IGP-DI de maio fica em 3,40%, ante 2,22% em abril, afirma FGV

As altas nos custos da energia elétrica (6,53%), gasolina (2,95%) e etanol (9,06%) pressionaram a inflação ao consumidor
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Informação para o trader investidor

Edição invistaja.info e MarketMsg

palavras-chave: IGP-DI de maio fica em 3,40%, ante 2,22% em abril, afirma FGV; invistaja.info;


LOGG3 | Cresc.5anos: 0.1132 | Cotacao: 33.38 | EV/EBIT: 36.04 | P/ACL: -6.61 | P/Cap.Giro: 6.45 | Mrg.Liq.: 1.7131

ListenToMarket: IGP-DI de maio fica em 3,40%, ante 2,22% em abril, afirma FGV – Áudio gerado às: 9:30:41

VELOCIDADE: 1.0x | 1.95x | 2.3x

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou alta de 3,40% em maio, após um avanço de 2,22% em abril, divulgou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) na manhã desta terça-feira, 8. Com o resultado, o IGP-DI acumulou uma elevação de 14,13% no ano e avanço de 36,53% em 12 meses.

A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI. O IPA-DI, que representa o atacado, teve elevação de 4,20% em maio ante uma alta de 2,90% em abril. O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, subiu 0,81% em maio, após o avanço de 0,23% em abril.

Já o INCC-DI, que mensura o impacto de preços na construção, teve elevação de 2,22% em maio, depois da alta de 0,90% em abril. O período de coleta de preços para o índice de maio foi do dia 1º ao dia 31 do mês.

+CVC estuda oferta de ações, Raízen protocola prospecto de IPO, reorganização societária da Iguatemi e mais notícias

As altas nos custos da energia elétrica (6,53%), gasolina (2,95%) e etanol (9,06%) pressionaram a inflação ao consumidor dentro do IGP-DI de maio. Dentro do Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI), cinco das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais elevadas: Transporte (de -0,13% em abril para 1,48% em maio), Habitação (de 0,21% para 1,72%), Vestuário (de 0,19% para 0,65%), Educação, Leitura e Recreação (de -0,75% para -0,70%) e Despesas Diversas (de 0,27% para 0,28%).

Houve influência dos itens: combustíveis e lubrificantes (de -1,14% para 3,62%), tarifa de eletricidade residencial (de -0,45% para 6,53%), roupas (de 0,22% para 0,87%), excursão e tour (de -0,70% para 1,13%) e alimentos para animais domésticos (de 0,91% para 2,32%).

Na direção oposta, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (de 1,07% para 0,59%), Alimentação (de 0,32% para 0,26%) e Comunicação (de 0,66% para 0,26%) registraram taxas de variação mais baixas, sob impacto de itens como artigos de higiene e cuidados pessoais (de 1,00% para -0,58%), frutas (de -4,12% para -7,15%) e combo de telefonia, internet e TV por assinatura (de 1,50% para 0,49%).

O núcleo do IPC-DI passou de alta de 0,37% em abril para um avanço de 0,40% em maio. Dos 85 itens componentes do IPC, 33 foram excluídos do cálculo do núcleo. O núcleo do IPC-DI é usado para mensurar tendências e calculado a partir da exclusão das principais quedas e das mais expressivas altas de preços no varejo. Ainda de acordo com a FGV, o núcleo acumulou uma elevação 1,64% no ano e avanço de 3,25% em 12 meses.

hotWords: ante fica maio abril, igp-di

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

O índice de difusão, que mede a proporção de itens com aumentos de preços, passou de 65,48% em abril para 69,03% em maio.

Construção

A alta no custo da mão de obra e dos materiais de construção também acelerou a inflação do setor no IGP-DI. Dentro do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI), o indicador relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços saiu de uma alta de 1,79% em abril para um aumento de 2,51% em maio. O custo dos Materiais e Equipamentos passou de alta de 1,99% em abril para avanço de 2,81% em maio, enquanto os Serviços saíram de 0,88% para 1,13%. Já o índice que representa o custo da Mão de Obra passou de estabilidade (0,00%) em abril para elevação de 1,92% em maio.

IPAs

Os preços dos produtos agropecuários no atacado mensurados pelo IPA AGrícola subiram 3,16% em maio, depois de uma alta de 2,82% em abril. Já os produtos industriais – medidos pelo IPA Industrial – avançaram 4,62% em maio, ante aumento de 2,94% em abril.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram alta de 1,73% em maio, ante um avanço de 0,99% em abril. Os preços dos bens intermediários subiram 2,28% em maio, após aumentarem 3,57% em abril. Os preços das matérias-primas brutas registraram elevação de 7,65% em maio, depois do avanço de 3,78% em abril.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.

palavras-chave: IGP-DI de maio fica em 3,40%, ante 2,22% em abril, afirma FGV; invistaja.info;

BRASIL | economia | invistaja.info – IGP-DI de maio fica em 3,40%, ante 2,22% em abril, afirma FGV

REFLEXÃO: Rich Greifner, da Motley Fool: Pense a longo prazo, seja paciente e busque por retornos assimétricos.

Notícias relacionadas:

Rio de Janeiro recebe R$ 18,2 bilhões em leilão da Cedae, mas não quita dívida com a União

Ibovespa Futuro tem leve alta após dados de varejo melhores que o esperado; dólar recua

CVC estuda oferta de ações, Raízen protocola prospecto de IPO, reorganização societária da Iguatemi, nova CEO da Caixa Seguridade e mais

Redes sociais e sites de notícias ficam fora do ar ao redor do mundo

Entre em contato para anunciar no invistaja.info

Resumo do mercado

Assine grátis nossa newsletter semanal

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Newsletter invistaja: receba um resumo semanal dos principais movimentos do mercado

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.