Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira – 2/8

Bolsas mundiais têm ganhos, mas riscos fiscais no Brasil seguem no radar após forte queda do Ibovespa na sexta; resultados e mais destaques
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação de quem vive o mercado

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira – 2/8; invistaja.info;


CEEB5 | P/L: 9.35 | DY: 0.0 | ROIC: 0.1174 | Cresc.5anos: 0.1335 | Liq.2meses: 3755.77 | Cotacao: 54.52

ListenToMarket: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira – 2/8 – Áudio gerado às: 7:51:49

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

PORTO ALEGRE | invistaja.info — A primeira sessão de agosto é de alta para os principais índices mundiais. Contudo, os fatores de risco doméstico que fizeram o Ibovespa cair 3,08% na última sexta-feira (30) continuam no radar.

Em semana marcada pela decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), em um momento em que ganham forças as apostas de alta de 1 ponto percentual da Selic, as ameaças para o teto de gastos após a fala de Jair Bolsonaro na sexta de defender endividamento para fazer o reajuste do Bolsa Família e as notícias sobre os gastos com precatórios seguem no radar.

Nesse sentido, o governo deve se reunir com parlamentares e o presidente do STF, Luiz Fux, para estudar meios de dirimir o impacto fiscal dos precatórios em 2022 e garantir a preservação do novo Bolsa Família e do teto de gastos.

+Anvisa recebe pedido para autorização de estudo da vacina contra a Covid da UFMG

Já no radar corporativo, a temporada de balanços continua, com a divulgação dos dados do Itaú, Cielo, entre outras empresas após o fechamento do mercado. Confira no que ficar de olho:

1.Bolsas mundiais

As bolsas mundiais sobem nesta segunda-feira (2), após um mês de julho forte nos Estados Unidos.

Em julho, os principais índices americanos fecharam em alta, apesar de preocupações sobre a perspectiva de retomada econômica com a propagação da variante delta de Covid.

No mês, o Nasdaq Composto subiu 1,2%; o Dow Jones subiu 1,3%; e o S&P 500 avançou 2,3%. A preocupação com o avanço do coronavírus no país vem sendo parcialmente ofuscada pelo avanço nas negociações por um acordo bipartidário em torno de uma lei prevendo investimentos de US$ 1 trilhão em infraestrutura no país.

Na sexta, foram divulgados dados que indicaram que a inflação nos Estados Unidos avançou em junho 3,5%, levemente abaixo da expectativa de analistas ouvidos pela Dow Jones, de alta de 3,6%. Também foram divulgados dados sobre o PIB dos Estados Unidos no segundo trimestre, que avançou 6,5% na base de comparação anual, menos do que a taxa de 8,4% esperada por analistas ouvidos pela Dow Jones.

As ações da Amazon tiveram queda de quase 7,6% na sexta, após a empresa informar receita trimestral abaixo da expectativa pela primeira vez em três anos, e apresentar diretrizes de desempenho abaixo da expectativa do mercado.

Até o momento, 59% das empresas que compõem o S&P informaram o desempenho no segundo trimestre, dentre as quais 88% superaram o o consenso do mercado, segundo dados compilados pelo FacSet.

Entre as empresas que devem informar seus resultados nesta semana estão Lyft, Uber e General Motors.

As bolsas asiáticas também têm altas, após uma semana turbulenta. Na segunda, a fabricante chinesa de carros elétricos Xpeng anunciou alta recorde de entregas de veículos em julho, o que contribuiu para que suas ações listadas em Hong Kong tivessem um salto de 10,66%.

Na segunda foi divulgado o índice do gerente de compras (PMI na sigla em inglês) Caixin/Markit relativo a julho na China, que marcou 50,3 pontos, abaixo da expectativa de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters, de 51,1 pontos. Em junho o indicador havia marcado 51,3 pontos. Qualquer valor acima de 50 indica expansão; abaixo, retração.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 1,06%; no Japão, o índice Nikkei subiu 1,82%; na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,65%; na China, o Shanghai composto subiu 1,97%.

Além disso, as ações do HSBC listadas em Hong Kong avançaram 0,93% após o banco anunciar lucro acima do esperado no primeiro semestre de 2021, além de sua segunda distribuição de dividendos desde o início da pandemia.

O banco informou lucro de US$ 10,84 bilhões no primeiro semestre, mais do que o dobro do mesmo período do ano anterior, o que também contribui para a alta de seus papéis listados em Londres.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,7%, com destaque positivo para o setor automobilístico.

