Publicidade

US$ 30 milhões para startups brasileiras em 2021: a estratégia da Igah Ventures

Fundo de venture capital reúne 56 startups investidas e 13 eventos de liquidez. SoftBank está na lista de investidores da Igah Ventures
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

invistaja.info | Informação para quem vive o mercado

BRASIL | invistaja — Assim como todos os setores da economia, os fundos de venture capital se assustaram com a chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

palavras-chave: US$ 30 milhões para startups brasileiras em 2021: a estratégia da Igah Ventures; invistaja.info;

Logo se percebeu, porém, que os veículos que investem em startups estavam no grupo dos resilientes ao caos. A tecnologia se provou fundamental – e não demorou para investidores na pessoa física e jurídica voltarem a procurar os VCs.

Essa é a visão de Pedro Sirotsky Melzer, um dos sócios diretores da Igah Ventures. O fundo de venture capital aportou US$ 30 milhões em startups ao longo de 2020. Para 2021, busca aportar uma quantidade igual. O conversou com Melzer sobre como o fundo de venture capital encarou o último ano e quais são os planos para 2021.

Histórico da Igah Ventures

A Igah Ventures surgiu em janeiro de 2020, a partir da fusão de dois fundos conhecidos no mercado brasileiro: o de venture capital e.Bricks Ventures e o de private equity Joá Investimentos. As duas instituições acumulam 56 investimentos em startups, 13 exits (saídas, ou eventos de liquidez) e cerca de US$ 250 milhões em recursos captados e geridos. O SoftBank, conglomerado japonês de telecomunicações e dono de um fundo de US$ 5 bilhões para startups da América Latina, é um dos investidores âncora do fundo de venture capital brasileiro.

Entre as empresas atuais do portfólio estão GuiaBolso, Ingresse, Tembici e Reserva. Peixe Urbano e Porta dos Fundos são exemplos de exits.

Marcio Trigueiro, Pedro Sirotsky Melzer e Luis Felipe Magon são os managing partners (principais sócios) da Igah Ventures.

Trigueiro atuou como sócio na GP Investimentos, que tem no portfólio empresas como BR Properties e Fogo de Chão. Também foi CEO da Sascar (empresa de tecnologia e segurança automotiva) e da PDG (construtora e incorporadora). Já Melzer trabalhou como gerente de receitas na Apple, no Vale do Silício, e criou dois fundos no Brasil: a Warehouse Ventures (investidora no iFood) e o e.Bricks Ventures (Ambar, Contabilizei e Labi Exames). Por fim, Magon foi analista em instituições financeiras como Banco Pactual, Leblon Equities e BNY Mellon. E cofundou a gestora de fundos de ações e multimercado Vista Capital.

Mais executivos que fazem parte do quadro da Igah Ventures são Camila Sangali (gerente na Somos Educação), Dennis Wang (vice-presidente do Nubank e co-CEO da Easy Taxi) e Thiago Maluf (vice-presidente de private equity na TPG Global e associate de private equity na Kinea Investimentos).

“O e.Bricks Ventures tinha relacionamento com a Joá Investimento tanto na pessoa física quanto na jurídica. Conhecíamos os sócios e fazíamos coinvestimentos. A união fez sentido porque a Joá buscava focar mais em venture capital e porque percebemos que tínhamos teses diferentes – eles focavam em consumo e marketing, enquanto nós olhávamos para softwares e soluções empresariais. O diferencial da Igah Ventures está nessa equipe complementar e robusta”, diz Melzer.

A Igah Ventures apoia startups que estão entre as rodadas seed e série B. O foco está no meio dessa jornada, que é a série A (). O cheque médio por startup assinado pela Igah Ventures vai de US$ 5 milhões a US$ 7 milhões. O fundo de venture capital olha principalmente para as verticais de educação, fintech, saúde, soluções empresariais e varejo direto ao consumidor (D2C).

“O último ano evidenciou que a tecnologia será usada por empresas de todos os segmentos como facilitador de escala. Olho cada vez menos para o setor de tecnologia em si, e mais para as empresas que têm alto potencial de escala, ferramentas que garantam eficiência e capital e empreendedores com mentalidade de crescimento exponencial”, afirma Melzer.

US$ 30 milhões: receita em 2020 e 2021

Ainda em janeiro de 2020, a Igah Ventures abriu uma captação de US$ 100 milhões. “Vimos a maturidade do mercado brasileiro de startups e concluímos que esse montante poderia ser alocado com tranquilidade”, diz Melzer.

No primeiro trimestre, a captação já estava em US$ 20 milhões e a Igah Ventures investiu em negócios como Acesso Digital, Avenue e Conexa Saúde. Mas os esforços de receber dinheiro dos investidores foram interrompidos no final de março, quando a pandemia chegou ao Brasil. A Igah Ventures se voltou ao portfólio existente e fez ajustes em sua própria operação.

Leia mais

Em agosto, Melzer afirma que começou a ver uma animação dos investidores. A Igah Ventures voltou a captar em setembro. “A própria situação da pandemia deixou evidente que empresas criadas no meio digital, mais ágeis e inovadoras têm vantagem. Grandes empresas e fundos nacionais e internacionais querem participar desse movimento. Fazem joint ventures, contratos de investimento e fusões ou aquisições. Já as startups conseguem realizar grandes rodadas e até IPOs. As startups se profissionalizaram como classe de ativos”, diz o managing partner.

A Igah Ventures fechou o último ano com US$ 130 milhões captados, acima do esperado no começo de 2020. US$ 30 milhões foram efetivamente investidos ao longo do último ano. Oito startups entraram para o portfólio, seis delas com investimento já divulgado: Acesso Digital, Avenue, Conexa Saúde, 321Beauty, Dr. Jones e bxblue.

Para 2021, a Igah Ventures espera investir mais US$ 30 milhões. 40% dos US$ 130 milhões captados também foram reservados para follow on – novos investimentos nas próprias startups do portfólio, em rodadas futuras de aportes. Os recursos captados pela Igah Ventures servirão para rodadas de investimento realizadas até o começo de 2022.

 .

BRASIL | negocios | invistaja.info – US$ 30 milhões para startups brasileiras em 2021: a estratégia da Igah Ventures

palavras-chave: US$ 30 milhões para startups brasileiras em 2021: a estratégia da Igah Ventures; invistaja.info;

Veja também:

Johnson & Johnson pede registro emergencial de vacina nos EUA

Butantan negocia compra de mais 20 milhões de doses da CoronaVac, diz Doria

Oi assina acordo de exclusividade para venda de ativos de fibra óptica; atenção para Petrobras, estreias na B3 e mais

Oi acerta exclusividade com BTG para negociar unidade de fibra óptica

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Publicidade