Inflação medida pelo IPCA sobe 0,93% em março, maior alta para o mês desde 2015, mas abaixo do esperado

A previsão, de acordo com consenso Refinitiv, era de alta de 1,03% frente fevereiro de 2021 e de 6,20% na comparação com março de 2020.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para quem vive o mercado

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Inflação medida pelo IPCA sobe 0,93% em março, maior alta para o mês desde 2015, mas abaixo do esperado; invistaja.info;


TIMS3 | ROE: 0.0795 | Cotacao: 12.6 | P/Cap.Giro: 14.46 | Mrg.Liq.: 0.1068 | Pat.Liq: 23182700000.0 | P/EBIT: 9.62

A inflação oficial no País, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu 0,93% em março de 2021 na comparação com fevereiro, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) compartilhados nesta sexta-feira (9). Em fevereiro, o índice tinha subido 0,86% na comparação mensal.

O índice acumula variação de 2,05% no ano e de 6,10% nos últimos 12 meses. Os principais impactos vêm dos aumentos nos preços de combustíveis (11,23%) e do gás de botijão (4,98%).

A previsão, de acordo com consenso Refinitiv, era de alta de 1,03% frente fevereiro de 2021 e de 6,20% na comparação com março de 2020.

+Dados prévios da Azul refletem impacto da pandemia no setor aéreo no primeiro trimestre de 2021

“Foram aplicados sucessivos reajustes nos preços da gasolina e do óleo diesel nas refinarias entre fevereiro e março e isso acabou impactando os preços de venda para o consumidor final nas bombas. A gasolina nos postos teve alta de 11,26%, o etanol, de 12,59% e o óleo diesel, de 9,05%. O mesmo aconteceu com o gás, que teve dois reajustes nas refinarias nesse período, acumulando alta de 10,46%, e agora o consumidor percebe esse aumento”, explica o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov.

A gasolina foi o item que contribuiu com o maior impacto no IPCA de março (0,60 ponto percentual). Sendo que São Luís (MA) teve a menor variação (6,32%), dentre as 16 localidades pesquisadas, no preço da gasolina ao consumidor. Já o Rio de Janeiro (RJ) foi onde os motoristas mais sentiram no bolso (14,45%) esse reajuste.

O Rio de Janeiro teve, inclusive, outros aumentos que impactaram a inflação de março. Um deles foi o das passagens de trem, que subiram 6,38% em 23 de fevereiro, resultando em uma alta de 3,57% no custo dos transportes na capital fluminense. E houve também reajustes de 4,66% e 4,50% nas concessionárias de energia, em 15 de março, e 3,50% no gás encanado, no dia 1º de fevereiro, contribuindo para uma alta de 0,77% nos custos de habitação do carioca.

No que diz respeito aos índices regionais, todas as áreas pesquisadas apresentaram variação positiva. Sendo que o maior resultado ficou com o município de Goiânia (1,46%), onde pesaram as altas de 13,65% na gasolina e 18,43% no etanol. E o menor índice foi observado na região metropolitana do Recife (0,62%), principalmente por conta das quedas na energia elétrica (-2,23%) e no tomate (-21,03%).

Uma boa notícia para o consumidor é que a inflação do grupo Alimentação e bebidas (0,13%) vem desacelerando. O preço continua subindo, mas sobe menos a cada mês. As variações anteriores foram de 1,74% em dezembro, 1,02% em janeiro e 0,27% em fevereiro.

hotWords: sobe alta pelo 0,93% abaixo maior ipca inflação

Anuncie no invistaja.info

“Os alimentos tiveram alta de 14,09% em 2020, mas, desde dezembro, apresentam uma tendência de desaceleração. Alguns fatores contribuem para isso, como uma maior estabilidade do câmbio e a redução na demanda por conta da suspensão do auxílio emergencial nos primeiros meses do ano”, comenta Kislanov.

Para quem só está comendo em casa, os preços caíram de fato: a alimentação no domicílio teve queda de 0,17%, enquanto a alimentação fora do domicílio teve alta de 0,89%. Recuos nos preços do tomate (-14,12%), da batata-inglesa (-8,81%), do arroz (-2,13%) e do leite longa vida (-2,27%) baratearam as refeições em casa. Mas as carnes (0,85%) seguem em alta, embora a variação tenha sido inferior à de fevereiro (1,72%).

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), subiu 0,86%, resultado levemente acima do de fevereiro (0,82%) e também o maior índice para um mês de março desde 2015, quando o INPC variou 1,51%. No ano, o indicador acumula alta de 1,96% e, em 12 meses, de 6,94%.

Nesse índice, os produtos alimentícios subiram 0,07% em março, abaixo do resultado de 0,17% observado no mês anterior. Já os não alimentícios tiveram alta de 1,11%, enquanto, em fevereiro, haviam registrado 1,03%.

(com Agência de Notícias do IBGE)

Entenda o método para realizar análises e não se perder em momentos turbulentos. A série gratuita One Good Trader, com Gilberto Coelho, te ensina como – inscreva-se!

palavras-chave: Inflação medida pelo IPCA sobe 0,93% em março, maior alta para o mês desde 2015, mas abaixo do esperado; invistaja.info;

FLORIANÓPOLIS | economia | invistaja.info – Inflação medida pelo IPCA sobe 0,93% em março, maior alta para o mês desde 2015, mas abaixo do esperado

REFLEXÃO: Robert Brokamp, da Motley Fool: Diversificação reduz os riscos, aumenta a previsibilidade e impulsiona os retornos.

Veja também:

IGP-M sobe 0,50% na 1ª prévia de abril ante 1,95% na 1ª prévia de março, diz FGV

Senado aprova suspensão de impostos sobre vacinas em época de pandemia

Revisão tarifária da Sabesp, decreto formaliza Eletrobras em programa de desestatização, dados prévios de Even e Aura e mais

Príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, morre aos 99 anos de idade

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.