No domingo, o lobby de fabricantes de carros CCFA-PFA afirmou que a escassez global de semicondutores e o avanço de novas infecções de Covid vêm prejudicando a perspectiva de recuperação do mercado automobilístico da França.

Também foi divulgado o PMI industrial da Zona do Euro, relativo a julho, que marcou 62,8 pontos, acima da expectativa de 62,6 pontos.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):Estados Unidos*Dow Jones Futuro (EUA), +0,45%*S&P 500 Futuro (EUA), +0,56%*Nasdaq Futuro (EUA), +0,52%Europa*FTSE 100 (Reino Unido), +0,93%*Dax (Alemanha), +0,05%*CAC 40 (França), +0,76%*FTSE MIB (Itália), +0,41%Ásia*Nikkei (Japão), +1,82% (fechado)*Shanghai SE (China), +1,97% (fechado)*Hang Seng Index (Hong Kong), +1,06% (fechado)*Kospi (Coreia do Sul), +0,65% (fechado)Commodities e bitcoin*Petróleo WTI, -1,474%, a US$ 72,86 o barril*Petróleo Brent, -1,26%, a US$ 74,46 o barril*Bitcoin, -4,63%, a US$ 39.765,82Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 0,85%, cotados a 1.054 iuanes, equivalente hoje a US$ 163,11 (nas últimas 24 horas).USD/CNY = 6,46

2. Agenda

Às 8h25 o Banco Central divulgará o Boletim Focus, com a expectativa de analistas sobre indicadores como taxa Selic, inflação, câmbio e crescimento do PIB. Às 10h é divulgado o PMI industrial Markit relativo a julho no Brasil. Às 15h será divulgada a balança comercial relativa a julho no Brasil.

Às 10h45 será divulgado o PMI industrial relativo a julho nos Estados Unidos. Às 11h serão divulgados dados sobre gastos de construção em junho nos Estados Unidos. Às 21h será divulgado o total de vendas de veículos nos Estados Unidos.

Às 20h30 será divulgada a inflação medida pelo IPC (índice de preços ao consumidor) relativa a julho em Tóquio.

3. Covid e CPI

No domingo (1º), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 984, queda de 20% em comparação com o patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 449 mortes. As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 35.645, o que representa queda de 12% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 20.554 casos.

Chegou a 100.871.923 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 47,64% da população. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 41.486.498 pessoas, ou 19,59% da população.

No domingo, o comércio passou a operar no estado de São Paulo até meia-noite, com capacidade ocupada em até 80%. Antes da flexibilização implementada pelo governo, o horário limite era 23h, e a ocupação máxima da capacidade era de 60%.

Após o recesso, a CPI da Covid voltará a funcionar no Senado nesta semana. A fase anterior da CPI ocorreu entre abril e julho, e levantou suspeitas de irregularidades e corrupção nas negociações do governo federal por vacinas.

Entre os pontos que devem ser aprofundados na nova fase da CPI estão: o acordo de venda ao Ministério da Saúde com intermédio da Precisa Medicamentos da vacina Covaxin, produzida pela indiana Bharat Biotech; negociações paralelas de imunizantes; o financiamento de fake news sobre questões ligadas à pandemia de Covid.

hotWords: assuntos mercado nesta

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Em entrevista à GloboNews no domingo, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que na terça deverá falar o reverendo Amilton Gomes de Paula, que está à frente da Senah (Secretaria de Assuntos Humanitários). Apesar do nome, a Senah não é um órgão público, mas uma ONG, apontada como ponte entre o governo federal e a Davati, empresa representada pelo cabo da Polícia Militar de Minas Gerais Luiz Paulo Dominguetti, que prometia ao Ministério da Saúde 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca.

Na quarta-feira, deverá ser ouvido o coronel Marcelo Blanco, que foi vinculado ao departamento de logística do Ministério da Saúde durante a gestão de Roberto Dias, e é apontado como um dos participantes das reuniões de negociação com a Davati, inclusive aquela em que Dominguetti acusa Dias de ter cobrado propina pela compra de vacinas. E na quinta-feira deverá ser ouvido o empresário Airton Cascavel, que foi assessor da gestão do general Eduardo Pazuello e, segundo senadores, é implicado em documentos em negociações do Ministério da Saúde.

4. Gastos federais, Bolsa Família, eleições e investigação sobre Bolsonaro

Na sexta, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo não descumprirá a regra do teto de gastos por causa do Bolsa Família, cujo valor será reajustado segundo anúncio já feito pelo presidente Jair Bolsonaro. Na semana passada, o presidente anunciou que o valor médio do Bolsa Família será reajustado para acima de R$ 300, dos atuais R$ 192.

“Os senhores podem ter certeza que não furaríamos o teto por causa do Bolsa Família, não é nada disso, isso tudo está sendo programado com muita responsabilidade”, disse Guedes a jornalistas após participar de evento no Rio de Janeiro.

Ele destacou, no entanto, que sua equipe tem verificado desde o ano passado o aumento atípico de uma outra despesa pública que poderá demandar uma reação por parte do governo. “Estamos ainda processando algumas informações que estão chegando”, disse Guedes a jornalistas, sem dar detalhes. “Às vezes despesas de outros poderes nos atingem e aí temos que fazer um plano de combate imediato.”

Como exemplo de uma decisão de outro poder que pode afetar as contas públicas, Guedes citou decisão recente do Supremo Tribunal sobre a abrangência de entendimento anterior sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS–Cofins.

Segundo reportagem de capa publicada nesta segunda-feira pelo jornal O Globo, o governo identificou que derrotas judiciais podem queimar boa parte dos recursos previstos para custear a nova versão do Bolsa Família.

Assim, o governo finalizou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) prevendo o parcelamento em nove anos de dívidas da União reconhecidas pela Justiça (os chamados precatórios). A mudança pode abrir espaço para gastos adicionais de R$ 40 bilhões em 2022, ano eleitoral.

De acordo com o jornal, a maior parte dos recursos seria utilizada para bancar o novo Bolsa Família, que amplia o benefício do valor de R$ 192 para R$ 300, e de 14 milhões para 17 milhões de beneficiários. No próximo ano, o custo total do programa, que deverá ser vitrine do governo Bolsonaro nas próximas eleições, deverá ser de R$ 56 bilhões.

Ainda de acordo com o jornal, o projeto vem sendo discutido há duas semanas pelo Ministério da Economia e pelo Planalto, e deverá ser apresentado na tarde desta segunda aos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pelos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI).

Na sexta, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o governo também pode prorrogar o auxílio emergencial pago a pessoas vulneráveis e trabalhadores informais se a pandemia de Covid-19 persistir em 2022.

“A gente espera que, com o término da vacina, com a questão da pandemia sendo dissipada, não seja mais preciso isso. Mas, se porventura continuar, nós manteremos aí o auxílio emergencial”, disse o presidente em entrevista à Rádio 89 FM, de São Paulo, quando questionado sobre a possível manutenção do auxílio no ano que vem. O valor pago atualmente varia de R$ 150 a R$ 375 por pessoa.

Além disso, no domingo o presidente voltou a contestar a confiabilidade do atual sistema de votação no país, defender a adoção do voto impresso para as urnas eletrônica e ameaçar a realização das eleições de 2022. As declarações foram feitas durante manifestações em capitais brasileiras como Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo em defesa de alterações da forma de votação.

Novamente, o presidente não apresentou provas das supostas irregularidades. Bolsonaro não compareceu pessoalmente às manifestações, mas participou remotamente de algumas delas.

Sem se referir nominalmente ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, contrário à mudança, Bolsonaro avisou que não haverá pleito se não houver eleições limpas e disse que é “mentiroso” quem diz que o atual sistema é seguro e auditável.

“Vocês estão aí, além de clamar pela garantia da nossa liberdade, buscando uma maneira que tenhamos eleições limpas e democráticas no ano que vem. Sem eleições limpas e democráticas, não haverá eleição”, disse ele, no vídeo reproduzido da manifestação em frente ao Congresso Nacional, em Brasília.

​​Não é a primeira vez que Bolsonaro coloca em dúvida a realização das eleições marcadas para o ano que vem, apesar de os presidentes do Senado e Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o próprio vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, já terem afirmado que não há risco de o pleito não ser realizado.

