Publicidade

STF: denúncia pelas mortes em Brumadinho deve ser julgada na Justiça Federal

Entendimento foi de que o episódio tem como pano de fundo o debate sobre a exploração das atividades de mineração em larga escala

Informação de quem vive o mercado

Edição MarketMsg e invistaja.info

palavras-chave: STF: denúncia pelas mortes em Brumadinho deve ser julgada na Justiça Federal; invistaja.info;


PETR4 | P/Ativo: 0.304 | P/EBIT: 1.01 | EV/EBITDA: 1.51 | Mrg.Liq.: 0.2873 | Cotacao: 22.05 | Mrg.Ebit: 0.4623

ListenToMarket: STF: denúncia pelas mortes em Brumadinho deve ser julgada na Justiça Federal – Áudio gerado às: 14:40:26

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os executivos e funcionários da mineradora Vale denunciados pelas mortes causadas com o rompimento da barragem de Brumadinho (MG) devem ser julgados pela Justiça Federal.O julgamento terminou na sexta-feira, 16, no plenário virtual. Nessa modalidade, os ministros depositam os votos na plataforma online sem necessidade de reunião ou debate do colegiado. O placar foi de 3 votos a 1.O entendimento predominante foi o de que o episódio tem como pano de fundo o debate sobre a exploração das atividades de mineração em larga escala, o que atrairia o interesse da União.“A denúncia narra evidente interesse e preocupação da União na consecução da Política Nacional de Segurança de Barragens, sobretudo após o desastre de Mariana/MG (“caso Samarco”), em contexto bastante similar ao dos presentes autos”, escreveu o ministro Kassio Nunes Marques, que inaugurou a maioria.Nunes Marques também apontou que os funcionários da Vale foram acusados de usar um documento falso para atestar a estabilidade da barragem de Brumadinho, o que teria prejudicado a fiscalização da estrutura pela União.Os ministros Gilmar Mendes e André Mendonça completaram a maioria. O ministro Edson Fachin, relator do processo, foi o único que votou para manter o caso na Justiça estadual de Minas Gerais. Ricardo Lewandowski se declarou suspeito e não votou.O resultado do julgamento vai na linha do que já havia decidido o Superior Tribunal de Justiça (STJ) em outubro do ano passado. O caso chegou ao STF a partir de um recurso do Ministério Público de Minas Gerais.Na prática, a decisão coloca o processo de volta ao início, o que anula inclusive o recebimento de denúncia. A Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão (AVABRUM) disse que o julgamento é uma “injustiça” e reforça a “impunidade”.“Há um sentimento de perplexidade e de revolta entre familiares e atingidos pela tragédia-crime diante do placar da Segunda Turma”, diz a manifestação.A barragem B1 rompeu em janeiro de 2019, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, deixando 259 mortos e onze desaparecidos. A denúncia por homicídio doloso duplamente qualificado e por crimes ambientais foi oferecida um ano depois contra 11 executivos e funcionários da Vale e outros cinco da consultoria Tüv Süd.

palavras-chave: STF: denúncia pelas mortes em Brumadinho deve ser julgada na Justiça Federal; invistaja.info;

GLEBA PALHANO | mercados | invistaja.info – STF: denúncia pelas mortes em Brumadinho deve ser julgada na Justiça Federal

REFLEXÃO: Bill Mann, da Motley Fool Asset Management: Busque investir em conjunto com grandes gestores, depois, é só ser paciente.

Tópicos mais acessados:

Fan token da Argentina dispara 170% com desempenho na Copa e pode subir mais com título, diz analista

Licitações turbinam investimentos em infraestrutura no Brasil, mas são metade do ideal

PEC pode levar dívida a 81,8% do PIB em 2026, diz Tesouro

Fundador da Binance insiste que podemos confiar na exchange cripto – mas será que podemos mesmo?

Anuncie no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

plugins premium WordPress