamentar.

O Ibovespa fechou em queda de 0,35%, aos 107.383 pontos. O Ibovespa futuro para dezembro de 2021 avançava 0,48% aos 107.525 pontos.

O dólar comercial, por sua vez, fechou em alta de 1,07%, a R$ 5,673 na compra e R$ 5,674 na venda. O dólar futuro para janeiro de 2022 avançava 1,08% a R$ 5,702 nos últimos negócios do dia.

Na sessão estendida do mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2023 avançava um pontos-base para 11,40%; DI para janeiro de 2025 avança dois pontos-base a 10,41%; e o DI para janeiro de 2027 sobe três pontos-base, a 10,36%.

Em Nova York, as Bolsas fecharam em queda com as incertezas sobre a Ômicron e a postura do Fed na próxima reunião do Fomc. O Dow Jones fechou em queda de 0,89%, a 35.652 pontos; o S&P caiu 0,91%, a 4.669 pontos; Nasdaq fechou em queda de 1,39%, a 15.413 pontos.

Na Europa, as Bolsas que começaram a sessão a queda em alta, também inverteram sinal. O índice Stoxx 600, que mede o desempenho de empresas de 17 países europeus, fechou em queda de 0,43%.

Nem todas as matérias-primas tiveram o desempenho do minério na sessão de hoje. O petróleo voltou a fechar em baixa, com o WTI a US$ 71,31 e queda de 0,5%; o petróleo tipo Brent recuou 0,96%, a US$ 74,43.

Analista da Rico Corretora ensina ferramentas práticas a extrair lucro do mercado financeiro de forma consistente. Inscreva-se Grátis.

palavras-chave: Depois de ultrapassar os 109 mil pontos, Ibovespa cede à pressão do exterior e fecha em queda; invistaja.info;

PORTO ALEGRE | economia | invistaja.info – Depois de ultrapassar os 109 mil pontos, Ibovespa cede à pressão do exterior e fecha em queda

REFLEXÃO: Morgan Housel: Se preocupe somente quando você achar que tiver tudo resolvido.

Leia também:

Leilão de blocos de saneamento de Alagoas arrecada R$ 1,6 bilhão em outorgas

Cogna (COGN3) traz mensagens positivas sobre reestruturação durante Investor Day, mas por que ação cai forte?

Ações e BDRs da Pfizer sobem mais de 4% com planos para comprar farmacêutica

Cristina Junqueira entra na lista de bilionárias da Forbes após IPO do Nubank

Seja anunciante no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade