Paul Krugman descarta inflação nos EUA como na década de 1970

Projeto de lei de alívio da pandemia é “definitivamente um estímulo significativo, mas não um estímulo altamente inflacionário”, afirmou
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Investindo como profissionais

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: Paul Krugman descarta inflação nos EUA como na década de 1970; invistaja.info;


BAZA3 | Mrg.Ebit: 0.0 | DY: 0.0873 | PSR: 0.0 | P/L: 3.59 | P/ACL: 0.0 | EV/EBIT: 0.0

(MarketMsg) — O economista Paul Krugman, vencedor do prêmio Nobel, descarta a ameaça de a inflação sair do controle – como aconteceu na década de 1970 – devido ao pacote de alívio da pandemia de US$ 1,9 trilhão do presidente dos EUA, Joe Biden.

“Realmente levou mais de uma década de equívocos – ano após ano – para chegar até aquele ponto, e não acho que faremos isso de novo”, disse Krugman sobre o flagelo da inflação dos anos 70 até o início dos anos 80.

Em entrevista ao programa “Wall Street Week” da Bloomberg Television transmitida na sexta-feira, Krugman disse que o Federal Reserve tem ferramentas para lidar com as pressões de preços se necessário. Segundo o economista, atualmente professor da Universidade de Nova York, é improvável que o Fed adote a “seriamente irresponsável política monetária” da década de 1970.

+Petrobras reduz preço da gasolina em 5% nas refinarias a partir de sábado; valor do diesel é mantido

O pior cenário do pacote de estímulo fiscal seria um aumento transitório dos preços ao consumidor, como aconteceu no início da Guerra da Coreia, disse Krugman. O projeto de lei de alívio é “definitivamente um estímulo significativo, mas não um estímulo altamente inflacionário”, afirmou.

O economista também sugeriu que as autoridades do Fed não deixarão de agir por receio da reação no mercado de títulos, onde o aumento dos rendimentos teve efeito cascata sobre as ações.

O aperto da política monetária do Fed gerou uma crise no mercado de títulos do Tesouro dos EUA em 1994, mas “nada realmente terrível aconteceu” no final das contas, e as autoridades terão isso em mente, disse Krugman. “Ninguém no Fed quer ser responsável por trazer de volta os anos 70, então não acho que estejam tão limitados.”

Leia também:• Fed eleva projeções para PIB e inflação nos EUA, mas indica juros estáveis até 2023

hotWords: década como 1970 descarta

Publique seu negócio no invistaja.info

A combinação de política fiscal expansionista excessiva sob o presidente Lyndon B. Johnson, dois choques do petróleo e política monetária irresponsável sob o presidente do Fed, Arthur Burns, gerou inflação de dois dígitos da década de 1970, que atingiu o pico em 1980, disse Krugman.

Economistas preveem que o indicador do núcleo de inflação atrelado aos gastos do consumidor que o Fed usa em suas projeções ficará abaixo de 2% neste ano e no próximo, segundo pesquisa da Bloomberg. Um outro indicador, o índice de preços ao consumidor, deve fechar 2021 em 2,4% e em 2,2% no próximo ano. O IPC subiu mais de 13% em 1980.

O risco é que as autoridades estejam “lutando a última guerra”, combatendo o não cumprimento da meta de inflação de 2% e as medidas fiscais limitadas adotadas após a crise financeira de 2007-09, dizem economistas.

Ainda assim, Krugman argumenta que os aspectos “redistribucionistas” do pacote de alívio da pandemia reduzirão a necessidade de o Fed manter o forte estímulo monetário por muito tempo para lidar com bolsões de alto desemprego. O presidente do Fed, Jerome Powell, disse repetidamente que o banco central deseja um amplo fortalecimento do mercado de trabalho, não apenas uma queda na taxa nacional de desemprego.

“Não é tolice pensar que pode haver alguma pressão inflacionária” do pacote fiscal, disse Krugman. Mas o pacote foi pensado mais como plano de alívio do que como estímulo, afirmou.

©2021 Bloomberg L.P.

BRASIL | economia | invistaja.info – Paul Krugman descarta inflação nos EUA como na década de 1970

REFLEXÃO: Tim Hanson, da Motley Fool: Compre ações impressionantes por preços que não refletem sua grandiosidade.

Veja também:

“Recebemos de volta 12.000 apartamentos antes da lei dos distratos”, diz CEO da Helbor

Governo assina compra de vacinas contra Covid-19 com Janssen e Pfizer, somando 138 milhões de doses

Governo de SP suspende apoio ao sistema Anchieta-Imigrantes; idosos de 69 a 71 anos têm nova data de vacinação

Faria Lima precisa olhar para Favela de um jeito diferente, diz Favelado Investidor

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.