Em um debate realizado pelo Conjur TV na sexta, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, afirmou que a proposta defendida por Bolsonaro tem chances mínimas de avançar na Casa. No mesmo debate, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, afirmou:

“Me parece que aqui nós temos talvez uma falsa questão. Me parece que essa ideia de que sem voto impresso não podemos ter eleição, ou não vamos ter eleições confiáveis, na verdade esconde talvez algum tipo de intenção subjacente, uma intenção que não é boa”. “Vamos parar de conversa fiada. A urna eletrônica é auditável. Isso sempre foi aberto e é transparente. Temos que melhorar o controle de recursos e abuso de poder. Nada tem a ver com este processo”, reforçou o ministro do STF.

Além disso, também na sexta o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou que a Polícia Federal retome a investigação sobre se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir no comando da corporação, mesmo sem uma definição a respeito do formato do depoimento do chefe do Executivo no caso, se presencial ou por escrito.

No despacho, Moraes destacou que o inquérito, prorrogado na semana passada por mais três meses, tem outras diligências pendentes a serem cumpridas e não deve ficar paralisado. Citou também que no final de setembro a análise sobre o depoimento do presidente será retomado em plenário.

A pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, o inquérito foi aberto no final de abril de 2020 pelo ministro Celso de Mello, então relator do caso no Supremo tendo como base declarações do ex-juiz Sergio Moro quando deixava o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública.

Essa foi a primeira investigação contra Bolsonaro no exercício do mandato. Recentemente o presidente virou alvo de um segundo inquérito no STF, por possível prevaricação ao supostamente não apurar suspeitas de irregularidades no contrato da vacina indiana Covaxin contra Covid-19.

5. Radar corporativo

A temporada de resultados segue em destaque. Na sexta-feira, a Alpargatas, dona da marca Havaianas, divulgou ter registrado no segundo trimestre de 2021 lucro líquido recorrente de R$ 111,4 milhões, um salto de 228,7% ante o segundo trimestre de 2020. Já a Irani Papel e Embalagem registrou lucro líquido de R$ 68 milhões no segundo trimestre, avanço de 342% na comparação com o mesmo período de 2020. Antes da abertura, o BB Seguridade divulgou que seu lucro atingiu R$ 754 milhões no segundo trimestre de 2021.

Depois do fechamento, Itaú, Cielo, Copasa, Pague Menos, Marcopolo e PetroRio revelam seus balanços trimestrais.

As cimenteiras brasileiras CSN Cimentos, subsidiária da Cia Siderúrgica Nacional, Cimentos Mizu and Cimento Apodi, na qual a Titan Cement International tem uma participação, estão entre os interessados nos ativos da LafargeHolcim, segundo duas pessoas com conhecimento do assunto ouvidas pela agência internacional de notícias Reuters. As maiores cimenteiras brasileiras, Votorantim Cimentos SA e Intercement Brasil SA, também apresentaram ofertas, mas apenas por partes do negócio que tem permissão para adquirir por questões concorrenciais. A Votorantim apresentou oferta por unidades no Nordeste e a Intercement, por unidades no Rio, Espírito Santo e Minas Gerais, segundo as fontes.

Em entrevista veiculada no Programa do Ratinho, na SBT, na noite de sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a Petrobras tem uma reserva de R$ 3 bilhões para custear as despesas com o pagamento de um vale-gás para a população de baixa renda, no momento em que o governo tem sido alvo de críticas em razão do elevado preço do produto. “O novo presidente da Petrobras, o general (Joaquim) Silva e Luna, está com uma reserva de aproximadamente R$ 3 bilhões para atender realmente esses mais necessitados”. O presidente não deu qualquer detalhe sobre como seria o critério para os beneficiários do repasse ou sobre a reserva que a Petrobras teria para esse objetivo.

A elétrica Cemig informou na sexta-feira que o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) indeferiu um pedido de liminar que pleiteava a suspensão do processo de desinvestimento da companhia na transmissora de energia Taesa. Segundo fato relevante divulgado pela companhia mineira, o tribunal também revogou uma recomendação anterior para que a Cemig se abstivesse de realizar qualquer ato relacionado à alienação das ações da Taesa.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

palavras-chave: Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira – 2/8; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | mercados | invistaja.info – Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira – 2/8

REFLEXÃO: Morgan Housel: Se preocupe somente quando você achar que tiver tudo resolvido.

Tópicos mais acessados:

Bolsas mundiais abrem o mês em alta após resultados positivos nos Estados Unidos em julho

Dona da MMartan mira IPO de R$ 700 milhões

Anima entra no setor de moradia estudantil e planeja investir R$ 800 milhões

Prometer carbono zero em 2050 não é relevante, diz presidente da Suzano

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade